Indústria 4.0: como liderar a transformação digital na sua empresa?

Por Robert Half on 14 de outubro de 2020

Quarta revolução industrial ou indústria 4.0 é uma continuidade do que se iniciou na década de 1840, com a mecanização de processos por meio da água e do vapor. A evolução dos softwares, automação industrial, inteligência artificial, autonomia nos sistemas, otimização de recursos e o Big Data movimentam os negócios e a vida pessoal de toda a sociedade.

A transformação digital é sobre mudanças — no processo, na maneira como as empresas trabalham e se envolvem com seus clientes internos e externos. Todas elas facilitadas pela tecnologia. Experiência do cliente, processos operacionais e modelos de negócios são as três principais áreas que se transformam digitalmente.

O assunto é bastante amplo. Por esse motivo, desenvolvemos um material que explica melhor como a transformação digital funciona, sua importância, exemplos de aplicação, o perfil do profissional para liderar o movimento e como aplicar em uma empresa. Acompanhe conosco.

O que é a quarta revolução industrial?

A primeira revolução industrial é marcada pela mecanização, energia a vapor e da água. A segunda gira em torno da produção em massa e das linhas de montagem usando eletricidade. Sistemas eletrônicos, TI e automação são o marco da terceira revolução industrial.

No geral, a indústria 4.0 se relaciona com a evolução das ferramentas que surgiram na terceira revolução industrial. Seus principais processos incluem:

  • computação em nuvem — sistemas de dados que operam por meio de um servidor acessado via web;
  • fábricas inteligentes — empresas responsivas e flexíveis, totalmente integradas por sistemas ciberfísicos e que são capazes de responder imediatamente às suas demandas;
  • Inteligência Artificial (IA) — recursos empregados para que as máquinas consigam realizar ações humanas de maneira aprimorada, como ler e interpretar um grande volume de gráficos em apenas alguns segundos;
  • Internet das Coisas (IoT) — capacidade de conectar objetos do cotidiano com a internet, como as populares SmartTVs.

O que é transformação digital e como ela funciona?

O conceito de transformação digital pode ser resumido como a integração da tecnologia com todas as áreas de uma empresa, mudando seus métodos operacionais e como elas agregam valor aos clientes. Nesse sentido, pode significar a substituição de processos tradicionais para adoção de práticas inéditas e inovadoras.

Isso porque embora a tecnologia seja o elemento-chave da indústria 4.0, a transformação digital não se resume a sua implementação. Muitas vezes, diz respeito ao abandono de processos desatualizados e ferramentas defasadas, para que novos recursos tomem o seu lugar.

Basicamente, a transformação digital utiliza avanços digitais, como análises, mobilidade, mídias sociais e Internet das Coisas para:

  • melhorar o uso de tecnologias tradicionais, como o ERP;
  • mudar o relacionamento com os clientes externos e internos, processos e a proposta de valor entregue pelo negócio.

Por que é importante adotar essas mudanças?

Uma empresa pode assumir a transformação digital por vários motivos. No entanto, há uma razão em comum entre todas elas: garantir a sustentabilidade do negócio em um mercado cada vez mais competitivo. Isso acontece porque os principais fatores relacionados com a transformação digital são a lucratividade, a satisfação do cliente e abertura da vantagem competitiva. Para entender a relevância dessas mudanças, conheça alguns benefícios.

Integração entre departamentos

A transformação digital afeta, de maneira positiva, todos os níveis de uma organização. Para isso, todos os processos, estratégias e a cultura da empresa devem ser incluídas nas mudanças — principalmente porque os recursos são feitos para serem utilizados em conjunto, como veremos no decorrer deste conteúdo. Quando todos os departamentos estão alinhados e atuam de maneira colaborativa, a tendência é que os resultados superem as expectativas.

Aumento da eficiência

De modo direto, a transformação digital envolve a otimização de processos, acelerando e simplificando os fluxos de trabalho. Com isso, as atividades são realizadas com mais eficiência. Como destacamos no breve resumo sobre a Inteligência Artificial, em vez de passar horas processando, armazenando e coletando dados em meio a pilhas e pilhas de papel, é possível utilizar sistemas digitais que façam esse trabalho.

O acesso simples e rápido a informações importantes garante que os executivos tenham tempo de sobra para analisar os resultados, pensando nas melhores estratégias para solucionar problemas e garantir que a empresa assuma uma postura inovadora e bem-sucedida.

Conquista e fidelização de clientes

Independentemente do momento pelo qual as indústrias passam, o objetivo de qualquer empresa é ser lucrativa. Para que as vendas possam acelerar, é preciso atender às necessidades dos clientes.

