Saia da mesmice: startups buscam profissionais apaixonados e criativos

Por Carlos Eduardo Mussio

Ter o próprio negócio é o quarto maior sonho do brasileiro, atrás apenas de viajar pelo Brasil, comprar a casa própria e ter um carro. A conclusão é da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada anualmente e fruto de uma parceria entre o Sebrae e o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP). Esse sonho, com uma boa dose de criatividade e inovação, coloca o Brasil no ranking dos países onde mais aparecem as famosas startups. Startups são empresas que dão início a projetos e atividades inovadoras, em qualquer área ou ramo de atividade, sendo uma opção de negócio para aqueles que desejam investir em soluções e práticas inéditas com um custo baixo e perspectivas de alto rendimento. Contudo, os empreendedores devem ter em mente que a fase inicial é sempre marcada por um cenário de desafios e incertezas, no qual normalmente os profissionais que iniciam a operação acreditam no negócio da mesma forma que os seus fundadores.

Que tal trabalhar em uma dessas empresas? Com um modelo de negócio econômico e alto potencial de crescimento, as startups costumam ter um ambiente de trabalho flexível, descontraído e dinâmico. Essas empresas buscam profissionais proativos, com bom relacionamento interpessoal, capacidade de autogerenciamento e perfil multitarefa. Muitas vezes, profissionais com perfil mais jovem possuem maior interesse por esse tipo de oportunidade devido aos desafios e ao modo de gestão. Além disso, o amadurecimento e reconhecimento do profissional em uma startup costuma ser muito mais rápido do que em empresas de maior porte. Porém, conforme ganha corpo, a startup passa a buscar pessoas mais experientes para cargos de gestão e liderança, principalmente para os que visam mais a parte estratégica.

Entre as principais vantagens de se trabalhar em uma empresa dessas está o contato com diferentes departamentos e frentes da companhia, já que há uma constante troca de aprendizado entre as áreas. Um dia você poderá estar desenvolvendo um projeto de marketing e no outro lidando com questões financeiras, com a oportunidade de tomar decisões práticas e estratégicas. Essa imersão no negócio possibilitará que você participe de projetos diferenciados e amplie os conhecimentos. Além disso, o local estimula a criatividade, sendo propício para o desenvolvimento de ideias.

Quais as competências necessárias para trabalhar em uma startup?

Por grande parte delas ter uma equipe reduzida, as startups valorizam pessoas dispostas a colocar a mão na massa e fazer um pouco de tudo. Algumas características fundamentais nesse segmento são:

  • Disciplina - é comum às startups terem pessoas em cargos gerenciais com funções operacionais, o que aumenta a necessidade de profissionais que consigam organizar e priorizar suas tarefas sozinhos, tendo muita independência;
  • Atualização constante - a tecnologia, os canais e as informações mudam muito rápido, por isso é preciso estar disposto a acompanhar esse ritmo e principalmente aprender tecnologias ainda desconhecidas;
  • Trabalho em equipe - não é só saber lidar com pessoas, mas querer ajudá-las. Quando uma equipe se ajuda, ela cresce junto com o negócio. Hoje é muito comum que as startups tenham equipes autônomas, denominadas de “Squad”, que se auto gerenciam e a cobrança é diretamente de seus pares – que normalmente têm atribuições diferentes das suas;
  • Resiliência – mudanças frequentes são comuns nesse tipo de ambiente, exigindo alta capacidade de adaptação.

Tem interesse em trabalhar em uma startup? Saiba por onde começar

O primeiro passo é alinhar o seu talento à atividade. A maioria das startups procura por profissionais que sejam apaixonados ou tenham afinidade com o seu segmento de atuação, por isso, certifique-se de que está procurando a oportunidade no lugar certo e extraia o máximo de informações sobre esse mercado. Outra orientação é manter sua rede de contatos sempre ativa, independente de estar empregado ou não. Com ela é possível cultivar relacionamentos profissionais saudáveis e estratégicos, o que, provavelmente, fará com que você seja lembrado para oportunidades ao longo da carreira.

* Carlos Eduardo Mussio é especialista em recrutamento da Robert Half

Compartilhar essa página