O reconhecimento e a evolução da mulher no mercado de trabalho

Valorização da mulher no mercado de trabalho

*Por Gabrielle Moreira

Nos últimos anos temos acompanhado a evolução da mulher no mercado de trabalho. Segundo um levantamento realizado pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos e analisado pela revista Forbes, as carreiras nos setores de tecnologia e saúde são os com maior índice de valorização das mulheres no mercado de trabalho. As ocupações que entraram na lista do órgão possuem ao menos 50 mil trabalhadores em exercício, com média de pagamento semanal mínima de US$ 1.148.

Salário das mulheres

A primeira posição do ranking não surpreende. O cargo de CEO está no topo da lista de salários das mulheres executivas, de acordo com a publicação, em 2015, as mulheres que exerciam a função registravam um ganho médio semanal de US$ 1.836. Por enquanto, cerca de 27% dos cargos nos Estados Unidos são preenchidos por mulheres.

Indústria farmacêutica

As mulheres farmacêuticas ocupam o segundo lugar, com ganhos médios de US$ 1.811. Algumas outras funções na área de saúde também compõem o ranking. Enfermeiras estão na quinta posição, com ganho semanal médio de US$ 1.522 e fisioterapeutas na 18ª, a US$ 1.215 na semana. Entraram na lista profissões como psicólogas, gestoras de servições médicos e de saúde e fonoaudiólogas.

Salários na área jurídica

As profissionais da área jurídica vêm em terceiro lugar e, segundo a publicação, ocupam 40% do total dessas vagas no país. A remuneração semanal média é de US$ 1.717. As profissões associadas a ciências, tecnologia, engenharia e matemática – que compõem um único grupo – tiveram uma forte presença e ocupam o sexto lugar, com US$ 1.500 na média semanal.

De acordo com dados do Global Gender Gap Report 2015, levantamento do Fórum Econômico Mundial, a diferença entre os salários entre homens e mulheres diminuiu nos últimos dez anos. Apesar de ser um sinal positivo, um estudo feito pela Robert Half mostra que muitos acreditam que homens e mulheres não têm as mesmas chances de crescimento profissional.

Queremos saber a sua opinião sobre o reconhecimento das mulheres no mundo corporativo. Conte para nós!

Confira também o artigo: Eu nunca pedi promoção ou aumento de salário, que conta a história de Marry Barra, CEO da GM.

Gabrielle Moreira é jornalista e escreve sobre economia, finanças, carreiras e comportamento há mais de dez anos. Depois de uma temporada no Valor Econômico de São Paulo, mudou-se para o Rio de Janeiro e agora reporta diretamente de seu home office na cidade maravilhosa.

Compartilhar essa página