As ferramentas tecnológicas dão todo o respaldo necessário para que isso seja possível, já que geram dados seguros, consistentes e reais sobre o comportamento do consumidor. Seus resultados podem ser utilizados a favor de estratégias de marketing, vendas e desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Quais as maiores transformações atuais dentro das empresas?

Para que o conceito de transformação digital e a sua importância fiquem ainda mais nítidos, conheça as maiores mudanças promovidas pela tecnologia dentro das empresas.

Ferramentas e aplicações analíticas

Essas ferramentas — como o People Analytics — foram projetadas para coletar e analisar uma grande quantidade de dados, originados em várias fontes. A diferença entre a coleta moderna de informações para os formatos tradicionais — como as pesquisas de satisfação, cujos resultados eram jogados em um gráfico comum de Word e Excel — estão nos chamados 3Vs:

  1. volume — a grande quantidade de dados;
  2. variedade — os dados são coletados de diversas fontes;
  3. velocidade — tanto a coleta como análise são realizadas de maneira muito rápida.

No entanto, as empresas deve se preparar para uma revolução no Big Data. Suas principais características — volume, velocidade e variedade, já descritas acima — estão se diversificando. Os dados não são apenas números e gráficos coletados. Agora temos dados móveis, de sensores e de voz. A lista não para de crescer, afinal, a tecnologia não deixa de evoluir.

Ferramentas e aplicativos móveis

Cada vez mais as pessoas têm preferido se conectar à internet por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, do que por equipamentos fixos, como os computadores. Por esse motivo, muitas empresas direcionam a aplicação de suas estratégias para dispositivos móveis.

A ordem se inverteu. Hoje, vemos um aplicativo à disposição na Apple ou na PlayStore. Depois, eles são adaptados para o uso no desktop. Na realidade, alguns não conseguem nem ser utilizados no computador. Seu uso é exclusivamente mobile, como é o caso dos bancos digitais.

Mídia social

As plataformas sociais, como o Facebook e o LinkedIn, permitem que a organização se comunique com seus clientes internos e externos. Eles também podem ser usados como ferramentas de aprendizado para monitorar tendências do setor, sentimentos dos clientes e movimentos dos concorrentes. Ou seja, são ótimas fontes de dados para as ferramentas de analytics.

Armazenamento de informações em nuvem

Já faz algum tempo que as empresas têm optado por guardar suas informações mais valiosas em nuvem, dando preferência a softwares e sistemas de informação que garantem esse formato de armazenamento como funcionalidade básica. A prática também vai se transformar.

À medida que as empresas buscam aproveitar a eficiência da computação em nuvem para otimizar seus gastos e o tempo de trabalho, são desenvolvidos recursos inteligentes para automação e serviços de análise de dados.

A inteligência artificial empregada nos sistemas em nuvem considera a experiência dos clientes. Isso significa que o armazenamento em nuvem deixa de ser apenas um local onde se guardam documentos e dados importantes, e passa a ser utilizado como uma fonte de Big Data, gerando valor para o negócio.

Quais os exemplos da indústria 4.0 aplicados aos setores das empresas?

Na prática, a indústria 4.0 tem mudado gradativamente a maneira de fazer negócios. Veja alguns exemplos dessas transformações aplicadas aos setores de uma empresa.

Transformação digital em marketing

Um dos principais focos da transformação digital em marketing é atingir mais pessoais, transformando usuários em clientes por um custo mais baixo. Quando os recursos são bem empregados, geram leads de qualidade, aproxima a empresa dos consumidores e facilita sua fidelização.

Os materiais utilizados nas mídias digitais são mais baratos que a produção voltada para a mídia analógica e tradicional. Por esse motivo, paramos de receber campanhas em nossas caixas de correio. As novidades chegam por e-mail.

A digitalização das campanhas abre as portas para automação, capturando informações e analisando dados que podem ser usados para melhorar o diálogo com os clientes. Hoje, os profissionais que atuam com o marketing podem criar jornadas individuais de compra, analisando o comportamento de cada cliente e moldando a sua experiência ao longo da sua interação com a marca. 

Transformação digital em vendas

A capacidade e a precisão na coleta de um grande volume de dados sobre o comportamento do consumidor não é útil apenas para o departamento de marketing. Equipes de vendas podem garantir resultados expressivos utilizando a tecnologia para entender o fluxo de compra e a mentalidade dos consumidores.

Examinar cada cliente como indivíduo e estudar seu comportamento desde o primeiro contato até a jornada de compra deve ser um trabalho conjunto entre os setores de marketing e o de vendas. Essa prática permite melhorar o desempenho por meio de práticas que incluem:

  • determinar a eficácia das técnicas e estratégias de vendas;
  • acessar informações valiosas como o perfil do público que têm maior probabilidade de comprar em determinadas épocas do ano.

