Na próxima reunião, passe o bastão

Por Adriana Fonseca

Não é porque você é o chefe que precisa liderar todas as reuniões. Para Paul Axtell, que tem mais de 35 anos de experiência em consultoria para eficiência pessoal e corporativa e é autor do livro “Meetings Matter: 8 Powerful Strategies for Remarkable Conversation”, reuniões com mais de oito participantes e que abordam uma variedade de assuntos deveriam ter um rodízio de comando.

Segundo ele, deixar que outros executivos conduzam a reunião traz três grandes benefícios.

1. DESENVOLVE A EQUIPE. A habilidade de gerenciar conversas é uma competência crucial e, à medida que as pessoas da sua equipe vivenciam isso elas constroem a própria reputação e influência. Liderar reuniões permite que elas exercitem essas habilidades no fluxo normal de trabalho, o que costuma ser mais eficiente do que em um programa de treinamento.

2. GARANTE QUE CONVERSAS IMPORTANTES SEJAM ABORDADAS. Uma facilitação hábil cria um fluxo para a conversa, provoca diferentes pontos de vista e atinge os objetivos da reunião com uma direção clara e um alinhamento para o futuro. Ainda que você tenha forte habilidade para conduzir uma reunião, é possível que outros façam isso igual ou até melhor que você, especialmente se eles têm pontos fortes únicos que possam levar para a conversa.

3. DÁ TEMPO, A VOCÊ MESMO, DE OUVIR, REFLETIR E FOCAR NAS SUAS CONSIDERAÇÕES. Se você não está liderando a reunião, você fica livre para contribuir com observações, sua experiência e perspectivas.

Caso você decida promover um rodízio a partir da próxima reunião, explique a iniciativa ao grupo e tenha em mente que, de toda forma, você é o responsável para que o encontro tenha começo, meio e fim e atinja seus objetivos.

Adriana Fonseca é jornalista, tem 15 anos de experiência na cobertura de carreiras, empreendedorismo e startups e já publicou no jornal Valor Econômico, na Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Compartilhar essa página