A sua técnica te levará a gestão. E o seu comportamento?

Por Robert Half 15 de julho de 2019

Por Fernando Mantovani

Já ouvi alguns profissionais se queixando de que colecionam importantes certificações no currículo, mas ainda não conseguiram ser alçados a um cargo de comando. Eu, particularmente, valorizo colaboradores preocupados com a atualização constante e os que conhecem a operação da empresa, mas preciso admitir que apenas conhecimento técnico não elege as pessoas para um cargo de gestão. É preciso muito mais!

Em um processo seletivo para um cargo de líder, os empregadores esperam que o candidato:

  1. Saiba se comunicar - Hoje, os profissionais têm muita necessidade de serem ouvidos e saberem os objetivos das ações. Então, na posição de líder, é preciso ser capaz de estabelecer diálogos claros, objetivos e estruturados com fortes argumentos. Isso vale quando você for transmitir uma ideia, delegar uma ação, dar feedbacks, conduzir uma reunião, redigir um e-mail ou em outro momento de comunicação. Não deixe o interlocutor com dúvidas sobre o que você deseja comunicar. É sempre válido verificar a compressão da mensagem.
     
  2. Estabeleça bons relacionamentos - Respeite todas as pessoas, independentemente do nível hierárquico que ela ocupe ou das diferenças que vocês tenham, seja com relação a posição social, gênero, preferências, ideias ou crenças. Os profissionais buscam líderes nos quais possam se inspirar, do contrário a tendência é que se desliguem da companhia ou busquem transferência para outra área. Essa boa prática faz um bem enorme para a harmonia do grupo. Além disso, considere que os organogramas das empresas são muito rotativos, fazendo com que você não saiba quem será o seu chefe amanhã.
     
  3. Tenha equilíbrio emocional - É fundamental que você reaja à pressão ou aos contratempos de maneira que as suas emoções não causem pânico nas pessoas que estão à sua volta. Como digo sempre, diante de situações desafiadoras é preciso pensar com a cabeça e não com o estômago. Para melhorar essa habilidade, procure ter mais atenção aos próprios sentimentos diante de diferentes situações e busque mecanismos para lidar com eles de uma maneira mais racional. Nem sempre acontecimentos podem ser controlados, mas a forma como lidamos com eles está em nossas mãos.
     
  4. Demonstre abertura para o diálogo - Ninguém é dono da razão. Às vezes, o ponto de vista de outra pessoa complementa o seu ou muda completamente sua percepção sobre uma situação. E, isso não é demérito. O ruim é ser resistente às opiniões alheias e oportunidades de crescimento ou a adesão a novas ideias. Para treinar essa habilidade, procure manter sua avaliação no ponto de vista do outro e não na pessoa que o apresenta, deixando de lado a necessidade de ter sempre razão. Caso chegue à conclusão de que sua opinião é o melhor caminho, apresente isso com humildade.
     
  5. Apresente comprometimento com prazos e qualidade - Dificilmente você chegará a um cargo de gestão se não conseguir administrar a execução das tarefas do seu dia de maneira organizada, sem comprometer o resultado dos negócios. Para treinar essa habilidade, sempre que receber convocação para um projeto procure entender o objetivo dele, quais ações estarão sob a sua responsabilidade e o que esperam sobre o seu desempenho. Com essas informações em mente, cumpra prazos e tenha atenção para a qualidade das entregas. Faça disso seu padrão de trabalho.

 

As habilidades comportamentais que citei são importantes em todos os estágios da carreira, então minha recomendação é que você comece a praticá-las agora. Espero que elas ajudem tanto na vida pessoal quanto profissional.

*Fernando Mantovani, é diretor geral da Robert Half.

Dicas para suas Entrevistas de Emprego

More From the Blog...