Por que precisamos falar de saúde mental no trabalho

Por Robert Half on 20 de setembro de 2023
Tempo estimado de leitura: 17 minutos

Por Flávia Alencastro

A importância da saúde mental, assim como os cuidados físicos, não pode ser subestimada. Nem sempre enxergamos os sintomas, mas o cérebro é como se fosse uma máquina biológica, podemos assim dizer, e, como todo mecanismo, é necessário cuidar dele da mesma maneira com que cuidamos de um computador, ou de um carro, por exemplo.

Nossas vidas estão em constante evolução, tomadas por uma interminável sequência de responsabilidades e desafios. Como consequência, a saúde mental tende a ser prejudicada se os cuidados adequados não são seguidos; e isso vale tanto para você quanto para os colaboradores da sua empresa.

Envie sua vaga

A saúde mental dos colaboradores é um dos assuntos mais discutidos nos últimos anos. As mudanças rápidas na sociedade, o futuro incerto, os problemas sociopolíticos e as dificuldades pessoais são os principais motivos para o surgimento de doenças psicossociais nos profissionais.

Mas qual a importância de abordar a saúde mental no ambiente de trabalho? Conforme a definição da OMS, "saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a mera ausência de doença". Torna-se imperativo adquirir uma compreensão mais aprofundada desse tema, tanto por parte das empresas quanto dos profissionais que integram suas equipes.

Segundo pesquisa do instituto Ipsos, a saúde mental piorou para 53% dos brasileiros no último ano. Em razão disso, é fundamental que as empresas busquem soluções para cuidar do bem-estar da sua equipe. Desse modo, o RH é o principal responsável por acompanhar o dia a dia dos profissionais e encontrar alternativas para melhorar o ambiente de trabalho.

O que é saúde mental?

A saúde mental está relacionada ao equilíbrio emocional, qualidade de vida e bem-estar. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o conceito consiste em um estado no qual o indivíduo consegue lidar com os estresses cotidianos, pode trabalhar com produtividade e é apto a contribuir para a sociedade.

Sendo assim, a saúde mental dos colaboradores está associada com a aceitação, administração das situações, das próprias emoções e das adversidades que surgem no ambiente de trabalho, sem comprometer a si mesmo ou aos outros profissionais.

Do contrário, os distúrbios que acompanham a falta dos cuidados com o psicológico podem acarretar diversas consequências negativas para o indivíduo, como nos estudos, trabalho, relação com a família, autoestima e atividades sociais.

No ambiente de trabalho, a saúde mental dos colaboradores se tornou um foco crucial para empresas que buscam criar culturas de trabalho sustentáveis e eficazes. As demandas crescentes, a pressão por resultados e as mudanças constantes podem afetar negativamente o bem-estar mental.

PESQUISA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL & SAÚDE MENTAL

NO AMBIENTE DE TRABALHO 2023

PESQUISA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL & SAÚDE MENTAL NO AMBIENTE DE TRABALHO 2023

Confira a terceira edição da pesquisa sobre saúde mental realizada pela Robert Half em conjunto com a The School of Life.

Qual é a importância da saúde mental no ambiente de trabalho?

No contexto empresarial, caracterizado por um turbilhão de metas, prazos e responsabilidades, muitas vezes a influência da saúde mental no trabalho é subestimada. No entanto, a verdade é que essa questão transcende a esfera humanitária, representando também uma estratégia perspicaz no âmbito dos negócios.

Quando os colaboradores se sentem respaldados e em equilíbrio mental, têm maior probabilidade de apresentar um desempenho ótimo. Pode-se imaginar uma equipe que enfrenta um estresse contínuo, pressão excessiva e carência de apoio.

Confira também: Inteligência Emocional e Saúde Mental no Ambiente de Trabalho

Nesse cenário, os resultados provavelmente serão uma queda na produtividade, aumento da rotatividade de funcionários e até mesmo um impacto desfavorável na reputação da organização.

