Impossível não é um fato, é uma opinião

Fernando Mantovani

É possível que você já tenha escutado em algum momento da carreira frases como: “nessa empresa, só há oportunidade de promoção se o chefe for demitido”; “apenas bajuladores conseguem se destacar na equipe”; ou “esse processo funciona assim há anos e nunca vai mudar”. Esses e outros paradigmas negativos circulam pelo mundo corporativo e só servem para atrasar sua vida profissional.

Se você deseja realmente se desenvolver na carreira, o primeiro passo é deixar de lado o negativismo e as ideias que te impeçam de superar limites. Procure ter clareza de suas metas e das ações necessárias para atingi-las. Não tenha medo de se reinventar e de considerar alternativas que ainda não foram exploradas. Esse “plano”, inclusive, pode ser adaptado à sua vida pessoal.

Tenha como inspiração, por exemplo, os atletas de alto-rendimento, que todos os dias acordam com o desafio de superar os próprios limites, dificuldades e recordes. Mesmo sem a garantia de alcançar a primeira colocação nas competições, em geral, eles entram nas disputas motivados e com o propósito de apresentar sua melhor performance.

Como disse, certa vez, o pugilista Muhammed Ali: “Impossível é apenas uma palavra grande propagada por pessoas pequenas que acham mais fácil viver no mundo em que lhes foi apresentado em vez de explorar o poder que possuem para mudá-lo. Impossível não é um fato, é uma opinião. Impossível não é uma declaração, é um desafio. Impossível é potencial. Impossível é temporário. Impossível é nada”.

Tenha cuidado para que os paradigmas não virem desculpa para sua estagnação. Eles podem prejudicar – e muito – o seu desenvolvimento profissional e o seu relacionamento com os demais membros da equipe, afinal, ninguém gosta de conviver com pessoas negativas.

Fernando Mantovani é diretor geral da Robert Half Brasil.
Este artigo foi publicado originalmente no blog Sua Carreira, Sua Gestão, da Exame.com.

Compartilhar essa página