Momento é favorável para profissionais de RH, aponta Robert Half

5 de março 2013

 

São Paulo, março de 2013 – De acordo com a líder mundial em recrutamento especializado Robert Half, a demanda por profissionais de Recursos Humanos aumentou em 2012 e a expectativa é de que o setor continue aquecido em 2013. Criada oficialmente no início do ano passado, a Divisão de RH da multinacional destaca esse bom momento do setor e aponta quais são os perfis de profissionais mais procurado pelas empresas.

O principal motivo apontado para o bom desempenho que a área vem obtendo nos últimos anos é o fato de o setor de RH ter ganhado espaço dentro das organizações. “Antes, era uma área vista como suporte e hoje está mais próxima ao negócio”, afirma Mário Custódio, gerente da Divisão de RH da Robert Half.  “Além disso, ainda existem empresas sem estrutura e que precisam criar o setor interno”. As companhias, de uma forma geral, passaram a enxergar o RH como uma estrutura mais robusta e estratégica, e não mais como uma área de atendimento e suporte.

Para aqueles que estão em busca de uma oportunidade na área, é preciso ficar atento ao perfil e as características valorizadas em um processo de seleção. “O profissional precisa entender do negócio e ser versátil a ponto de conseguir transitar em todos os níveis da organização. Comunicação, relacionamento interpessoal e interesse no negócio também são fundamentais na hora da escolha”, ressalta Custódio. Segundo o executivo, no ano passado as empresas buscaram principalmente o RH generalista, consultor interno e para a área de remuneração e benefícios.

Já em termos salariais, o segmento que se destaca por estar acima da média é o de remuneração e benefícios, pois exige conhecimento específico do profissional. Já nas demais, o crescimento salarial tem acompanhado o ritmo do mercado.  Mas, apesar de o momento ser favorável, Custódio ressalta que ainda são encontradas algumas dificuldades na hora de se preencher uma vaga. Segundo ele, para oportunidades em multinacionais o segundo idioma é indispensável e muitos candidatos não o possuem com fluência. Outro fator apontado pelo executivo e que também dificulta a seleção é que as empresas possuem estruturas diferentes e o profissional não preenche todos os requisitos e teria que aprendê-los no dia a dia.

De acordo com o responsável pela divisão de RH da Robert Half, a expectativa para 2013 é que esse setor continue aquecido, com oportunidades geradas em empresas de pequeno, médio e grande portes.

 

Compartilhar essa página