Executivos estão mais dispostos a negociar salários

26 de janeiro 2012

Robert Half, líder mundial em recrutamento especializado, oferece dicas para o sucesso nas negociações salariais 

São Paulo, janeiro de 2012 – O momento é favorável para quem busca melhorar a remuneração, segundo recente pesquisa da Robert Half, líder mundial em recrutamento especializado, com 1.600 CFOs (do inglês Chief Financial Officer) de empresas dos EUA e Canadá. O levantamento mostra que mais de um terço (38%) dos executivos entrevistados estão dispostos a negociar os salários com os candidatos mais qualificados, em comparação há 12 meses. Apenas 5% dos entrevistados estão menos dispostos a negociar salários.

Os CFOS foram questionados se estariam mais ou menos dispostos a negociar salários com os melhores candidatos a emprego, que há 12 meses. O resultado da consulta foi o seguinte: Muito mais disposto, 11%; um pouco mais disposto, 27%; nenhuma diferença, 54%; um pouco menos disposto, 4%; muito menos disposto, 1%; não se aplica, 3%.

A Robert Half também produziu sete dicas para quem quer ter sucesso numa negociação salarial. Confira abaixo:

  1. Seja realista: Entenda se a empresa está em posição de barganhar e saiba disso antes de tentar qualquer negociação salarial. Caso você esteja pleiteando uma oportunidade em uma ‘start-up’ ou em uma empresa que tenha anunciado recentemente demissões ou fraco resultado financeiro, a chance de obter êxito pode ser limitada.
  2. Seja assertivo. Não entre em negociações sem fazer a sua lição de casa. Pesquise sobre as últimas tendências de salário em sua cidade, segmento de atuação e cargos, revendo estudos e publicações sobre remuneração, como o Guia Salarial da Robert Half, além de conversar com colegas e headhunters.
  3. Espere sua chance. Tenha paciência e aguarde o executivo colocar o tema “salário” na pauta da entrevista e certifique-se de compreender plenamente os requisitos da vaga antes de responder perguntas sobre o seu salário desejado. Consulte potenciais empregadores sobre qual seria uma boa margem de negociação para a posição almejada, evitando propostas nem muito acima e nem muito abaixo da realidade.
  4. Busque sua meta. Se a proposta salarial oferecida pelo executivo não atender à sua expectativa, não há problema em propor uma compensação extra. É comum que empregadores iniciem a conversa pelo valor mais baixo, dando margem a negociações.
  5. Não blefe. Nunca é uma boa estratégia enganar ou omitir informações sobre sua remuneração atual ou sobre ofertas de emprego com remunerações superiores na tentativa de obter mais vantagem financeira. Em vez disso, tente reforçar o seu valor para a empresa e seja honesto sobre o salário desejado.
  6. Não pense apenas na questão financeira. Certifique-se de analisar todos os aspectos de uma oferta de emprego. Um pacote de benefícios generoso ou oportunidades de aprendizado e crescimento podem compensar um salário menor inicialmente, por exemplo.
  7. Termine em bom tom. Caso as negociações não saiam da forma esperada, e você decida declinar a oferta, faça isso de forma elegante e em tom de agradecimento. Nunca se sabe quando se pode encontrar o executivo novamente.

Para evidenciar alguns dos principais erros cometidos em negociações salariais, principalmente aqueles cometidos por profissionais em busca de aumento a qualquer custo, a Robert Half produziu os divertidos vídeos “Atenda o telefone” e “Mamãe”. As produções fazem parte da série “Não Deixe Isso Acontecer com Você” e podem ser conferidas aqui

Sobre a Robert Half
A Robert Half é a primeira e maior empresa de recrutamento especializado no mundo. Fundada em 1948, a empresa opera sete divisões no Brasil, selecionando executivos de finanças, contabilidade, mercado financeiro, engenharia, tecnologia, jurídico, marketing e vendas. A Robert Half tem mais de 340 escritórios presentes nos EUA e Canadá, Europa, Ásia, América Latina e Oceania.

 

 

Compartilhar essa página