Meu emprego está em perigo! E agora?

Meu emprego está em perigo! E agora?

Por Juliana Porto

Via de regra, uma demissão não acontece de uma hora para outra - a não ser em casos de justa causa. Mas quando a má notícia chega, em geral, causa surpresa em quem a recebe. Até que a decisão seja tomada, há alguns sinais que podem ajudá-lo a perceber se seu emprego corre risco. Se notados com antecedência, você terá a chance de reverter esta situação.

O que fazer ao receber um feedback negativo

Uma avaliação ruim nem sempre significa que você será demitido, mas se acontecer mais de uma vez, a coisa pode mudar de figura. Para evitar o pior, peça ao seu gestor para explicar claramente os pontos que você não se adequando e de que forma você pode tentar corrigi-los. A partir daí, vai depender de você se empenhar para preencher estas lacunas e melhorar seu desempenho. Mãos à obra!

Como transformar o relacionamento ruim com o chefe em algo bom

Você tem percebido que seu coordenador te deixa de lado em projetos e decisões importantes? Ele está no seu pé o tempo todo? Vocês passaram a se desentender constantemente? Isso não é nada bom. Mas é bem mais comum do que você imagina. A depender da cultura da empresa, no entanto, é possível resolver o impasse. Procure o seu superior e entenda o que está acontecendo. Converse de forma amigável, coloque-se disposto a mudar algum comportamento que não esteja adequado e tente chegar a uma solução comum para os problemas entre vocês.

Quando o problema é você

Cansaço, desânimo, desmotivação. Os motivos podem ser vários para levar um funcionário a piorar o desempenho ou perder a confiança de seus superiores. Daí por diante, você pode ver sua participação reduzida em novos projetos ou até mesmo seu chefe começar a se dirigir diretamente a seus subordinados. Cabe a você reconhecer que é hora de mudar e tentar fazer o melhor para reverter o cenário. Mas se o quadro estiver pior do que você imagina, é viável também, tentar, junto com o seu gestor, buscar uma mudança de área ou de projeto.

Claro que estamos falando de situações genéricas. Sempre há exceções que não podemos dimensionar. Porém, ficando atento a esses sinais, você poderá diminuir as chances de ser pego de surpresa.

 

Juliana Porto é jornalista desde 2005 e começou sua carreira escrevendo justamente sobre... carreiras! De lá para cá, já cobriu finanças pessoais, consumo e tecnologia em redações no Rio e São Paulo, mas sempre acaba voltando ao tema com que começou sua vida profissional.

 

Tags: Emprego

Compartilhar essa página