87% dos diretores de RH do Brasil acreditam na valorização dos temporários

23 de abril 2015

Pesquisa da Robert Half indica igualdade de importância entre os dois modelos de contratação, em cinco anos

São Paulo, abril de 2015 – Em até cinco anos, os profissionais temporários deverão igualar o grau de importância dos colaboradores permanentes dentro das organizações. Esta é a opinião de 87% dos diretores de Recursos Humanos entrevistados em uma pesquisa da Robert Half, realizada em novembro de 2014, considerando a opinião de 1675 gestores de 12 países, sendo 100 brasileiros.

Lucas Nogueira, Gerente de divisão da Robert Half, credita essa perspectiva ao amadurecimento do mercado de trabalho, que tem enxergado o profissional temporário como um especialista para ocupar posições estratégicas nas companhias, por exemplo, na implantação de sistemas e processos. Nos grandes centros, as oportunidades estão nas áreas de tesouraria, contas a pagar e receber, tributária e tecnologia da informação.

De 2009, ano do início da operação da divisão de temporários da Robert Half, até hoje a empresa registra crescimento de sete vezes na demanda por esse perfil profissional. “Esse modelo de trabalho coloca à disposição do mercado executivos com expertise, sem a necessidade de assumir os custos de uma contratação de longo prazo para projetos com tempo determinado. Se a demanda se estender, a empresa já tem um profissional testado para uma possível oferta permanente”, explica Nogueira.

A pesquisa da Robert Half indica ainda que as principais razões para o aumento da contratação de temporários no Brasil são: necessidade de mais flexibilidade de recursos (31%); análise de custo (28%); desenvolvimento de mais trabalhos com base em projetos (18%); e capacidade de desenvolver habilidades não disponíveis na empresa (15%). No processo de contratação dos profissionais temporários de média e alta gerência as habilidades mais valorizadas são a capacidade de autogestão, especialização, proatividade e domínio do idioma inglês.

A contratação de mão de obra temporária é regulamentada pela Lei Federal 6.019, para o período de três meses, podendo ser estendida por igual período.

Confira abaixo a lista de países e a porcentagem de diretores de RH que concordam que nos próximos cinco anos, o local de trabalho tradicional vai evoluir, onde profissionais temporários irão desempenhar um papel mais importante, ao lado de funcionários permanentes.

colocação

países

%

Chile

93%

Reino Unido

90%

Nova Zelândia

Brasil

Austrália

87%

Emirados Árabes

83%

Holanda

81%

Áustria

Alemanha

80%

França

Bélgica

78%

Suíça

71%

 

Principais razões para o aumento de contratações de temporários, no Brasil

31% necessidade de mais flexibilidade de recursos

28% análise de custo

18% desenvolvimento de mais trabalhos com base em projetos

15% capacidade de desenvolver habilidades não disponíveis na empresa

2% capacidade de planejamento econômico flutuante

2% apoio ao aumento da carga de trabalho

 

Sobre a Robert Half

A Robert Half é a primeira e maior empresa de recrutamento especializado no mundo. Fundada em 1948, a empresa opera no Brasil, selecionando profissionais temporários e permanentes nas áreas de finanças, contabilidade, mercado financeiro, seguros, engenharia, tecnologia, jurídico, RH, marketing e vendas e cargos de alta gestão. Ao todo são 340 escritórios na América do Norte, Europa, Ásia, América do Sul e Oceania. A Robert Half foi eleita “A Empresa Mais Admirada do Mundo”, na categoria prestadora de serviço, de acordo com pesquisa 2015 da Revista Fortune. Há 16 anos, a empresa está presente em um dos mais importantes rankings do mundo.

 

Compartilhar essa página