Olho no olho: a tecnologia não vai nos desconectar

Por Robert Half 21 de junho de 2018

Por Fernando Mantovani

A tecnologia tem contribuído para a melhora de nossas experiências dia após dia, inclusive quando o assunto é mercado de trabalho. Por exemplo, qual foi a última vez que você entregou um currículo pessoalmente na portaria de uma empresa ou soube de alguém que fez isso? Dependendo da geração a que pertence, aposto que você nunca entregou o documento na portaria de uma empresa, pois o enviou ao potencial empregador via e-mail, site da própria companhia ou empresa de recrutamento e plataformas específicas de emprego.

ENVIE SEU CURRÍCULO

No meu ponto de vista, a chegada da tecnologia está longe de eliminar algumas etapas tradicionais do processo de recrutamento, como a entrevista presencial. Para mim, os avanços tecnológicos estão vindo para complementar a ação de recrutar, facilitando e agilizando o encontro entre candidatos e empresas. Há, inclusive, softwares que ajudam no cruzamento de habilidades dos candidatos com o escopo da vaga para otimizar o processo.

Dentro desse cenário, minhas orientações são:

Aos empregadores:

  1. Dediquem atenção à definição da descrição da vaga, com detalhamento de habilidades e certificações importantes para o bom desempenho da função.
  2. Não exclua a entrevista presencial do processo de seleção, principalmente se as atividades da vaga em aberto interferem no resultado dos negócios da companhia. Nada como o olho no olho para certificar-se sobre as impressões quanto a um candidato.
  3. No contato pessoal com o candidato, não perca a oportunidade de fazer perguntas que lhe permitam identificar as melhores habilidades comportamentais dele. Afinal, é difícil, por exemplo, ensinar alguém a ser engajado ou comprometido. Qualidades natas são sempre mais fáceis de serem aprimoradas.

Aos candidatos:

  1. Personalize o currículo com palavras-chave para aparecer aos “robôs” dos softwares. Tenha como base o anúncio da vaga ou as habilidades técnicas mais valorizadas pelo mercado, dentro da sua área de atuação.
  2. Sempre que possível, saia de trás da tela do computador para ter contato com os amigos ou pares de trabalho para não perder a habilidade de comunicação verbal, tão importante para entrevistas presenciais, por telefone ou videoconferência.
  3. Use a tecnologia a seu favor para se preparar para a entrevista. Pesquise sobre o mercado, a história, a cultura e os objetivos da empresa. Isso será importante tanto pra ver se você tem afinidade com a companhia quanto para mostrar ao recrutador que é uma pessoa atualizada e interessada.

Avanços tecnológicos são bem-vindos, o mundo precisa deles e comemoramos sua chegada. Mas, no processo de recrutar os profissionais mais adequados, o olho no olho nunca vai sair de moda!

* Fernando Mantovani, é diretor geral da Robert Half

More From the Blog...