Você é ético no trabalho?

Por Juliana Porto

Escândalos de corrupção envolvendo companhias pipocam diariamente nos jornais e na televisão.  Discussões sobre o assunto no Brasil nunca estiveram tão em voga. Enquanto políticos e homens que já foram considerados grandes executivos estão sendo cobrados pelo o que fizeram, como você lida com determinadas situações no ambiente corporativo?

Se você fica sabendo que outro funcionário da empresa está fazendo algo errado, você conta ou tem medo de ter fama de dedo-duro? E se o corrupto for seu chefe? Não há dúvida: denunciar um colega ou um superior é obrigação de todo profissional. Para se proteger e garantir que está realmente falando a verdade, é preciso, em primeiro lugar, tem certeza de que houve algo errado. Para comprovar que tem razão, é bom ter provas e, se possível, testemunhas.

Você já mentiu em uma entrevista de emprego? Não pode e não deveria. É a sua reputação que está em jogo e há várias maneiras de descobrir se você está ou não falando a verdade. Já durante a entrevista, o headhunter consegue perceber se você está sendo sincero. Além disso, a checagem de referência e experiência também exclui automaticamente quem fraudou o currículo. Não hesite em dizer a verdade.

Você assume seus erros? É o que deve ser feito. Se você vai ter os os louvores por suas suas conquistas, também deve ter os créditos das suas falhas. Então assuma sempre se fez algo errado. Mentir com intenção de enganar alguém ou apenas para deixar você mais confortável diante de alguma situação é pior - e em algum momento poderá ser descoberto.

* Juliana Porto é jornalista desde 2005 e começou sua carreira escrevendo justamente sobre... carreiras! De lá para cá, já cobriu finanças pessoais, consumo e tecnologia em redações no Rio e São Paulo, mas sempre acaba voltando ao tema com que começou sua vida profissional.

Compartilhar essa página