Vale a pena voltar ao antigo emprego por um salário menor?

Por Gabrielle Moreira

A tentativa de readmitir funcionários que tiveram de ser desligados tem sido comum no atual cenário corporativo, especialmente em função da crise econômica que o Brasil enfrenta. As condições para uma possível recontratação, no entanto, costumam ser diferentes e, por vezes, implicam salários menores. Vale a pena aceitar?

Dependendo das condições em que o profissional se encontrava na época da demissão, sim. Para Isis Borge, gerente da divisão de engenharia da Robert Half, o candidato deve considerar uma série de variáveis, principalmente se estava feliz na empresa antes de sair.

“Se a redução salarial for muito significativa, a pessoa precisa estar certa de que caberá no orçamento dela. Acho que é válido retomar uma atividade, ainda que por um salário menor. Os dois lados podem sair felizes. O que não pode é a pessoa não conseguir se manter. Neste caso, o melhor é buscar outra oportunidade”, disse a gerente.

A tentativa de aceitar um salário menor negociando “benefícios” - como sair mais cedo, trabalhar um dia a menos na semana, etc – não é bem vista, alerta Isis. “Se a pessoa decide voltar, é para vestir a camisa da empresa também”, diz.

O conselho não é válido se o funcionário já não estava satisfeito na companhia antes da demissão. Neste caso, o ideal é recusar a oferta, pois são baixas as chances de o profissional se reecontrar nesse trabalho. “Se antes mesmo da demissão já existia um plano para sair da empresa, dificilmente a pessoa se readaptará. E o salário menor seria apenas mais um ponto negativo entre muitas outras insatisfações do funcionário”, explica Isis.

Gabrielle Moreira é jornalista e escreve sobre economia, finanças, carreiras e comportamento há mais de dez anos. Depois de uma temporada no Valor Econômico de São Paulo, mudou-se para o Rio de Janeiro e agora reporta diretamente de seu home office na cidade maravilhosa. 

Compartilhar essa página