Quer trabalhar no mercado financeiro? Saiba como é o processo seletivo

trabalhar no mercado financeiro

*Por Juliana Porto

Em 2016, as principais vagas no mercado financeiro são para a área de finanças, riscos e auditorias. São diversas oportunidades, principalmente nos segmentos de private equity e banco de investimentos. Se você tem interesse, mas ainda não sabe como trabalhar no mercado financeiro, separamos algumas dicas, com base nas situações vivenciadas por nossos especialistas nos processos seletivos para esse setor:

O processo seletivo para trabalhar no mercado financeiro

processo de recrutamento sempre começa com uma reunião inicial dos recrutadores, como a Robert Half com o contratante para estabelecer todos os pontos técnicos e comportamentais que o profissional precisa ter, assim como o tempo de contratação previsto.

“Em seguida, as entrevistas presenciais na Robert Half começam. Iniciamos as buscas do “candidato ideal” que atenda 100% das qualificações para a vaga. Para chegarmos a uma lista final de cinco candidatos finalistas, normalmente entrevistamos cerca de 50 pessoas, que são indicadas para o processo”, explica Ana Carla Guimarães, gerente sênior da divisão de Serviços Financeiros da Robert Half.

Depois disso, os consultores reúnem-se com as empresas contratantes para, enfim, escolher aquele considerado o mais apto.

Quanto tempo duram as etapas do processo seletivo?

Para começar a trabalhar no mercado financeiro, é necessário que você saiba que, não existe um tempo limite para a conclusão do processo seletivo. Segundo Ana Carla, os processos demoram tempo suficiente que o contratante precisa para fazer todas as etapas de entrevistas.

Como ser aprovado no processo seletivo?

Os candidatos mais fortes são sempre aqueles que sabem se vender com fatos e dados, que estudam as suas carreiras e que têm um perfil extremamente orientado para negócio, assim como o chamado senso de dono. Saiba que o perfil comportamental na maioria dos casos conta muito mais do que simplesmente possuir todos os requisitos técnicos. Ou seja, serão levados em conta quesitos como senso de urgência, orientação para o negócio e bom relacionamento com equipe.

A atual crise financeira no Brasil reduziu a demanda por profissionais do setor, mas este não é um cenário que se manterá por muito tempo. “Mesmo que não tenham oportunidades abertas no momento, as empresas continuam entrevistando pessoas para já conhecê-las e quando o mercado retomar, é só fazer uma oferta formal para o candidato”, afirmou Ana Carla.

Juliana Porto é jornalista desde 2005 e começou sua carreira escrevendo justamente sobre... carreiras! De lá para cá, já cobriu finanças pessoais, consumo e tecnologia em redações no Rio e São Paulo, mas sempre acaba voltando ao tema com que começou sua vida profissional.

Compartilhar essa página