Quanto mais dados e mais fontes disponíveis para a coleta, mais informações de mercado poderão ser extraídas pelos sistemas de Inteligência Artificial. Somado ao histórico de vendas, esses recursos são capazes de estabelecer relações, padrões e identificar gargalos.

O resultado dessa combinação é a abertura da vantagem competitiva. Além de implementar esses processos, é papel dos gestores garantir que suas equipes utilizem os sistemas da melhor forma possível, para que realmente trabalhem integradas.

Transformação digital em serviços

Antes da indústria 4.0 e da transformação digital serem um conceito difundido, os clientes já esperavam por facilidades no atendimento e pagamento pelos serviços prestados ou produtos escolhidos. Hoje, as lojas e os bancos chegaram aos aplicativos. Alguns nem existem de maneira física ou nos computadores, estão apenas nos celulares.

Smartphones, sistemas de pagamento eletrônico e aplicativos projetados para atender à demanda dos consumidores criou uma nova realidade. Praticamente tudo o que você deseja está a um toque de distância, desde o pedido de uma pizza até uma consulta médica.

Com isso, consumidores esperam que cada vez mais empresas adotem o digital como seu principal meio de fazer negócios. O futuro do trabalho está nas mãos da tecnologia e das mudanças trazidas por ela em nossa sociedade.

Transformação digital na gestão de pessoas

A sobrevivência de um negócio não está somente nas mãos da clientela e da lucratividade. Para que uma empresa possa produzir, vender e negociar, ela precisa de um ativo humano competente, motivado e experimente. Nesse ponto, a transformação digital contribui em vários sentidos.

Compor um time de alto desempenho começa no recrutamento e deve ser constantemente desenvolvido por meio de programas de treinamento e desenvolvimento. Dito isso, é possível listar uma série de recursos tecnológicos que mudaram completamente os procedimentos relacionados ao setor de recursos humanos. Podemos citar:

  • a inteligência artificial, capaz de fazer o cruzamento entre oportunidades de trabalho e candidatos adequados ao cargo e à cultura da empresa;
  • entrevistas que podem ser realizadas por meio de videoconferência;
  • sistemas de informação que permitem a realização de testes de aptidão profissional e personalidade mesmo a distância;
  • pesquisas internas que revelam demandas para que as empresas possam estruturar programas de benefício e incentivo que realmente façam a diferença;
  • as mesmas pesquisas, aliadas a indicadores de desempenho, permitem que os gestores identifiquem quais habilidades devem ser trabalhadas para aumentar a eficiência, resultando em treinamentos mais adequados à realidade.

Qual o papel dos gestores na transformação digital?

Em um cenário transformador, os gestores devem ser capazes de criar meios para que colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros de trabalho possam visualizar como a empresa será diferente após passar por essas mudanças. Depois, deve envolver os funcionários para que tudo isso se transforme em realidade.

Ao mesmo tempo, eles devem ser capazes de identificar quais processos podem ser modernizados ou implementados. Por exemplo, um gestor de RH pode sugerir o uso do recrutamento remoto. Já o coordenador de marketing tem condições de estruturar um processo de pesquisa de mercado, para que com a equipe de vendas possam contribuir com a criação de um novo produto.

Independentemente das medidas adotadas que estejam relacionadas à transformação digital, é imprescindível que sejam capazes de atuar na implementação de processos e na integração dos colaboradores frente às mudanças.

Como definir quem deve liderar essas mudanças?

Todo processo corporativo necessita ser liderado por um profissional experiente e competente. Não seria diferente com a transformação digital: para que a tecnologia seja parte de uma mudança expressiva, é preciso combiná-la com a liderança.

Quem lidera essas mudanças deve ter um pensamento diferenciado, à frente do seu tempo, incentivando a inovação e novos modelos de negócios. Além disso, deve ter bom senso para incorporar novos métodos tecnológicos para melhorar a experiência dos colaboradores, clientes, fornecedores, parceiros e demais partes interessadas da sua organização.

