Jornada ao crescimento profissional

Por Flávia Mendes

No artigo sobre “Os desafios da liderança”, publicado aqui no blog, apresentei em qual momento nos encontramos e o que se compreende pelo processo de liderança. O que se acreditava por liderança não traduz os inúmeros desafios que vivenciamos no cotidiano atual e, por este motivo, precisamos buscar novos meios de nos desenvolver e crescer profissionalmente.

Você já parou para pensar quais são as características dos líderes bem sucedidos?

A verdade é que quando verificamos profundamente a trajetória desses líderes vemos que eles não apresentam uma fórmula única e eficaz, mas sim, uma atitude em comum a todos: a capacidade de reconhecer seus pontos fortes, seus pontos fracos, suas habilidades técnicas e comportamentais e quais são seus desafios pessoais, ou seja, uma atitude que prioriza o autoconhecimento.

O autoconhecimento é a maneira que temos para compreender nossos mapas ocultos. Com o processo de autoconhecimento podemos entender o que nos atrapalha para alcançarmos nossos objetivos pessoais e profissionais e o que nos faz seguir adiante. Procuramos aprender quais são as situações que nos deixam confortáveis e quais são os momentos em que nos sentimos desconfortáveis diante de uma ocasião.

A jornada para o crescimento profissional e para alcançar a liderança começa com o autoconhecimento. Existem diferentes métodos para se iniciar no processo de autoconhecimento, muitos preferem começar com uma terapia individual, outros com uma terapia em grupo, sessões de coaching ou cursos de desenvolvimento pessoal.

A maioria das pessoas começa o processo de autoconhecimento sem ajuda externa, buscando respostas sobre seus problemas. A questão é que, quando começamos um processo de autoconhecimento sozinhos, podemos não encontrar direções ou até mesmo irmos em direções contrárias do aprendizado necessário para nossa evolução.

Como trabalho com desenvolvimento humano por meio da comunicação, utilizo muito em meus cursos abertos e treinamentos nas empresas o Eneagrama. Este modelo existe há cerca 3 mil anos, mas começou a ser consagrado e utilizado pelo mundo corporativo na década de 1970. O foco consiste em analisar o perfil de cada indivíduo, por meio de perguntas que abordam como as pessoas agem diante das mais variadas situações e, assim, encaixa-lo dentro dos 9 perfis apresentados pelo modelo.

O Eneagrama nos mostra quais são as motivações e os valores de cada perfil e como cada perfil se comunica e interage com as pessoas ao redor e com os outros perfis.

Compreender o que nos motiva e como nos comunicamos é o primeiro passo de uma jornada que vai durar a vida inteira, pois o processo de autoconhecimento não tem prazo para terminar, apenas data para começar.

* Flávia Mendes é consultora e palestrante nas áreas de comunicação, criatividade e liderança. Sua atuação está focada no desenvolvimento humano por meio da comunicação. Professora da ESPM e CEACOM/ECA-USP. Para saber mais, acesse: www.fcmmendes.com

Compartilhar essa página