Veja como a pandemia trouxe uma descentralização empresarial

Por Robert Half on 4 de abril de 2022
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

A pandemia trouxe diversas mudanças no mundo, incluindo a descentralização empresarial. Para atender as novas formas de consumir da sociedade atual e acompanhar as transformações digitais, as empresas tiveram que inovar. Isto é, o investimento em tecnologia, políticas, estratégias e ações foi uma questão fundamental.

A descentralização empresarial promove diversos benefícios para a organização, como aumento da agilidade e produtividade, redução e corte de gastos, flexibilidade para lidar com diferentes desafios, entre outros.

Sendo assim, essa é uma ferramenta importante que surgiu na pandemia para auxiliar no controle dos processos visando atingir metas. Quer saber mais sobre esse conceito? Acompanhe este conteúdo!

Envie sua vaga

Saiba o que é gestão descentralizada

A gestão descentralizada é uma estratégia para promover mais autonomia aos colaboradores na realização das tarefas. Em outras palavras, as decisões são tomadas por mais de uma pessoa, de preferência, por um time. Trata-se de um processo operacional que não tem burocracias e é focado em resultados.

De modo geral, na descentralização empresarial as decisões são tomadas de forma simplificada, em que as equipes são responsáveis por decidir qual estratégia tomar em determinada situação, sem a necessidade de consultar os superiores.

Com isso, os gestores e líderes conseguem dar atenção para assuntos mais urgentes e as demandas serão sempre atendidas em consenso por uma equipe especializada. Essa autonomia é o aspecto principal para uma estratégia eficaz.

Leia também: Solidão no trabalho, a característica da maior parte dos gestores

Veja quais as características desse conceito

Ao contrário da gestão centralizada, que concentra o poder de decisão a um grupo pequeno e seleto de líderes e gestores, a descentralização empresarial tem como base a autonomia das equipes do negócio no processo de tomada de decisões e de soluções de problemas.

Desse modo, o time participa desde a identificação até a elaboração de estratégias para aprimorar ou solucionar operações na empresa, fortalecendo o interesse e comprometimento de todos os envolvidos. Isto é, os colaboradores têm liberdade para decidir em grupo como atuar e cumprir tarefas sem a necessidade de comunicar os seus superiores. Com isso, as soluções são tomadas assim que a demanda surge no setor em questão.

Vantagens da gestão descentralizada

Existem diversos benefícios promovidos pela descentralização empresarial. Entre eles podemos citar:

  • agilidade nas decisões;
  • liderança democrática
  • mais autonomia para as equipes;
  • rapidez no alcance de objetivos e metas;
  • aumento da competitividade no mercado;
  • elaboração de estratégias mais criativas e inovadoras;
  • maior diversidade de ideias nas decisões;
  • aumento da satisfação dos clientes;
  • desburocratização de processos internos;
  • engajamento entre os times;
  • menor rotatividade (turn over) entre as equipes;
  • retenção de talentos, entre outros.

Índice de Confiança Robert Half​​

O ICRH monitora o sentimento de recrutadores, profissionais empregados e desempregados com relação ao mercado de trabalho e economia atualmente e para os próximos seis meses.​​

Descubra como funciona a descentralização empresarial

O nível hierárquico é a principal diferença entre a centralização e descentralização empresarial, ou seja, é o ponto em que a decisão é tomada. No primeiro caso, todas as medidas devem ter a aprovação do superior, como é o caso de mudanças de processos, investimentos, práticas no cotidiano do negócio etc.

Como já dissemos anteriormente, no caso da descentralização empresarial, o fluxo de trabalho é mais ágil e flexível, uma vez que a tomada de decisões é realizada pelo próprio time, permitindo que os problemas e demandas sejam resolvidos em prazos menores. Mas como aplicar a gestão descentralizada em uma empresa? Veja a seguir:

  • mantenha uma comunicação alinhada com todo o time: a clareza das informações tratadas e dos processos internos, e a objetividade são fundamentais para ter confiança na equipe de colaboradores e para a fluidez e aprimoramento do processo;
  • invista na capacitação de líderes: a habilidade de tomada de decisões é fundamental na descentralização empresarial, por isso, deve ser aprimorada e adaptada por meio de cursos, workshops, palestras e imersões;
  • treine os times para o crescimento da empresa: a ideia de que apenas líderes e gestores são os responsáveis pelo sucesso da empresa é ultrapassada. Hoje em dia, as empresas devem investir em colaboradores que "vestem a camisa" do negócio;
  • utilize as ferramentas adequadas de gestão: a tecnologia é eficiente e essencial para permitir que os setores da empresa entendam e realizem os processos e consigam liderar as decisões;
  • acompanhar os indicadores: a descentralização empresarial deve ser realizada de forma gradual, com isso, as responsabilidades são delegadas aos poucos e os líderes podem acompanhar os resultados e consequências. Sendo assim, defina e analise os indicadores de produtividade e de clima organizacional, o que permite mensurar o impacto e realizar ajustes.

Você também pode gostar de: De olho na formação de líderes e retenção de talentos

Entenda como a pandemia afetou a descentralização nas empresas

A pandemia acelerou e ainda vem acelerando as decisões importantes das empresas. Isso porque 2 a cada 3 líderes afirmam mais rapidez nas resoluções e a maioria envolve outros superiores e gestores na dinâmica — o que não ocorria com tanta intensidade antes da crise do coronavírus.

A pesquisa “Realidade e percepções da alta liderança frente à crise”, realizada em setembro/outubro de 2020 com 230 executivos (CEO, vice-presidente, diretor, superintendente e c-levels) do Brasil, revelou que durante a pandemia para 32% dos entrevistados as decisões ficaram menos centralizadas e envolveram outros integrantes da alta liderança.

Para 7% dos líderes houve a descentralização e participação de executivos de outros níveis hierárquicos. Em contrapartida, 37% dos entrevistados notaram um movimento inverso, ou seja, mais centralização das decisões estratégicas e para outros 10%, as resoluções foram muito centralizadas no líder. Já 24% não notaram mudanças significativas.

Além disso, segundo 31,6% dos entrevistados as decisões estratégicas passaram a envolver outros membros da chefia. Para 7% o processo descentralizado teve a participação de pessoas que estavam fora dos cargos de liderança.

O otimismo em relação à mudança também acompanha os líderes entrevistados. Desse modo, 46,8% esperam um aumento nos lucros em 2021, 48,5% tem expectativa por mais concorrência nos setores e 40,7% aguardam uma ampliação no quadro de colaboradores.

Portanto, é fundamental que gestores e líderes entendam que haverá momentos em que o modelo de descentralização empresarial é ideal para a tomada de decisão, assim como, existirão situações em que a centralização deverá entra em cena. O importante é saber manter o equilíbrio entre os dois tipos e aplicá-los de forma gradual, mantendo uma boa comunicação, capacitação da equipe e uma boa liderança.

Este conteúdo foi interessante? Tenha acesso a diversas novidades e tendências do mercado de trabalho diretamente nas suas redes sociais. Siga a gente: FacebookLinkedInTwitterYoutube e Instagram.

Saiba como os recrutadores da Robert Half podem ajudar você a construir uma equipe talentosa de colaboradores ou avançar na sua carreira. Operando em mais de 300 locais no mundo inteiro incluindo nossas agências de empregos de São Paulo. A Robert Half pode te fornecer assistência onde e quando você precisar.

More From the Blog...