RH e vendas começam a demandar engenheiros

Os engenheiros, já há alguns anos, têm sido atraídos para o mercado financeiro. Principalmente em função das boas remunerações pagas pelo setor. Agora, no entanto, os profissionais com esse tipo de formação também estão chamando a atenção de outras áreas, como a de recursos humanos e a comercial. "É uma tendência que temos observado recentemente", afirma Daniela Ribeiro, gerente sênior da Robert Half.

A headhunter explica que, no RH, o engenheiro entra contribuindo com duas visões: uma mais analítica e técnica, própria de sua formação, e outra de gestão de pessoas. Essa combinação, segundo Daniela, pode ser muito interessante na identificação de perfis profissionais, por exemplo. De qualquer forma, o engenheiro apto a ingressar na área de recursos humanos é um ponto fora da curva. "Normalmente são profissionais que não se identificam mais com a área técnica e que se destacam ao administrar pessoas", diz Daniela. "É um engenheiro que sabe se colocar no lugar do outro, algo importante quando se assume a função de gestor".

Para estar apto a assumir um papel dentro do RH, o engenheiro normalmente complementa sua formação acadêmica com uma pós-graduação ligada à área de humanas. Já na área comercial conseguem ingressar aqueles engenheiros com perfil mais dinâmico, que se relacionam bem com outras pessoas. "Antes, a área comercial valorizava mais a capacidade de comunicação do profissional. Hoje, com clientes mais críticos, é importante que o executivo da área tenha também um conhecimento técnico mais elevado sobre o que está vendendo", afirma Daniela. E é justamente esse conhecimento técnico que o engenheiro traz na bagagem.

Para que um engenheiro tenha sucesso na área comercial, ele precisa se comunicar bem e ter a capacidade de saber se colocar no lugar do cliente. "É um perfil consultivo de venda, que entende as necessidades do comprador e oferece a melhor solução para ele", afirma a headhunter. Aos engenheiros interessados em ingressar nessas novas áreas, Daniela diz que vale a pena investir no desenvolvimento das características comportamentais citadas aqui. Uma das formas de se fazer isso é o coaching, que ajuda o profissional a identificar aonde ele quer chegar em sua carreira e o caminho a ser trilhado para alcançar esse objetivo. Outra opção, segundo a headhunter, é aproveitar as ferramentas de desenvolvimento de carreira que as empresas costumam oferecer para seus funcionários, como os treinamentos e as conversas com pessoas de outras áreas que podem ajudar a construir esse novo perfil. Boa sorte!  

Compartilhar essa página