Saiba como funciona a contratação online de um profissional C-level

Por Robert Half on 15 de fevereiro de 2021

Uma contratação C-Level online não é algo fácil. Além das dificuldades usuais na escolha de uma das principais lideranças da empresa, a distância normalmente complica ainda mais o trabalho dos recrutadores. Afinal, eles não podem contar com algumas ferramentas, como a leitura corporal, que só funcionam presencialmente.

Entretanto, seja pela distância, pela otimização do tempo ou até pelo contexto da pandemia do novo coronavírus, os processos remotos de seleção já se tornaram rotina e é preciso se adaptar e explorar as possibilidades e as estratégias desse novo meio. 

Envie sua vaga

Para conhecer melhor as vantagens e as desvantagens da contratação online para o C-Level, conversamos com Mario Custodio, Diretor Associado da divisão de Executive Search da Robert Half, que explicou como funciona essa nova realidade.

Boa leitura!

Como funciona o recrutamento online para um profissional do C-Level?

A contratação de um executivo do C-Level, ou seja, que assumirá uma das lideranças fundamentais da empresa, sempre começa com a etapa de busca e seleção de potenciais candidatos. Por ser um perfil específico e extremamente qualificado, encontrar esses talentos por si só já é um grande desafio — sempre foi. Nessa primeira etapa do recrutamento, o modelo online não mudou muito coisa.

“O contato ainda é feito de forma similar”, sumariza Mario Custodio. “Esse primeiro contato é importante para entender o momento profissional da pessoa e o interesse dela em novas oportunidades. A partir disso, combinamos uma conversa mais longa e intensa”, explica ele.

Caso o executivo viva um momento oportuno para uma mudança de carreira e um novo desafio, ou seja, disposto a conhecer a proposta do recrutador, muito provavelmente uma próxima conversa mais longa será agendada. A grande diferença aqui é que, em vez de encontros presenciais, os compromissos serão online, por vídeo.

“Só então que se agenda uma entrevista para explorar melhor a carreira do profissional e quais as suas realizações, além das suas motivações, para com isso avaliar se faz sentido essa transição e se devemos incluir esse candidato no processo seletivo”, completa Mario.

Antes mesmo da pandemia, já existiam muitos processos que eram conduzidos online ou remotamente, com um primeiro contato por telefone, e-mail ou mensagem, e a próxima conversa por vídeochamada. O que mudou é que agora os encontros presenciais são incomuns e os online se tornaram a regra.

“Muitas vezes, as pessoas perguntam se já conduzimos processos de executivos que foram 100% de forma online, 100% por meio de vídeo, e a resposta é sim”, revela o Diretor Associado da Robert Half. “Na área de manufatura, logística ou indústria, por exemplo, é mais comum que esse executivo tenha encontros presenciais e trabalhe fisicamente no local. Contudo, temos outras empresas e outras funções nas quais o executivo só conheceu sua equipe por vídeo”, analisa.

Quais as desvantagens e os desafios da contratação C-Level online?

Mesmo com os avanços na qualidade das videochamadas e possibilidades de conversas online, elas não são — e provavelmente jamais serão — como um encontro presencial, no qual é possível avaliar muito melhor a postura, a atitude emocional e outros elementos importantes para entender se o executivo se encaixa culturalmente na empresa.

“Por mais que você veja a pessoa, ainda é muito diferente do contato presencial. Tem uma questão de linguagem corporal, que faz parte do contato presencial, que é diferente. Esse é um dos principais desafios na hora de contratar um executivo no modelo online”, destaca Mario.

Como o contratado será um executivo com muita responsabilidade, influência e relevância na organização, a seleção no C-Level não se resume à capacidade técnica. É preciso entender muito bem o entrevistado e, para isso, o recrutador tenta estabelecer uma conexão mais profunda.

“Percebe-se que, quando avançamos para as etapas finais, especialmente próximo à conclusão, existe a indagação de conhecer pessoalmente. Por isso, em muitos processos, as empresas se esforçam para viabilizar um encontro na última conversa, porque você se conecta melhor com esse contato”, aponta Mario Custodio.

Quais as oportunidades e as vantagens do recrutamento remoto?

Apesar dos desafios, existem oportunidades que podem ser exploradas pelo recrutador no recrutamento remoto. A principal vantagem aqui é a facilidade de conseguir agenda para conversar com o candidato, que geralmente não costuma ter muito tempo livre, já que muitas vezes está ocupado com o seu trabalho atual.

“Como não tem a preocupação com o deslocamento para o local da entrevista, isso acaba ajudando do ponto de vista de agenda”, avalia Mario. “Talvez esse seja o maior ganho, fica mais fácil casar um horário em comum, com mais espaços e mais flexibilidade para essa conversa, porque não tem que gastar tempo com o deslocamento”, enfatiza ele.

Além disso, em um contexto no qual a conversa por vídeo faz parte não apenas dos processos seletivos, como também da realidade operacional de muitos negócios, é interessante avaliar como o executivo se expressa na videochamada, que será usada o tempo todo no seu cotidiano.

Quais os pontos de atenção na contratação C-Level online?

Salvo os detalhes já citados, os pontos de atenção são comuns na contratação de um executivo para o C-Level, seja no recrutamento online ou presencial.

“Em primeiro lugar, é importante entender as necessidades da empresa, sua cultura e o que ela esperado profissional a ser contratado. Além disso, saber onde a empresa está e onde ela quer chegar é fundamental para traçar o perfil do profissional, evidenciando as principais competências que ele precisa para ter sucesso na cadeira”, ressalta Mario Custodio. “Só a partir daí será possível, nas conversas, encontrar os candidatos ideais”, complementa.

Você precisa contratar talentos remotamente? Então, conte com a Robert Half para ter os melhores profissionais na sua equipe!

Recrutamento especializado

More From the Blog...