Fique por dentro dos aprendizados da pandemia para Recrutamento e Seleção

Por Robert Half on 16 de março de 2021

A chegada da COVID-19 impactou a sociedade de várias maneiras e, no mundo corporativo, funcionou como um acelerador de tendências. Muitas empresas foram obrigadas a modernizar seus processos e levar os aprendizados da pandemia para o processo de recrutamento e seleção (R&S) e a gestão de talentos.

Preparamos um material para ajudar os profissionais de RH a refletirem sobre as mudanças trazidas pela pandemia e seus possíveis impactos a longo prazo. As informações que compartilhamos aqui servem como um norte sobre como o mercado de trabalho deve movimentar-se daqui à para frente. A partir disso, sua empresa pode estruturar as melhores estratégias de RH, atraindo e retendo grandes talentos do mercado. Boa leitura!

Quais são alguns dos impactos da pandemia em recrutamento e seleção?

Embora grande parte das notícias relacionadas à pandemia expresse a grande crise na qual muitos setores ainda vivenciam, o mercado aqueceu para outros nichos. De acordo com a Forbes, o mercado de tecnologia cresceu expressivamente durante o isolamento social. Empresas inovadoras são responsáveis por gerar 70% dos novos empregos no país. Isso significa que, para aproveitar a onda de crescimento, elas continuaram contratando.

Contudo, com as medidas de isolamento social, os processos de R&S, onboarding e, até mesmo, a rotina de trabalho tiveram de ser modificados. De acordo com o Índice de Confiança da Robert Half, mais de 90% das empresas entrevistadas declararam que as entrevistas de trabalho foram realizadas por meio de plataformas de comunicação virtual, como Skype e Microsoft Teams.

Cerca de 50% delas afirmaram que implementar a tecnologia nos processos foi mais simples e barato do que pensavam. A pandemia mostrou que fugir do tradicional e modernizar as práticas de recrutamento e seleção, além de viável, vai transformar para sempre esse processo.

Quais são os principais aprendizados da pandemia no recrutamento e seleção?

Conheça, agora, os motivos pelos quais afirmamos que os processos de R&S serão transformados para sempre.

Recrutamento remoto

De acordo com pesquisa realizada pela Robert Half, no mês de maio de 2020, 19,31% dos entrevistados fizeram contratações durante a pandemia, em modelo remoto. 93,50% dessas pessoas utilizaram plataformas de conferências online não só para o recrutamento, como também no onboarding desses profissionais. O Índice de Confiança revela que 42% das empresas estavam preparadas para o recrutamento online — e sabem disso, pois foram capazes de realizar processos de R&S 100% remotos.

A experiência foi válida. 56% garantiram que uma das vantagens do recrutamento remoto foi ampliar o leque geográfico dos candidatos. Com isso, 92% dos entrevistados acreditam que, após a pandemia, os processos de R&S deixam de ser exclusivamente presenciais para, no mínimo, se tornarem híbridos.

Equipes híbridas

Ao que tudo indica, gestores e recrutadores terão muito o que discutir a respeito da jornada de trabalho ideal para suas empresas. Isso porque a pesquisa da Robert Half verificou que 56,16% dos profissionais entrevistados gostariam de trabalhar em jornada home office mesmo após o fim dos decretos de isolamento.

66,74% deles disseram que a pandemia fez perceber que suas funções não precisam ser desempenhadas exclusivamente no escritório. Empresas que não integrarem a flexibilidade dentro dos seus benefícios, permitindo que o profissional trabalhe de onde ser sinta mais produtivo - o conceito do "Work from Everywhere" -, poderão perder talentos para a concorrência.

Humanização

Já faz algum tempo que os recrutadores sentem que o foco das novas gerações do mercado em relação às oportunidades de emprego mudaram. Se, no passado, os candidatos estavam de olho nos salários e na estabilidade, hoje eles pensam em coisas que são importantes e que o dinheiro não pode comprar, como ter um tempo para a família e para o lazer.

Durante a pandemia, 47,92% perceberam que seus colaboradores lutaram contra a ansiedade e a sensação de solidão devido ao isolamento. Pensando nisso, investiram em benefícios para a saúde física e mental — como aulas de yoga e programas de mindfulness —, que serão oferecidos na volta aos escritórios. Esse é um importante indício de como o mercado está se tornando mais humano e próximo do seu colaborador. Quando os candidatos a uma vaga chegarem a entrevistas, eles serão impactados com esses benefícios inovadores.

O que podemos esperar para o futuro do processo de R&S?

Como falamos no início do texto, a pandemia também funcionou como uma aceleradora de tendências. Mesmo sem todo o contexto de isolamento social, essas mudanças aconteceriam — possivelmente em um ritmo um pouco mais lento, mas, ainda sim, as transformações estão seguindo o fluxo do mercado.

Receber currículos na empresa, ligar para os candidatos, chamar as pessoas para ir até a empresa ainda são comuns. No entanto, mesmo antes da pandemia, já eram substituídos por softwares inteligentes, triagem de currículos automática, testes de perfil comportamental enviados por e-mail e outras ferramentas tecnológicas.

Os aprendizados da pandemia para o recrutamento e seleção do futuro nos ensinam que esses processos vão continuar evoluindo. Ferramentas que hoje são tidas como modernas, tendem a evoluir cada vez mais. A Inteligência Artificial será uma das principais aliadas na pré-seleção dos candidatos, e adaptar-se a essas mudanças é fundamental para que a empresa não fique para trás.

A corrida pela competitividade não se restringe aos clientes, ela também está na busca pelos profissionais mais talentosos. Quem não adotar as ferramentas necessárias para encontrar essas pessoas vai acabar perdendo uma força de trabalho valiosa para a concorrência. Um dos mais importantes aprendizados da pandemia para R&S é que os investimentos na gestão de talentos continuarão acontecendo, e as empresas que não se adequarem ao mercado ficarão para trás.

Mostre aos seus amigos que a pandemia não deixou a sua empresa estagnada. Compartilhe este material nas suas redes sociais.

More From the Blog...