Trabalho temporário pode alavancar carreira e finanças

Você consideraria largar um emprego de dez anos por uma vaga temporária em outra empresa? Talvez, poucas pessoas respondam sim a esta pergunta, mas foi o que fez Tatiane Fuzita, 31 anos. A decisão, claro, nem sempre é fácil. Afinal, o emprego fixo traz uma sensação de estabilidade (ainda que fictícia, pois a empresa pode demitir a qualquer momento).

Só que quem arrisca a vida de temporário muitas vezes sai ganhando em crescimento profissional e financeiramente. Foi o que aconteceu com Tatiane. Em 2011, após dez anos trabalhando em uma empresa familiar, ela recebeu uma proposta para atuar como analista tributária em uma multinacional de cosméticos. Só que um detalhe: a vaga era, inicialmente, para seis meses. Ir ou não ir? Tatiane foi. “Era uma chance de conhecer o ambiente corporativo de uma multinacional, eu teria a possibilidade de me desenvolver profissionalmente e ainda ganharia quase três vezes mais”, afirma a executiva. “Quando vi a grandiosidade da oportunidade, me entusiasmei, mesmo sendo uma vaga temporária”.

No fim dos seis meses, a L'Occitane en Provence renovou o contrato de Tatiane por mais seis e, depois, ela ainda foi efetivada. Após dois anos na empresa, uma reestruturação interna fez com que ela deixasse a vaga. Mas logo apareceu outra oportunidade, também temporária. “Eu até tinha pensado em descansar um pouco antes de encontrar outro emprego, mas a proposta, de novo, foi muito boa”, conta Tatiane.

Na Souza Cruz desde julho do ano passado, Tatiane encontrou um ambiente desafiador e a possibilidade de trabalhar com projetos maiores. “Não faço mais a rotina da área, o que está sendo motivador”, diz. Para Iza Pereira, 31 anos, a mudança do emprego fixo para o temporário também rendeu crescimento profissional.

Em 2012, ela atuava como assistente no departamento de recursos humanos de uma multinacional de saúde alemã quando surgiu uma vaga temporária em uma empresa suíça de embalagem de bebidas. Eram só três meses, mas Iza viu ali a oportunidade de mudar de status profissional: passou de assistente a analista. “Era um crescimento na minha carreira e eu ainda conheceria uma indústria diferente”, afirma. A experiência na nova função abriu as portas do mercado para Iza.

Depois da multinacional suíça, ela embarcou em mais dois projetos temporários, em empresas de setores distintos, que lhe deram um amplo conhecimento profissional. “Foram trabalhos que me permitiram desenvolver expertise de mercado”, afirma. Ela acredita que, como temporária, conseguiu alavancar sua carreira mais rapidamente e desenvolver diferentes habilidades, como resiliência, foco em planejamento estratégico e liderança. “Isso tudo em um curto espaço de tempo”.

Há oito meses como analista pleno de recursos humanos na Sirona Dental Systems, Iza está chegando ao fim de mais uma experiência como temporária – agora à espera da efetivação. “Quase todo trabalho temporário te dá a oportunidade de ser efetivada”, afirma Iza. Hoje, no entanto, ela não fica mais angustiada com a possibilidade de ser contratada definitivamente. “Na primeira vez que trabalhei como temporária fiquei muito aflita, mas agora, acho que pela minha maturidade, sei que somos nós que criamos nossas oportunidades”.

Iza acredita que o conhecimento absorvido em seus empregos anteriores lhe transformou em uma profissional capacitada e demandada pelo mercado. “Encaro cada projeto como uma consultoria e, se não for efetivada, levo comigo a experiência e as boas referências.” Para não deixar a angústia tomar conta, Iza se organiza financeiramente, caso uma nova oportunidade demore um pouco a aparecer.

“Passei a fazer essa reserva financeira desde que comecei a atuar por projetos”, diz. Iza não tem queixas por atuar como temporária. Tatiane tem uma: “Pode ser um pouco cansativo, porque você emenda os projetos e nem sempre consegue tirar férias.” Ainda assim, parece valer a pena.  

Compartilhar essa página