Entrevista por videoconferência cresce mais no Brasil e Chile

15 de outubro 2013

São Paulo, abril de 2013 – A utilização de ferramentas de videoconferências para realização de entrevistas aumentou em torno de 52% no Brasil nos últimos três anos, aponta pesquisa global da Robert Hal, líder mundial em recrutamento especializado. O País ficou atrás apenas do Chile, que registrou crescimento de 57% no mesmo período.

Melhoria na qualidade da tecnologia de videoconferências, aumento no recrutamento de candidatos de outras cidades e de outros países, pré-seleção de profissionais para uma entrevista pessoal foram os principais motivos apontados pelas empresas para o aumento da utilização dessa ferramenta nos processos seletivos.

Porém, para participar de uma entrevista por videoconferência, os candidatos precisam estar atentos a outros fatores além da imagem, tom de voz e postura. “O profissional também precisa controlar o ambiente para evitar que algo possa atrapalhar o processo, como crianças, animais de estimação, telefone, sons, entre outros”, afirma Fábio Saad, gerente sênior da divisão de Finanças e Contabilidade e Mercado Financeiro da Robert Half.

A pesquisa, realizada em 19 países, contou com a participação de 1.775 Diretores de RH, sendo 100 de empresas brasileiras. Entre os participantes que registraram menor crescimento encontram-se Holanda e Alemanha, com 16% cada.  

 

Compartilhar essa página