Por outro lado, ao priorizar a saúde mental, os gestores de recursos humanos conseguem criar um ambiente no qual os colaboradores se sentem valorizados, motivados e capazes de enfrentar os desafios com maior eficácia.Fale abertamente sobre o tema e apoie colaboradores com questões de saúde mental

Não é fácil se abrir sobre questões internas, mas ter o encorajamento e o acolhimento faz com que os colaboradores tenham a possibilidade de endereçar os problemas pelos quais estão passando e permite com que eles possam tratar dessas características sem estigmas negativos associados a elas.

Ao falar sobre saúde mental abertamente no ambiente de trabalho, colegas de trabalho podem ajudar a criar um ambiente compreensivo e de apoio. Isso pode tornar mais fácil para os colaboradores lidarem com quaisquer transtornos de saúde mental e continuarem trabalhando sem sentir que precisam esconder a realidade pela qual estão passando.

Redução do estigma em torno da saúde mental

Participar da conversa sobre saúde mental pode ajudar a reduzir o estigma associado ao assunto. isso é importante porque este fator pode impedir as pessoas de procurar ajuda, o que pode eventualmente levar a situações mais graves. Falar de maneira aberta e buscar ajuda a criar uma atitude mais positiva em relação ao tema e encoraja colaboradores que estão enfrentando dificuldades a procurar a ajuda de que precisam.

Fomentando a empatia e o sentimento de comunidade

Se você falar abertamente sobre saúde mental, poderá incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Isso é especialmente verdadeiro se você estiver em uma posição de liderança. Se você abrir uma conversa sobre o tema, seus colaboradores podem se sentir mais à vontade para fazer o mesmo.

Isso pode criar um efeito dominó que pode levar mais pessoas a discutir e procurar ajuda para quaisquer situações relacionadas à de saúde mental pelas quais eles possam estar enfrentando. Se você fizer parte da equipe de liderança de sua organização, você pode contribuir para mudar a forma como a saúde mental é vista e discutida.

Como o ambiente de trabalho influencia na saúde mental do trabalhador?

A conexão entre saúde mental e sucesso organizacional vai além do senso comum. Quando os colaboradores estão emocionalmente bem, a empresa colhe uma série de benefícios tangíveis. Saiba mais sobre alguns dos aspectos mais importantes nos quais a saúde mental impacta diretamente os resultados da empresa.

Produtividade e qualidade do trabalho

Colaboradores mentalmente saudáveis estão mais engajados e focados, o que se traduz em uma produtividade aprimorada. Além disso, eles têm mais probabilidade de produzir um trabalho de alta qualidade, uma vez que a clareza mental contribui para a tomada de decisões informadas e criativas.

Leia também: Como promover ações voltadas para a saúde mental no trabalho?

Retenção de talentos

Empresas que se preocupam genuinamente com a saúde mental no trabalho de seus colaboradores têm uma vantagem na retenção de talentos. 

Equipes que se sentem apoiadas e valorizadas são mais propensas a permanecer na empresa, reduzindo assim os custos associados à rotatividade. Afinal, vale sempre lembrar que a retenção de talentos é vital para manter o conhecimento interno, a experiência e a consistência operacional.

Clima organizacional

Priorizar a saúde mental cria um ambiente onde a comunicação flui mais livremente e a colaboração é incentivada. Isso leva a relações mais saudáveis entre colegas e a um clima organizacional positivo. Um ambiente no qual os colaboradores se sentem à vontade para expressar suas preocupações e ideias contribui para a integração da equipe e a eficácia de todos.

Inovação e criatividade

A saúde mental está diretamente ligada à capacidade de pensar de maneira inovadora. Colaboradores que estão com a saúde mental em dia têm uma mente mais aberta para explorar novas abordagens e soluções criativas. Esse impulso para a inovação não apenas enriquece a cultura da empresa, mas também ajuda a superar desafios de maneira mais eficaz.

