Mercado financeiro: a nova fronteira para os profissionais de tecnologia

*Por Gabriela Mollo

Comumente, quem completa a graduação em Ciências da Computação ou TI, e mesmo quem já está no mercado há mais tempo, acaba direcionando seus esforços para empregos em empresas de tecnologia ou consultorias do setor. Porém, há um segmento, ainda fora do radar, que pode alavancar a carreira dos profissionais de TI. Trata-se do mercado financeiro, com posições de Analista de Negócios, Testes e Desenvolvimento.

É cada vez maior a demanda por profissionais de tecnologia, principalmente, em bancos de investimentos. Tão grande quanto a demanda é o desafio de encontrar candidatos qualificados para preencher as vagas. O principal entrave é o inglês. Por esses bancos terem uma interação internacional muito frequente, seja com a matriz, projetos ou órgãos regulatórios no exterior, esse profissional precisa ter pleno domínio e ser capaz de conduzir com tranquilidade uma reunião no idioma. Dificilmente sem o inglês, o profissional conseguirá se colocar em uma posição estratégica e participar efetivamente das decisões do negócio.

Outra questão é a familiaridade com o negócio. O setor financeiro exige alguns conhecimentos específicos. Não é preciso ser um expert, mas é adequado entender qual o papel da tesouraria, do compliance, do gestor de investimentos, para ser capaz de propor melhorias em sistemas e processos a fim de tornar o dia a dia mais eficiente.

Recentemente, publicamos nosso Guia Salarial 2016, com perspectivas para o mercado de trabalho no próximo ano, e nele destacamos que o profissional de TI deixa de ser visto como um colaborador introvertido, para ser percebido como alguém estratégico, com bom relacionamento com as demais áreas de negócios. Quando encontrados, candidatos com esse perfil tendem a ser ainda mais valorizados no mercado financeiro, tanto na contratação como também em políticas de retenção de talentos.

O ano de 2016 continuará a apresentar boas oportunidades para os profissionais de TI. Estar preparado fará toda a diferença para poder receber uma boa ou uma ótima proposta. Em tempos de crise, essa é uma excelente notícia. Não desperdice essa chance!

*Gabriela Mollo, é consultora de recrutamento de Tecnologia na Robert Half.

Este artigo foi publicado em primeira mão no portal Computer World

Compartilhar essa página