Como melhorar o engajamento de colaboradores na empresa com o avanço da tecnologia?

Por Robert Half 18 de setembro de 2019

Por Mariana Horno

Para manter o desenvolvimento da equipe e a performance da organização em níveis elevados, é necessário implementar ações que aumentam o engajamento de colaboradores, especialmente em um contexto profissional cada vez mais virtual. Funcionários motivados e contentes com o trabalho têm maior propensão a não deixarem seus empregos, contribuindo para um turnover organizacional sob controle.

Além disso, tendem a ter melhor desempenho e maior produtividade, colaborando para o sucesso da empresa. Em tempos de revolução digital, isso pode ser potencializado com a ajuda de novas tecnologias e modos de trabalho surgidos em consequência delas.

Quer saber mais sobre importância de manter seus colaboradores engajados e como isso pode ser feito? Continue lendo e veja as dicas que preparamos!

Qual a importância do engajamento dos colaboradores para o sucesso da empresa?

O primeiro ponto é a questão motivacional: o funcionário deve ter uma experiência positiva dentro do trabalho, de modo a se sentir mais engajado naturalmente. Para isso, é preciso desenvolver um clima organizacional de bem-estar, com vistas a ter um ambiente de trabalho mais amigável.

Mesmo que a empresa tenha pressão por resultados, é dela a escolha de transformar isso em algo pesado ou leve. Contudo, é importante saber que uma experiência profissional mais leve costuma gerar menos resistência no trabalhador, o qual tende a se tornar mais motivado.

Com a motivação em alta, automaticamente tem-se um funcionário com maior produtividade e em sintonia com o que a organização espera de retorno dele. Portanto, cooperando de fato para o sucesso do negócio.

Para chegar a isso, são necessárias atitudes diárias que possibilitarão ao colaborador ter inúmeras experiências positivas e, assim, ficar engajado com a organização, mesmo sem perceber.

Como aumentar o engajamento dos colaboradores com os avanços tecnológicos?

Cada vez mais é importante incentivar o uso de tecnologia por parte dos colaboradores, especialmente das soluções que podem contribuir para seu trabalho e engajamento. Veja alguns exemplos adiante.

Home Office

O home office, por exemplo, permite ao funcionário evitar trânsito e economizar tempo de deslocamento para o local de trabalho, e atuar em um local mais familiar e cômodo. Não precisa envolver ausência física absoluta, mas ser uma possibilidade complementar, que dê conforto ao colaborador, sem abrir mão de regras nem diminuir o comprometimento com o trabalho

Para a empresa, fica a questão: há problema se o funcionário trabalhar em casa desde que seja efetivo e entregue o que precisa? Provavelmente não. Todavia, se a organização tiver uma cultura ou um líder inflexível, que faça questão da presença física, haverá empecilhos.

É preciso avaliar o que dá e o que não dá para ser feito a distância. Toda reunião necessita ser presencial? Será que todos os dias os colaboradores devem estar no ambiente de trabalho para serem produtivos? Todos os documentos entregues precisam ser, necessariamente, em cópias físicas?

Gestão remota

Outro caso em que a tecnologia pode ser valiosa, dessa vez no nível de liderança, é o suporte à gestão remota. Digamos que um gestor mudará de cidade e, para tanto, cogita deixar a empresa. Isso é mesmo necessário? Com a ajuda da tecnologia, é possível manter um gerenciamento à distância mesmo ele estando em outro país, até mesmo com outro fuso horário.

Uma situação semelhante ocorre com líderes que precisam realizar viagens de negócios, que têm outro trabalho ou que ficarão em outras unidades da empresa. Mesmo em localidades afastadas de suas equipes, eles ainda conseguem geri-las com uso de tecnologia.

Essa flexibilização permite manter um talento valioso para a empresa e ainda ajuda a preservar o engajamento do líder e da sua equipe, que não perde uma liderança com a qual está acostumada e nem precisa passar por um período de adaptação com outro gestor ou tipo de gerência.

É fundamental incentivar a adesão às novidades tecnológicas, capazes de gerar aumento de produtividade, otimização da performance e liberdade, começando por quem lidera o negócio.

Porém, para que essa anuência seja efetiva, e os funcionários não fiquem perdidos — sentindo-se inseguros em relação ao que podem fazer e até onde podem ir, é preciso transparência quanto ao que é aderente à cultura da empresa e ao que não é.

Atualmente, manter estruturas antigas, evitando novas tecnologias, pode causar reação inversa e impedir que os colaboradores rendam mais.

Quais tipos de ações podem ser promovidas para elevar o engajamento?

