Como a COVID-19 afetará o recrutamento e seleção de pessoas?

Por Robert Half on 10 de agosto de 2020

Os impactos da pandemia causada pela COVID-19 deixarão marcas em toda nossa sociedade — incluindo os processos profissionais. Dentro das empresas, os gestores enfrentam muitas mudanças e elas incluem o tema recrutamento e seleção de talentos.

Antes da pandemia, os candidatos já estavam mais seletivos na busca por uma oportunidade de carreira. Não era só o nome e a reputação da empresa perante o mercado que estavam em jogo, mas a cultura organizacional, o pacote de benefícios e a experiência dos colaboradores.

O isolamento social trouxe novas demandas e preocupações, tanto para quem busca uma oportunidade de emprego ou transição de carreira como para quem trabalha recrutando esses candidatos. Se você é um tomador de decisão e tem um time sob sua responsabilidade, é importante ficar atento às questões que abordamos neste post. Acompanhe!

As entrevistas por vídeo e o onboarding remoto serão cada vez mais populares

Devido às regras de distanciamento social, mais empresas estão realizando entrevistas de emprego por vídeo. Embora não seja um conceito novo, significa que os recrutadores devem se habituar com a tecnologia e modificar seus processos, se adequando à nova realidade.

À medida que o distanciamento social continua a colocar limites no contato pessoal e as empresas experimentam as facilidades da inovação, novas ações podem ser desenvolvidas no meio digital, como o onboarding remoto, cujo processo de integração de novos colaboradores ocorrem por plataformas digitais.

A educação corporativa terá um papel essencial

A educação corporativa também merece destaque. Programas de treinamento e desenvolvimento são armas poderosas para atrair talentos qualificados. Nos últimos anos, começaram a ser ofertadas em plataformas EAD, que devem ser aprimoradas em função da pandemia, trazendo segurança para os profissionais, ao mesmo tempo que otimiza custos sem perder a qualidade dos conteúdos.

Os contratos temporários e staff loan ganharão força

A quarentena ampliou a contratação de trabalhadores temporários, já que as necessidades provocadas pela crise sanitária aumentaram a demanda por profissionais de algumas áreas. O trabalho temporário ajuda a minimizar os impactos e permite que as empresas garantam mão de obra de qualidade mesmo com as incertezas que vão acompanhar o mundo dos negócios no período pós-COVID. 

As empresas deverão se adaptar às mudanças

Tanto no processo de recrutamento e seleção quanto em outros aspectos referentes aos colaboradores, é necessário se adaptar o mais rápido possível. Veja o que considerar nesse processo. 

Aplicação de testes online

Os testes online têm sido utilizados pelas empresas muito antes da pandemia e devem ser aplicados de maneira muito mais estratégica que o habitual. Para ter um panorama completo sobre as soft skills dos candidatos, é interessante utilizar mais de uma avaliação de perfil comportamental, combinando os testes adequados ao perfil da vaga.

Na hora de escolher a plataforma para aplicar as dinâmicas online, certifique-se de que elas são acessíveis ao público e que as perguntas podem ser personalizadas de acordo com o cargo em questão.

Reflexão sobre os benefícios oferecidos

O home office tem sido apontado como um dos benefícios do RH do futuro. As novas gerações, que invadem o mercado de trabalho, estão cada vez mais interessadas e prontas para os desafios. Em contrapartida, querem benefícios que realmente possam promover mais qualidade de vida — e a jornada flexível é um deles.

A pandemia forçou muitas empresas a adotar esse modelo de trabalho e experimentar suas vantagens na prática. Como resultado, pesquisa da Robert Half mostra que 91% dos colaboradores esperam que as empresas adotem o trabalho remoto com mais frequência após o isolamento. Isso significa que as empresas já devem repensar os benefícios oferecidos e adequar suas políticas à nova realidade. Do contrário, podem perder a vantagem competitiva. 