Dito isso, o líder ideal deve preencher alguns requisitos. Veja quais são eles:

  • ter conhecimento técnico o suficiente para promover a integração entre as necessidades do negócio e as soluções de tecnologia;
  • caso seja um profissional que faz parte do time da empresa, deve ser uma pessoa de confiança;
  • profissionais contratados exclusivamente para liderar as mudanças devem ser previamente integrado aos times;
  • a transformação digital também está focada no cliente, por isso, o líder deve ser capaz de entender a jornada de compras, de visualizar as coisas pelos olhos do cliente e entender como a transformação pode ser alinhada às suas necessidades e expectativas;
  • o profissional deve estar disposto a assumir riscos, já que a transformação exige que os projetos sejam experimentados antes da sua implementação definitiva, o que significa a possibilidade de falhas;
  • as equipes podem apresentar resistência às mudanças, é importante que o líder seja capaz de lidar com profissionais resistentes;
  • a transformação digital pode ser confusa para os líderes de setor, por esse motivo, eles devem entender seu conceito com clareza e devem ser capazes de explicar as mudanças organizacionais necessárias para que a empresa possa se adequar à indústria 4.0.
  • na transformação digital tudo muda rapidamente, portanto, o líder deve ser capaz de acompanhar a evolução da tecnologia, de preferência a um passo na frente da concorrência.

Quais as boas práticas para liderar esse processo?

Para implementar as ferramentas que surgem com a indústria 4.0, as empresas precisam começar examinando atentamente seus próprios processos de negócios. O objetivo é identificar as oportunidades de melhoria. Sem essas primeiras etapas, a adoção de novas tecnologias corre o risco de não fazer uma diferença significativa para os processos. Em alguns casos, a empresa pode perder a vantagem competitiva.

Pensando nisso, separamos um conjunto de boas práticas para que a transformação digital possa acontecer e ser benéfica para o negócio.

Cultura inovadora

O aspecto mais desafiador da transformação digital não é a tecnologia, mas as pessoas que precisam adotar as mudanças gerenciadas por ela. A transformação digital é muito mais que investir em tecnologias. Significa mudar a cultura da empresa, utilizando os recursos para aprimorar os processos de trabalho e o relacionamento com clientes. Para que isso seja possível, a organização como um todo deve adotar uma mentalidade de inovação contínua e melhoria da qualidade.

Comunicação interna

Manter a comunicação transparente pode ser a chave para o sucesso da transformação digital. Comunicar a mudança aos profissionais facilita o entendimento sobre o futuro da organização, para onde a empresa vai, por que está mudando e por que essas alterações são importantes.

A realidade da indústria 4.0 exige que as empresas sejam mais criativas nos canais de comunicação interna adotados, se afastando dos canais tradicionais como os e-mails e aderindo a plataformas mais interativas — como as mídias sociais internas. O objetivo é permitir que toda a organização possa se comunicar por meio de um diálogo mais aberto.

Desenvolvimento de equipes

O desenvolvimento de talentos e habilidades é uma ação fundamental para as mudanças de rotina e um dos fatores mais importantes para o sucesso da transformação digital. Dito isso, a empresa deve investir na educação das equipes, para que os profissionais possam evoluir junto aos processos. Nesse processo, é trabalho do líder expor as oportunidades que podem surgir quando os colaboradores dominam novas habilidades e criar um ambiente que estimule o aprendizado.

Adoção de recursos

Para criar vantagens competitivas reais, a mudança precisa ser maior que apenas melhorar a modernizar processos: deve ser inovadora. Por isso, a adoção de recursos deve ser estudada e bem planejada.

O caminho mais seguro para fazer boas escolhas e realmente aplicar a transformação digital na empresa é por meio de uma auditoria completa sobre os sistemas já utilizados e os que podem ser implementados. O objetivo é identificar desafios e, principalmente, encontrar oportunidades.

A transformação digital significa grandes mudanças para qualquer empresa. Quando bem feita, terá como resultado um negócio mais alinhado às demandas dos clientes e resiliente para acompanhar o futuro digital, que evolui cada vez mais rápido.

Liderar mudanças digitais exige que os gestores tenham uma visão muito nítida sobre como é possível transformar a empresa em um mundo tecnológico e inovador e começa com uma avaliação interna para identificar lacunas, problemas e áreas que apresentam dificuldades.

Vale destacar que os gestores são elementos cruciais para que transformação digital possa acontecer, já que a mesma exige uma mudança cultural, adaptação às condições do mercado e às novas tecnologias. Geralmente, a chave para a sobrevivência de um negócio está no aumento da clientela e, consequentemente, da rentabilidade. Nesse processo, o ativo humano é essencial.

Sem uma gestão de pessoas eficiente, a transformação pode encontrar gargalos. É preciso que a mudança seja orquestrada. A adoção de processos e sistemas que se desenvolveram com a indústria 4.0 devem contemplar todos os envolvidos nos processos organizacionais. Você e sua empresa estão prontos para começar essa revolução?

COMO PODEMOS TE AJUDAR?

Hide Breadcrumb
Off
Hide Title
Off

More From the Blog...