Satisfação do cliente

Equipes com a saúde mental em dia estão mais bem preparadas para lidar com situações desafiadoras de atendimento ao cliente. A resiliência emocional resultante da saúde mental positiva permite que os colaboradores mantenham a calma sob pressão, resolvam problemas eficazmente e proporcionem uma experiência satisfatória aos clientes.

Indo além da remuneração

Para Maria Sartori, diretora associada da Robert Half, não basta oferecer remuneração competitiva. As empresas precisam fazer mais para atraírem e reterem os melhores talentos, mas também é necessário olhar para a saúde mental e preocupar-se com o aspecto humano na condução do trabalho. O equilíbrio entre vida pessoal e profissional é fundamental.

“Os tempos mudaram e as prioridades também. Oferecer remunerações competitivas segue sendo um aspecto fundamental, porém, definitivamente, não é mais o suficiente para assegurar profissionais que, de fato, farão a diferença no negócio. Mais do que isso, os últimos anos incentivaram diversos processos de auto reflexão, em líderes e liderados. Proporcionar equilíbrio entre a vida pessoal e profissional tornou-se elementar, especialmente em um contexto de mercado em que o trabalho passou a ocupar a casa e a rotina íntima de muitas pessoas."

Além disso, Maria ressalta a importância da empatia e do acolhimento nas empresas: "Trabalhadores mentalmente saudáveis são mais engajados, produtivos e leais. Líderes psicologicamente equilibrados tendem a ser mais empáticos, acolhedores e transparentes. Não há dúvidas de que presenciaremos profissionais ainda mais protagonistas de suas próprias carreiras.

Lembre-se: os talentos são os mais importantes recursos de uma organização e, hoje, eles buscam por um trabalho que esteja alinhado aos seus valores, que garanta bem-estar e proporcione uma experiência saudável."

Os fatores que mais afetam a saúde mental dos colaboradores

De acordo a OMS, 86% dos brasileiros têm algum transtorno mental, como ansiedade e depressão. Dessa forma, são diversos os motivos que a saúde mental dos colaboradores pode ser afetada.

Conheça a seguir as principais causas das doenças psicossociais no ambiente de trabalho:

Competitividade excessiva

Um ambiente excessivamente competitivo, onde a busca por reconhecimento individual é priorizada em detrimento da colaboração, pode criar um clima de constante pressão e ansiedade.

A busca implacável por superar os colegas pode prejudicar o bem-estar emocional dos colaboradores, gerando uma atmosfera de insegurança.

Altas exigências

A imposição de demandas de trabalho exageradas, especialmente quando desequilibradas e irrealistas, pode levar a níveis insustentáveis de estresse.

Lidar com uma lista interminável de tarefas a serem cumpridas dentro de prazos restritos pode minar a capacidade de lidar com desafios emocionais.

Falta de organização e flexibilidade

Um ambiente de trabalho que carece de estrutura organizacional adequada e flexibilidade pode aumentar significativamente o estresse dos colaboradores.

A falta de clareza em relação a papéis e responsabilidades, combinada com a rigidez em relação a mudanças, pode criar um terreno propício para o desconforto emocional.

Assédio moral

A presença de assédio moral ou práticas intimidadoras cria um ambiente emocionalmente tóxico que afeta profundamente a saúde mental dos colaboradores.

O medo de retaliação, a humilhação pública e a constante preocupação com a interação com colegas e superiores podem causar danos emocionais significativos.

Longas jornadas de trabalho

A cultura de trabalhar longas horas sem o devido descanso pode resultar em esgotamento físico e emocional. 

O desequilíbrio entre trabalho e vida pessoal pode afetar negativamente a saúde mental, contribuindo para a exaustão.

Como a saúde mental dos colaboradores afeta as empresas?

