Sem pânico: como impressionar no período de experiência?

Por Isis Borge

Toda mudança requer um período de adaptação. Não é diferente quando se chega a um trabalho novo. Nova rotina, novas pessoas, novos procedimentos, novo aprendizado. Como lidar com tanta coisa diferente e impressionar no período de experiência?

Uma dica importante é: na fase inicial do emprego novo, é preciso ser cauteloso, evitando gafes e situações constrangedoras. Cada vez mais os profissionais são contratados pelo perfil técnico e demitidos pelo comportamental, por isso é preciso atenção. Assim, uma maneira de impressionar é observar o comportamento dos demais colegas e a cultura da empresa, para estar de acordo com o ambiente.

Demonstrar vontade de aprender, proatividade, pontualidade, comprometimento e perfil “mão na massa” também são formas de ser visto de maneira positiva pelos superiores, principalmente em épocas em que as empresas operam com equipes cada vez mais enxuta. Mas vá com calma: é importante ter cautela para não propor grandes inovações sem ter observado e entendido como os colaboradores da companhia trabalham. Demonstrar humildade para aprender e reconhecer o que ainda não sabe fazer também costuma ser mais valorizado do que tentar ocultar algum ponto que não têm habilidade e comprometer as entregas. Conseguir se integrar bem com o time que já está na empresa também não é tarefa fácil, mas é imprescindível para garantir o bom andamento do trabalho.

Cuidado com as redes sociais

Existem muitos casos de pessoas que perderam seus empregos por causa de comportamentos inapropriados nas redes sociais. Muitas vezes esquecemos o alcance e impacto que as redes sociais possuem, por isso é importante também manter uma postura nesse ambiente. Mesmo que não tenha os superiores na sua rede de amigos, é comum adicionarmos algum outro colega de trabalho e, geralmente, as informações são repassadas por eles, ampliando ainda mais as formas de monitoramento. Por isso, antes de qualquer publicação pense, por exemplo, se você falaria isso na frente de desconhecidos. O efeito é o mesmo, ainda que sua rede seja privada. Discussões sobre política, excesso de reclamações ou compartilhamentos e fotos com bebidas são alguns dos exemplos que devem ser evitados.

90 dias

Aqui vão algumas recomendações para se sair bem nos primeiros 90 dias:

Primeiro mês – O ideal é que o colaborador conheça a estrutura e a cultura da nova empresa, relatórios, sistemas, pares e sua equipe, além de entender o histórico das principais ações sob sua responsabilidade, metas da empresa, objetivos gerais do ano e os específicos do departamento no qual atua. É preciso passar por esse mês tendo a noção clara do que é esperado do colaborador para garantir que o trabalho será executado e nada passará despercebido. Enturmar-se com os novos colegas também é importante.

Segundo mês - Comece a trabalhar em projetos de curto prazo com o foco de garantir algumas entregas. É importante ter pequenas vitórias logo no início e, para isso, a dica é fazer o que for mais fácil primeiro. E a essa altura é importante já estar ambientado nos projetos de logo prazo. Nessa fase, aconselha-se que o colaborador tenha cuidado para não se comprometer em excesso, pois quem não consegue entregar o que promete, acumula pontos negativos.

Terceiro mês – Este é o momento de se consolidar e trilhar o próprio caminho. Sem descuidar do relacionamento interpessoal, o colaborador deve deixar claro seu estilo de trabalho. É hora de fincar bandeira na posição que ocupa, confirmando ao empregador que a contratação foi realmente assertiva e passar com louvor pelo período de experiência. Lembre-se de manter a partir daí as mesmas posturas profissionais para garantir a continuidade na empresa.

* Isis Borge é gerente de recrutamento da Robert Half

Compartilhar essa página