Quer fazer home office? Saiba como convencer o seu chefe

Por Adriana Fonseca

Sobram reclamações sobre o trânsito nas redes sociais. Não é para menos. Nas grandes cidades perde-se muito tempo para ir e vir.

Nas rodas de conversa, quem nunca ouviu um amigo reclamando das constantes interrupções que acontecem no escritório? É um colega chamando para conversar ou tomar um café. É o convite para aquele almoço que não termina nunca. É o chefe pedindo ajuda quando você está concentrado tentando terminar seu trabalho.

O home office livra os profissionais desse tipo de incômodo e muita gente gostaria de poder usufruir dessa vantagem pelo menos alguns dias da semana.

Se você é uma dessas pessoas, vamos dar algumas dicas que podem ajudar a convencer seu chefe de que o home office é produtivo para você e a empresa. A lista foi elaborada pela Technology Advice, companhia americana de tecnologia. Dá só uma olhada.

  • 54% dos funcionários dizem que a casa – e não o escritório – é o local ideal para fazer tarefas importantes relacionadas ao trabalho
  • 61% das pessoas melhoram a produtividade em casa graças à eliminação do estresse causado pelo deslocamento casa-trabalho e diminuição das interrupções de colegas
  • 88% dizem que trabalhar remotamente diminui o estresse
  • 80% acham que fazer home office ajuda a ter uma saúde melhor
  • US$ 700 bilhões é quanto as empresas podem economizar ao adotar o trabalho remoto, graças ao aumento da produtividade e da satisfação dos funcionários, menos faltas dos colaboradores, menor “turnover” e custo menor com deslocamentos

Agora, mais uns dados para você continuar argumentando.

  • 20% das pessoas aceitariam ganhar menos em outra empresa se esta oferecesse opções flexíveis de trabalho
  • 22% renunciariam a benefícios de saúde para trabalhar de forma mais flexível
  • 18% trabalhariam até mais horas se pudessem fazer home office
  • 82% dizem que seriam mais leais a seus empregadores se tivessem opções de trabalho flexível
  • 39% já recusaram uma promoção ou deixaram um emprego pela falta de flexibilidade

É claro que nem todo trabalho pode ser feito de casa, mas é fato que o mundo do trabalho vem mudando, bem como as necessidades pessoais dos profissionais. “O novo local de trabalho talvez não seja um local, mas simplesmente uma equipe que se reúne on-line”.

Adriana Fonseca é jornalista, tem mais de dez anos de experiência na cobertura de carreiras e empreendedorismo e já publicou no jornal Valor Econômico, na Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Hoje, escreve e edita seus textos em seu aconchegante home office.

Compartilhar essa página