Ao considerar os impactos da saúde mental dos colaboradores na própria empresa, é possível ver o quanto eles podem afetar a dinâmica corporativa. Compreender a profundidade dos impactos que o bem-estar emocional pode ter nas operações de uma empresa é o primeiro passo para começar a elaborar ações efetivas.

A seguir, veja quais são as principais áreas das empresas que são afetadas pela saúde mental dos colaboradores.

Desempenho e produtividade

A saúde mental dos colaboradores está diretamente ligada ao desempenho e à produtividade no local de trabalho. Quando os colaboradores enfrentam problemas emocionais, sua capacidade de concentração e foco pode diminuir.

Por exemplo, a ansiedade e o estresse crônico podem afetar a clareza de pensamento e a tomada de decisões, resultando em erros e atrasos. Colaboradores emocionalmente saudáveis, por outro lado, estão mais aptos a manter níveis consistentes de produtividade e realizar suas tarefas com maior eficiência.

Clima organizacional

O clima organizacional da empresa também pode ser definido pela saúde mental dos colaboradores. Um ambiente onde a saúde mental é valorizada e apoiada cria uma cultura de empatia e respeito.

Por outro lado, a falta de atenção à saúde mental pode levar a um ambiente tóxico, onde a competitividade excessiva e a falta de apoio emocional minam a coesão da equipe. A moral baixa, a desconfiança e a hostilidade entre os colaboradores são sintomas de um clima prejudicado pela falta de atenção à saúde mental.

Turnover e retenção de talentos

Colaboradores que enfrentam problemas de saúde mental podem sentir-se desmotivados e sobrecarregados, levando a uma maior rotatividade de pessoal. Além disso, a falta de suporte emocional pode fazer com que os colaboradores procurem oportunidades mais saudáveis em outros lugares.

Investir no bem-estar emocional não apenas ajuda a reter talentos valiosos, mas também economiza recursos que seriam investidos na contratação e treinamento de novos colaboradores.

Inovação e criatividade

A saúde mental positiva tem um impacto direto na capacidade dos colaboradores de pensar de maneira criativa e inovadora. A estabilidade emocional permite que a mente explore novas perspectivas, sugira ideias originais e abrace os desafios com uma mentalidade construtiva.

Colaboradores que se sentem apoiados em relação à sua saúde mental tendem a ser mais engajados em projetos inovadores e estão dispostos a compartilhar suas ideias.

Engajamento e satisfação no trabalho

A saúde mental influencia o engajamento e a satisfação dos colaboradores. Colaboradores que se sentem apoiados emocionalmente estão mais motivados e dispostos a se comprometer com os objetivos da empresa. 

O engajamento resulta em maior dedicação ao trabalho, colaboração mais eficaz com colegas e maior disposição para contribuir com ideias e esforços.

Como cuidar da saúde mental no trabalho?

Agora que entendemos como a saúde mental está intrinsecamente ligada ao desempenho organizacional, podemos descobrir algumas maneiras concretas de cultivar um ambiente que apoie o bem-estar emocional dos colaboradores.

A seguir, conheça os principais pilares que auxiliam a equilibrar a saúde mental no trabalho para os seus colaboradores.

1. Ofereça benefícios

De acordo com a pesquisa Benefícios 2023 da Robert Half, as empresas estão alinhadas com alguns dos benefícios mais valorizados pelos colaboradores, como assistência médica, vale-refeição, assistência odontológica e estacionamento. O plano de saúde é considerado muito importante pelas duas partes, pois ajuda os colaboradores a manterem a saúde física e mental com qualidade e segurança, além de facilitar o acesso a serviços médicos que normalmente são mais caros.

Um ponto importante é ouvir o feedback dos colaboradores, ele é muito importante para avaliar o que realmente é interessante para a empresa oferecer a eles. É preciso lembrar que um benefícios pode ser interessante para alguns colaboradores, mas nem as empresas, nem os colaboradores, são iguais. É preciso oferecer os benefícios de maneira com que eles atendam os dois lados. 

