Menos de 5% das posições de lideranças são ocupadas por mulheres

*Por Elaine Fantini

Há anos, as mulheres lutam por seu espaço na sociedade. E à custa de muito esforço, ocupam, a cada dia, mais lugares no mercado de trabalho. Muito já foi feito, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido.

Segundo 49% das profissionais que responderam a um questionário on-line da Robert Half, em fevereiro deste ano, menos de 5% das posições de lideranças são ocupadas por mulheres em suas empresas. Nos níveis mais altos da hierarquia, elas ocupam menos de 4% dos cargos de CEO no Brasil (Gran Thornton – Woman in Business 2015).

Segundo 51% das profissionais, as oportunidades entre homens e mulheres são desiguais. Além disso, 64% já receberam ou sabem de mulheres que receberam salários menores para desempenhar a mesma função de um homem.

O levantamento também mostra que para 83% das profissionais, as empresas não preparam os homens para lidar com as mulheres no ambiente de trabalho.

As empresas com visão de futuro já investem em programas para tratar a questão do gênero entre seus funcionários. Um estudo que analisou as 1.643 empresas que fazem parte do MSCI World Index, revelou que empresas com liderança feminina forte proporcionam um retorno 36% maior sobre o capital próprio, de acordo com o relatório do índice MSCI.

E assim deve ser. As companhias que quiserem se manter competitivas devem, cada vez mais, dar lugar às mulheres.

Clique aqui e faça download do estudo "Mulheres e o Mundo Corporativo".

*Elaine Fantini é relações públicas da Robert Half

Compartilhar essa página