Alinhar o RH e a liderança

Antes de passar aos funcionários, é preciso que haja um trabalho colaborativo engajado entre a liderança e o RH, para que promovam uma mudança cultural.

Os dois grupos precisam estar alinhados quanto aos novos valores e práticas que visam ao aumento dos níveis de motivação e engajamento dos colaboradores.

Deixar claras as práticas aceitas na empresa

Como apontado acima, é preciso mostrar com clareza para o funcionário quais são as regras, valores e ações diárias da empresa que o levarão a ter uma experiência positiva e, por consequência, se tornar mais motivado. Essa comunicação também requer uma atuação conjunta entre o RH e a liderança.

Valorizar atitudes individuais positivas para a motivação da equipe

Também é importante valorizar ações do colaborador, feitas dentro do escopo de seu próprio trabalho, que trouxeram um retorno além do esperado. Ou, ainda, que geraram diferença na experiência positiva sentida pelos seus colegas.

Isso é importante para quem usufrui da experiência mas, principalmente, para quem a realiza, pois o estimulará a continuar pondo em prática outras atividades benéficas aos demais. Esse tipo de atitude deve estar relacionado à cultura organizacional e, consequentemente, ao seu RH.

Atender às expectativas e necessidades da nova geração

O mercado de trabalho, no século XXI, conta com uma nova geração de pessoas muito afeitas às ações que geram bem-estar global.

Tais trabalhadores não desejam apenas dinheiro, precisam ir além da execução das atividades de que gostam, estando conectados com ações sociais ou algo que contribua para a melhoria da vida no planeta. Isso os torna felizes porque também vêm propósito ético em suas atividades profissionais.

Portanto, para conseguir o engajamento desse grupo, é necessário que ele perceba que a empresa onde trabalha apoia as questões ambientais, sociais, culturais etc — que trazem retornos positivos para o mundo, e não só acúmulo de capital para a organização.

Quais erros prejudicam o engajamento dos funcionários?

Falta de engajamento da liderança

Quando os funcionários não são bem orientados quanto ao que podem ou não fazer, não se sentem respeitados por suas habilidades, nem amparados em suas fragilidades, perdem o estímulo necessário ao bom desenvolvimento de suas tarefas diárias. Por isso, o papel da liderança é vital para o engajamento e o aumento da eficiência de uma equipe.

O bom líder deve conhecer profundamente todo o potencial realizador de cada funcionário, e empreender políticas que melhorem a experiência profissional de todos, minimizando as possibilidades de erros e desânimos no trabalho. Assim, ele certamente será respeitado e influenciará positivamente a produtividade de seu time.

Adotar tecnologias sem preparação e sem regras de uso

Já vimos que adotar novas tecnologias no trabalho ajudam a aumentar o engajamento, porém essa ação deve ser feita com planejamento. Isso porque algumas tecnologias aumentam a distração entre os colaboradores e, em vez de ajudarem, acabam por prejudicar a produtividade.

Para manter um equilíbrio entre tecnologia e atenção, é importante realizar um trabalho de conscientização interna com os funcionários e oferecer dicas que possam ajudá-los a se manterem focados não só no trabalho, como em suas vidas pessoais. Por exemplo, incentivando o uso de aplicativos que ajudam a evitar distrações, dando sugestões de organização pessoal e ensinando sobre gestão do tempo.

Tentativa compulsória de mudança

Não adianta a empresa implementar mudanças forçadas ou querer transformar o negócio em um sistema menos hierárquico, se suas regras são inflexíveis. A organização deve ter um ambiente aberto e amigável, realizar reuniões menos presenciais e mais online, fomentando o engajamento aos ativos virtuais, para que as pessoas tenham mais liberdade e conforto.

Toda mudança deve ocorrer da maneira mais natural e fluída possível, com ações bem planejadas, e que garantam experiências positivas e estimuladoras a todos os envolvidos. É necessário que cada funcionário sinta que está crescendo à partir das mudanças realizadas em seu contexto profissional.

Independentemente do quê, o como é o ponto principal. Se a empresa realiza um evento familiar, por exemplo, é preciso que o colaborador se sinta parte daquilo e tenha experiências sensoriais para estar motivado a participar. Assim, é possível melhorar o engajamento de colaboradores, fazer com que eles se sintam bem no ambiente de trabalho e contribuam de fato com ele.

Quer receber mais conteúdos como este?

Se você gostou deste post, assine nossa Newsletter para receber mensalmente artigos relacionados à dicas de carreira, recrutamento e mercado de trabalho.

* Mariana Horno é Gerente Sênior de Recrutamento da Robert Half. 

More From the Blog...