Personalize o employer branding

Antes da pandemia, os candidatos já estavam mais seletivos na busca por uma oportunidade de carreira. Não era só o nome e a reputação da empresa perante o mercado que estavam em jogo, mas a cultura organizacional, o pacote de benefícios e a experiência dos colaboradores também eram grandes influências na hora de decidir para qual empresa enviar o currículo.

É exatamente sobre isso que o employer branding diz respeito: a reputação da empresa na posição de empregadora, o modo como ela entrega uma proposta de valor aos profissionais e como ela atua no empoderamento dos seus colaboradores. O principal objetivo é aumentar a satisfação dos colaboradores, o que leva à retenção de talentos e acaba por atrair a atenção dos profissionais mais qualificados.

Como o mercado se remodela, é hora da empresa se posicionar como uma marca que se preocupa com a saúde e a integridade física dos profissionais. Agora, será necessário rever todas as políticas — e as dicas que trouxemos até aqui ajudam nesse processo.

O motivo para se adaptar às mudanças 

Quando o sucesso nos negócios depende da formação de equipes de profissionais qualificados e altamente talentosos, as empresas precisam agir rapidamente para garantir a busca e a contratação dos candidatos ideais, ou correm o risco de perdê-los para a concorrência.

Práticas lentas ou ultrapassadas de contratação e gestão de pessoas podem trazer uma série de consequências negativas para as empresas, que além de prejudicar a reputação, afetam diretamente a produtividade e a rentabilidade dos negócios.

Se hoje os empregadores já enfrentam uma batalha, na qual existe muita competição para encontrar os talentos ideais para levar seus negócios adiante, após a pandemia será ainda mais necessário se adaptar às mudanças, aceitar a revolução tecnológica e fazer adaptações adequadas para um processo ainda mais eficiente e otimizado. 

As medidas de recrutamento, seleção, integração e gestão de talentos apresentadas, até agora, trazem diversas vantagens para as empresas. Entre as principais, destacam-se:

  • a comunicação é um dos fatores mais relevantes para uma gestão de pessoas eficiente, e a tecnologia traz consigo ferramentas fantásticas que automatizam respostas e tornam os processos mais ágeis;
  • a variedade de tarefas que podem ser automatizadas oferece ao recrutador a oportunidade de voltar suas atenções para outros aspectos estratégicos, como estudar o perfil dos colaboradores e fornecer uma política de benefícios mais adequada aos profissionais e ao cenário atual do mercado;
  • adotar um software de recrutamento, além de melhorar a produtividade do recrutador, permite que a empresa e os candidatos se encontrem e estejam conectados usando dispositivos móveis, facilitando o processo remoto;
  • o alcance social é extremamente importante nos processos de recrutamento, e a tecnologia permite que a empresa se conecte a diversas plataformas, atingindo um maior número de candidatos mesmo a distância.

Ano após ano, o mercado se transforma e os processos são ressignificados. É preciso encarar as mudanças provocadas pelo coronavírus como permanentes. Embora a crise sanitária seja totalmente atípica, os benefícios atribuídos às atividades remotas continuarão buscados mesmo após o fim do isolamento.

O olhar para o futuro

O aprimoramento do processo de recrutamento e seleção e da gestão de pessoas, no geral, é ainda mais necessário diante do atual cenário. Crises não duram para sempre e o mesmo é válido para os problemas provocados pela pandemia. As medidas para reativação econômica devem seguir uma abordagem rica em novos empregos, fazendo a economia girar.

Os números do mercado nacional não mentem: o trabalho remoto vai se consolidar, a retomada exige uma nova postura por parte dos empregadores e o bem-estar dos colaboradores deve estar em primeiro lugar. Toda essa situação reafirma a importância de contar com estratégias de contratação eficientes, inteligentes e seguras.

Como afirmamos ao longo de todo este texto, empresas que ficarem estagnadas e não evoluírem, seja para gestão em pessoas, seja no próprio processo de recrutamento e seleção, correm o risco de perder seus maiores talentos para a concorrência. 

Pensando em mudar de carreira mesmo durante a pandemia? Então, veja as perspectivas do mercado para os candidatos.

Hide Breadcrumb
Off
Hide Title
Off

More From the Blog...