ICRH: otimismo no mercado de trabalho desacelera levemente

Estudo da Robert Half mapeia o sentimento dos profissionais com relação ao momento atual do mercado e o futuro

Estudo da Robert Half mapeia o sentimento dos profissionais com relação ao momento atual do mercado e o futuro

 

A 8ª edição do Índice de Confiança Robert Half – ICRH indica um leve aumento da preocupação das categorias mapeadas (desempregados, empregados e recrutadores) quanto ao mercado de trabalho atual. Porém, na média geral, os profissionais permanecem confiantes para os próximos seis meses, com índice acima de 50 pontos. “O otimismo iniciado nos últimos meses de 2018 desacelerou no segundo trimestre de 2019, principalmente por conta das incertezas quanto às reformas estruturais ainda não aprovadas no Congresso Nacional”, aponta Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half no Brasil.

Apesar da leve queda na confiança e na alta de quase 0,8 p.p no desemprego entre os profissionais qualificados (mais detalhes abaixo), o índice de desempregados nesta faixa segue baixo, em comparação com a taxa da população em geral. “O momento é de planejamento para novas contratações e também de olhar para dentro de casa para eventuais substituições que ajudem no cumprimento de metas, além de sair na frente da concorrência quando o mercado definitivamente acelerar”, diz.

Confiança dos Profissionais no Mercado de Trabalho
(Fonte 8ªedição do Índice de Confiança Robert Half – ICRH)

gráficos

 

Está difícil encontrar profissionais qualificados – Considerando o avanço da tecnologia, o Índice de Confiança Robert Half – ICRH mapeou que 81% dos profissionais responsáveis pelo preenchimento de vagas nas companhias acreditam que falta mão de obra qualificada no mercado. “O momento pede por profissionais que se mantenham atualizados quanto às tendências tecnológicas e os benefícios que elas podem agregar para o negócio. É preciso assumir um perfil consultivo dentro da área e da empresa e, claro, não descuidar das habilidades comportamentais”, reforça Mantovani.

Nível de desemprego entre qualificados é 6,6 p.p. menor – O índice de desemprego entre os profissionais com 25 anos de idade ou mais e nível superior completo registrou alta de 0,8 p.p em relação ao último trimestre, chegando a 6,1%, enquanto o desemprego da média geral da população está em 12,7%.  Considerando o número de profissionais qualificados disponíveis para início imediato não é tão alto – principalmente quando se considera aqueles que atendam a todas as qualificações necessárias -, a recomendação é que, diante da necessidade de preencher uma vaga, a empresa estruture um processo de recrutamento e respeite as etapas estabelecidas. “Mas é importante tomar cuidado para não alongar-se demais e perder bons profissionais para a concorrência”, avisa Mantovani. 

desemprego

 

Projetos especializados - Diante de demandas extras de trabalho, sejam elas programadas ou emergenciais, muitas companhias têm contato com empresas especializadas que alocam mão de obra especializada por projeto. Elas garantem a completa execução da atividade, desde a definição das necessidades da companhia até a entrega dos resultados, no menor tempo possível. A maioria dos consultores que atuam nesses projetos, que têm data para início e término, avaliam a experiência como positiva. Entre os benefícios citados, destacam-se: a oportunidade de adquirir experiência (84%), o networking (67%) e a flexibilidade (56%). A modalidade de contratação, que está consolidada na Europa e nos Estados Unidos, ganha cada vez mais força no Brasil.

Outros insights da 8ª edição do Índice de Confiança Robert Half – ICRH:

  • Principais desafios do processo de recrutamento - encontrar profissionais qualificados (opinião de 46% dos recrutadores entrevistados), encontrar um profissional que se encaixe à cultura e ao clima da empresa (31%) e criar pacote de benefícios atrativos (8%);

  • Áreas com mais escassez de profissionais qualificados - tecnologia (54%), finanças e contabilidade (30%) e engenharia (29%); e

  • Itens mais valorizados pelo candidato na escolha da vaga - possibilidade de crescimento (opinião de 40% dos profissionais qualificados), pacote de benefícios (20%) e valores e propósito da empresa (17%). 

Metodologia do ICRH – Lançado em agosto de 2017, o Índice de Confiança Robert Half – ICRH é um indicador de difusão que varia de 0 a 100. Os indicadores de difusão são de base móvel (50 pontos), construídos de forma que os valores acima de 50 pontos indicam agentes do mercado de trabalho de profissionais qualificados confiantes. A 8ª edição do ICRH é resultado de uma sondagem conduzida pela Robert Half entre os dias 2 de abril e 2 de maio de 2019, com base na percepção de 1161 profissionais, igualmente divididos em três categorias: recrutadores (profissionais responsáveis por recrutamento nas empresas ou que têm participação no preenchimento das vagas); e profissionais qualificados empregados e desempregados (com 25 anos de idade ou mais e formação superior). Todos distribuídos regional e proporcionalmente pelo Brasil, de acordo com os dados do mercado de trabalho coletados na PNAD. Para os cálculos da taxa de desemprego dos profissionais qualificados, foram utilizados os microdados da PNAD trimestral, fornecidas pelo IBGE em seu portal, executando recortes na amostra para condizer com o perfil de profissionais qualificados. Para os profissionais contratados para projetos não foram observados os critérios estatísticos adequados, portanto seu resultado deve ser interpretado com cautela.