2. Incentive atividades físicas

Aumentou muito o número de educadores físicos dispostos a auxiliar os colaboradores das empresas com aulas on-line.

Algumas organizações já adotaram o serviço e reservam espaço na agenda do profissional para a realização dos exercícios com alguma frequência. Pode ser após o expediente ou em algum outro horário que seja confortável para o grupo.

3. Integre os colaboradores

Se a sua equipe trabalha em home office, cuide para que as pessoas não percam o contato. Sempre que possível, agende as reuniões com recurso de vídeo, interaja com os participantes e incentive o agendamento de um "happy hour" virtual apenas para bate-papos mais descontraídos.

Mesmo no modelo híbrido, é importante existir uma dinâmica voltada à integração dos colaboradores nas oportunidades em que estão fisicamente juntos na empresa.

4. Mantenha atenção aos feedbacks

Nem sempre a baixa produtividade de um profissional está relacionada à falta de habilidade técnica. Às vezes, a questão está associada a um problema pontual que ele esteja vivendo, estresse, estafa ou depressão.

O gestor direto e a equipe de RH devem se manter por perto tanto para entender o momento de vida da pessoa quanto para fazer ajustes no resultado dos trabalhos ou reconhecer uma ação bem executada.

5. Alivie sobrecargas

Também pode acontecer de o profissional estar estressado pela sobrecarga de trabalho. Nesses casos, é fundamental que o gestor direto tome conhecimento da real situação do colaborador para verificar se há necessidade de ajustes na priorização das tarefas, existe espaço para a redistribuição das demandas ou o melhor é aumentar a equipe.

Em caso de demanda excessiva pontual, a recomendação mais estratégica é contratar um profissional por projeto temporário. Eles existem em diversos cargos, inclusive de analistas a diretores.

6. Mapeie os indicadores certos

Realizar avaliações regulares da saúde mental da equipe é crucial para identificar tendências, necessidades e áreas para melhorias. Implemente pesquisas de clima organizacional com perguntas específicas sobre bem-estar emocional.

Depois, analise os resultados para identificar padrões, desafios recorrentes e oportunidades de intervenção. Essas métricas permitirão que os gestores de RH direcionem suas iniciativas de forma eficaz, adaptando estratégias que abordem diretamente as necessidades emocionais dos colaboradores.

8. Adote programas de incentivo à saúde mental

Os programas de incentivo à saúde mental dos colaboradores devem envolver atividades a longo prazo, como medidas de prevenção que estimulem a alimentação saudável e a prática de atividades físicas, e manutenção, que incluam ações coordenadas entre os líderes e demais profissionais.

Caso a sua empresa não tenha o conhecimento ou a expertise para lidar com o assunto, pode ser interessante contar com uma consultoria externa. Assim, um terceiro pode avaliar as ações tomadas pela sua empresa e identificar quais são as melhores opções para você.

Confira também: Saúde mental: hora de parar

9. Preste atenção aos sinais

As doenças psicológicas no ambiente de trabalho, como a síndrome de burnout, costumam ser confundidas com preguiça, descaso, frescura, exagero e falta de interesse. Por isso, podem ser silenciosas e difíceis de detectar pela equipe e até mesmo pelas próprias pessoas que estão com a doença.

Dessa maneira, conhecer os sintomas das principais doenças mentais pode ajudar na tomada de decisão e, principalmente, ação para minimizar o problema em sua empresa. As queixas mais comuns, são:

  • falta de motivação;
  • negativismo;
  • lapsos de memória;
  • falta de concentração;
  • fadiga crônica;
  • sono excessivo ou insônia;
  • dores de cabeça;
  • constipação;
  • falta de ar;
  • dores no peito;
  • náusea;
  • desmaio etc.

Guia Salarial da Robert Half

No Guia Salarial da Robert Half você encontra a mais completa pesquisa salarial e um estudo sobre tendências de contratação no mercado brasileiro.

