Requisitos para trabalhar em uma startup

Requisitos para trabalhar em uma startup

Por Adriana Fonseca

Muito se fala em startups, em como elas são disruptivas e mexem com setores tradicionais da economia. Mas como é trabalhar em pequenas empresas inovadoras e com alto potencial de crescimento? Que tipo de profissional elas buscam?

Vinck de Bragança, gerente de marketing da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), tem as respostas.

PERFIL PROFISSIONAL PARA STARTUP

As startups buscam, principalmente, pessoas proativas, com perfil auto gerencial e multitarefa. Muitas vezes, por conta do rápido crescimento, as startups precisam contratar um volume grande de pessoas com baixos salários, o que atrai mais os jovens e menos os profissionais seniores. Conforme ganha corpo, a startup passa a trazer pessoas mais experientes para cargos de gestão e liderança.

COMPETÊNCIAS IMPORTANTES

  • Proatividade, não apenas no sentido de iniciar coisas novas ou trazer novas ideias, mas de se dispor a novos desafios e colocá-los em prática
  • Busca constante por conhecimento, pois as tecnologias, estratégias, canais e informações mudam muito rápido e é preciso acompanhar esse ritmo
  • Disciplina, já que é comum as startups terem pessoas em cargos gerenciais com funções operacionais, o que aumenta a necessidade de profissionais que consigam organizar suas tarefas e priorizar sozinhos, tendo menor dependência de superiores
  • Trabalho em equipe. Isso não é só saber lidar com pessoas, mas querer ajudá-las. Quando uma equipe se ajuda, ela cresce junto com o negócio. Competitividade pode ser um tiro no pé

PROCESSOS DE SELEÇÃO

Variam de acordo com o momento de vida da startup. Em fase inicial é mais comum pedir indicações, mas em geral as mídias sociais têm feito parte do processo seletivo.

REMUNERAÇÃO

A ABStartups não possui um levantamento que mostre a remuneração média nas startups. É algo que varia de acordo com o momento de vida da empresa. Em fase inicial, dificilmente uma startup possui condições financeiras de compor grandes salários. Para cargos de diretoria e os primeiros funcionários contratados costuma-se oferecer uma participação nos resultados do negócio. Esta é uma forma de gerar engajamento do funcionário, já que ele se dedica para colher frutos lá na frente. Também é uma maneira de remunerar o profissional em um momento em que a startup não possui caixa para grandes salários e necessita de pessoas qualificadas para cargos estratégicos.

AMBIENTE DE TRABALHO

Costuma ser dinâmico, flexível, de colaboração e crescimento rápido. O amadurecimento e reconhecimento de um profissional em uma startup é, em geral, muito mais rápido do que em empresas de maior porte.

 

Adriana Fonseca é jornalista, tem 14 anos de experiência na cobertura de carreiras e empreendedorismo e já publicou no jornal Valor Econômico, na Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Hoje, escreve e edita em seu home office.

Share This Page