O que queremos do profissional de TI?

Por Débora Ribeiro

Nos últimos anos, o papel da tecnologia dentro das empresas ganhou relevância como nunca se viu. A área passou de coadjuvante a estratégica e os gastos com tecnologia da informação deixaram de ser apenas custos e agora são tidos como investimentos. Nada mais natural que aumentasse também a importância dos profissionais do setor: as estruturas de TI passaram a ter diretores e fazer parte dos conselhos das empresas.

Com tantas novidades, o perfil requisitado para a área também mudou. Esqueça aquele profissional tímido, com dificuldade de se comunicar. Este estereótipo ficou para trás. Os aspectos comportamentais passaram a ter tanta importância quanto o conhecimento técnico - a comunicação passou a ser a habilidade mais requisitada.

Com TI cada vez mais vem fazendo parte do negócio, os profissionais da área agora precisam ter uma interação muito mais próxima com outros setores, do marketing ao financeiro. Ele também precisa entender de tudo um pouco e ter uma visão de onde e como a tecnologia entra em cada ramo da empresa.

Aí é que entra a comunicação: além de absorver muito bem as informações, algo que costuma ser comum às pessoas da área de TI, é preciso saber passar uma mensagem muito clara e simples - afinal estamos falando de um tema abstrato e um tanto complicado. Neste ponto, quem é mais extrovertido e tem maior capacidade intelectual e cultural acaba chamando mais atenção do recrutador.

Na nova era da tecnologia dentro das empresas, o profissional de TI também precisa ser analítico, e muitos ainda são limitados neste aspecto. Os recrutadores buscam quem tem uma visão global e saiba antecipar as necessidades futuras. Este requisito tem sido demandado em todas as áreas, mas em se falando de tecnologia, onde tudo muda muito rapidamente, ele fica ainda mais eminente.

Os profissionais de TI sempre me procuram com dúvidas sobre que linguagem de programação aprender: java, php, c#, Pyton, Ruby... Uma dica que eu dou principalmente para quem está começando uma faculdade de tecnologia é investir 100% em aprender inglês.

De um lado, empresas multinacionais interagem muito com outros países. De outro, muitas companhias brasileiras estão abrindo capital em bolsa ou recebendo aportes de investidores estrangeiros. Os dois casos exigem domínio da língua e com certeza isso fará muita diferença no momento da sua contratação.

* Débora Ribeiro é especialista em recrutamento da Robert Half

Compartilhar essa página