10. Considere analisar a cultura da empresa

A cultura organizacional é o conjunto de valores, hábitos e crenças que definem uma empresa e a maneira que a marca é refletida para o público. Com isso, é preciso reavaliar princípios que podem não fazer mais sentido para a companhia e alinhar à nova mentalidade dos gestores.

Mas aqui é preciso entender que essas mudanças não acontecem do dia para a noite. Uma mudança cultural leva um certo tempo até ser implementada e, por isso, você deve se preocupar com cada etapa para garantir que isso funcione bem enquanto a cultura voltada para a saúde mental dos colaboradores ainda não se estabelece.

11. Mantenha um diálogo aberto sobre saúde mental

A comunicação aberta entre colaboradores e líderes ajuda a identificar as dificuldades diárias no ambiente de trabalho. Dessa maneira, é possível encontrar estratégias para cuidar da saúde mental dos profissionais e acabar com o tabu sobre os problemas psicológicos entre a equipe.

Além de ficar de olho nas lideranças, para que elas façam esse trabalho, é muito importante que os profissionais do RH também tenham essa consciência de criar uma maior abertura. Afinal, muitos profissionais podem ter receio ao se comunicarem com seus líderes diretos. O RH deve eliminar qualquer tipo de receio.

12. Sustente a periodicidade das ações na companhia

As práticas para manter a saúde mental dos colaboradores devem ser mantidas para garantir os resultados a longo prazo na empresa. Por isso, um calendário de atividades é essencial para assegurar a periodicidade das ações.

De nada adianta realizar um projeto específico por dois meses, não ter uma adesão tão alta e abandonar a ideia. Ainda mais se a saúde mental não for um tema recorrente na cultura da empresa, pode ser que leve um tempo até que essas ideias sejam implementadas com a eficiência necessária.

13. Realize a readequação do trabalho

Outro aspecto importante para garantir que a saúde mental dos colaboradores seja colocada em primeiro lugar é fazer as readequações do trabalho. Será que ele está fazendo o que realmente foi contratado para fazer?

Ao responder essa questão, você consegue identificar, por exemplo, se o profissional está sendo subaproveitado ou não, se está na função adequada, enfim: descobrirá qual é a melhor maneira de garantir que ele seja valorizado.

14. Invista em soluções tecnologias

Além disso, outra forma de melhorar a saúde mental dos colaboradores é investindo em soluções tecnológicas. Mas a ideia aqui é conseguir aprimorar o dia a dia de trabalho desses profissionais, fornecendo mais ferramentas.

Assim, ele pode perder menos tempo com tarefas burocráticas, eles podem focar em ações mais estratégicas para as suas responsabilidades no ambiente de trabalho.

15. Converse com toda a equipe

Outra prática importante que deve ser adicionada ao dia a dia de trabalho é conversar constantemente com toda a equipe sobre temas variados. Sim, a saúde mental deve ser analisada, mas muito mais do que isso na prática.

Receba feedbacks, busque pela opinião dos profissionais, enfim, estimule a troca de informações mais ampla possível para que os colaboradores se sintam confortáveis em compartilhar todo e qualquer tipo de percepção.

Com as informações que você obteve até aqui, fica claro que a saúde mental é uma preocupação que vai além dos limites do escritório. Ela é uma peça fundamental do quebra-cabeça que compõe uma cultura de trabalho saudável e bem-sucedida, exigindo atenção e ações efetivas em diversas frentes. Então, aproveite as informações que trouxemos acima para elaborar o seu planejamento.

*Flavia Alencastro é diretora regional da Robert Half

Saiba como os recrutadores da Robert Half podem ajudar você a construir uma equipe talentosa de colaboradores ou avançar na sua carreira. Operando em mais de 300 locais no mundo inteiro incluindo nossas agências de empregos de São Paulo. A Robert Half pode te fornecer assistência onde e quando você precisar.

Mais em nosso Blog