Os novos benefícios no trabalho e a identificação do valor agregado

A grama do vizinho é sempre mais verde

Por Fernando Mantovani

Horário de trabalho flexível, geladeira com quitutes à disposição, sala de jogos, bar, local para soneca depois do almoço são algumas das facilidades que certas empresas admiradas oferecem para seus funcionários. Com esse pacote atrativo, é grande o número de profissionais que procuram as melhores empresas para trabalhar.

A sedução vinda com os benefícios do trabalho é tanta que muitos esquecem dos percalços que fazem parte de qualquer dia a dia de trabalho: as metas são agressivas; a exigência é grande, assim como a competitividade entre os colegas e também acontecem injustiças nesses locais.

O momento da mudança de emprego

São inúmeras as razões que nos levam a querer trocar de emprego ou dar um novo rumo na carreira. Mas é errado pensar que todos os nossos problemas desaparecerão porque mudamos de empresa. Ou que a companhia A é melhor que a B porque tem uma mesa de ping pong. Às vezes, só mudamos de problemas.

Por isso, antes de qualquer movimento é preciso analisar com cuidado o que nos incomoda no trabalho atual. Podemos acabar descobrindo que uma simples mudança na própria postura pode transformar o ambiente de trabalho para melhor.

Leia também: A insegurança na mudança de emprego

Se depois de uma autoanálise você entender que vale à pena buscar uma nova oportunidade, aí sim inicie a nova empreitada, com bastante clareza das razões que o motivam. Dessa forma, você evitará cair em armadilhas sedutoras que poderão gerar frustrações no novo empregador.

Leia também: Trabalho home office, a estratégia de grandes companhias

Fernando Mantovani é diretor de operações da Robert Half Brasil.
Este artigo foi originalmente publicado no blog Sua Carreira, Sua Gestão, da Exame.com.

Tags: Carreira, Emprego

Compartilhar essa página