Brasil: o País onde os diretores mais têm dificuldade para encontrar profissionais qualificados

Pesquisa da Robert Half aponta que a questão é um grande dilema para 76% dos entrevistados brasileiros, enquanto na média global o índice é de 42%

São Paulo, março de 2018 – Estudo realizado pela Robert Half com diretores gerais e CFOs do Brasil revelou que 76% dos executivos entrevistados sentem muita dificuldade para encontrar profissionais qualificados no mercado. Outros 23% dos respondentes avaliam a missão como um pouco desafiadora e apenas 1% não encontra dificuldade.

Na média mundial, o alto nível de dificuldade para encontrar profissionais qualificados é apontado por menos da metade dos entrevistados (42%). “Grande parte do sucesso das organizações depende de uma equipe de colaboradores bem estruturada. Por essa razão, o processo de contratação deve estar no topo das ações estratégicas das companhias”, explica Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half. “A competição pelos melhores profissionais é constante e se acentua em momentos de retomada. De acordo com dados da terceira edição do Índice de Confiança Robert Half, a taxa geral de desemprego é de 11,8%, porém, quando consideramos apenas profissionais com 25 anos de idade ou mais e formação superior, esse percentual cai para 5,7%”, ressalta.

O Brasil lidera a lista do ranking de diretores que afirmam terem elevada dificuldade para encontrar profissionais qualificados, à frente de outros 12 países, como: Austrália (57%); Emirados Árabes (54%); Nova Zelândia (45%); Reino Unido (44%); Singapura (41%); Holanda (40%); Hong Kong (39%); Alemanha (36%); Chile (32%); Suíça (30%); Bélgica (27%); e França (26%).

De acordo com Mantovani, o primeiro erro cometido pelos gestores no processo de contratação é não avaliar o panorama de suas necessidades. “Contratar um profissional é mais do que preencher uma cadeira. É preciso entender, por exemplo, se o cenário pede uma contratação permanente ou temporária, quais são as atribuições do cargo e necessidades quanto ao perfil do profissional. Outra questão está relacionada ao universo de candidatos a serem entrevistados. A seleção ideal deve considerar os que estão disponíveis no mercado e os talentos que se encontram em atividade. É preciso estabelecer processos rápidos, mas completos”, reforça.

Estratégias para encontrar o profissional certo (fonte: Robert Half):

  1. Reflita sobre o volume de trabalho – Faça uma previsão com base nos negócios atuais e projeções para os meses seguintes.
  2. Avalie sua atual equipe – Reflita sobre as qualificações técnicas necessárias para as atividades do seu departamento e/ou empresa e faça um cruzamento delas com as habilidades dos membros de sua atual equipe, mapeando as competências que estão em falta.
  3. Considere contratar profissionais por projetos (temporários) – Não há necessidade de inflar o quadro de profissionais permanentes diante de uma demanda pontual que tem data para início e término. Muitas empresas têm utilizado mão de obra especializada para cargos que vão de analistas a gerentes, e os profissionais têm gostado de atuar nessa nova modalidade. Os executivos temporários são, inclusive, uma excelente opção para empresas que desejam ter mais tempo para o preenchimento de uma posição-chave.
  4. Ao anunciar uma oportunidade de trabalho, revise a descrição da vaga – Uma descrição precisa, com atribuições do cargo e qualificações desejadas, ajuda o empregador a refinar o foco da busca, contribuindo para uma melhor escolha.

A pesquisa global da Robert Half sobre dificuldade para encontrar profissionais qualificados foi realizada em dezembro de 2017 com base na percepção de 4849 executivos de 13 países, entre gerentes gerais e CFOs. No Brasil, foram ouvidos 402 executivos.