Onboarding remoto: como funciona e quais são as 5 melhores práticas?

Por Robert Half on 6 de maio de 2020

O onboarding refere-se ao processo de integração de novos talentos. Ele é importante por uma série de razões, em especial porque gera uma boa primeira impressão sobre a empresa e estabelece laços com o recém-contratado. Contudo, como fazer o onboarding remoto?

Primeiro, é preciso ter consciência de que o processo remoto demanda ainda mais dedicação. Você não está ao lado do talento para notar suas limitações ou dificuldades. Tem mais, precisa entender que o processo se inicia antes do primeiro dia de trabalho do novo funcionário e se estende por algumas semanas, até que o talento se sinta efetivamente parte da equipe.

Adiante, explicamos como ocorre o onboarding remoto e quais são as 5 melhores práticas para adotar em sua empresa. Portanto, continue atentamente com a leitura.

Quais os fundamentos para o onboarding remoto?

Diferentemente do processo presencial, a dinâmica remota de integração pede alguns cuidados especiais. Por exemplo: a ótima comunicação, a pontualidade do gestor e a disposição para eliminar qualquer dúvida remanescente. Do contrário, existirão falhas graves.

O onboarding remoto deve ser planejado tendo em vista três momentos-chave: i) antes do funcionário começar a trabalhar, ii) no primeiro dia de trabalho e iii) após esse primeiro dia. Desse modo, o gestor e o time de RH podem projetar bem toda a dinâmica de integração.

Ainda, é importante averiguar quais informações são essenciais e devem ser entregues ao recém-contratado. Essas informações referem-se à cultura do negócio, aos processos diários e às pessoas que dão vida à empresa. Explicamos, adiante, como tornar isso viável.

Quais as melhores práticas para o onboarding remoto?

O onboarding remoto é um processo e, como tal, depende de um conjunto de etapas bem executadas. Não pense que existe uma "receita" pronta, pois não existe; o processo deve ser adaptado a cada empresa e cultura. Todavia, algumas práticas são cruciais. Veja quais são!

1. Deixe tudo preparado para o primeiro dia

O primeiro dia do recém-contratado é importante, pois ele terá um contato inicial com a empresa e colegas de trabalho — e lembre-se: a primeira impressão conta muito. Nesse caso, comece informando à atual equipe que um novo funcionário entrará. Faça isso em uma reunião online, por exemplo.

Fale do profissional, de onde ele veio, o que fará e como vai contribuir com o time. Assim, ninguém será "pego" de surpresa. Aproveite, ainda, para solicitar todos os equipamentos e acessos que serão necessários para que o talento atue em home office, do contrário ele terá dificuldades para começar.

2. Formalize as boas-vindas ao novo profissional

O processo de onboarding remoto pode soar frio. Para que isso não aconteça, é essencial se mostrar receptivo e deixar claro ao talento que ele é bem-vindo, mas como? É interessante que o gestor formalize um e-mail de boas-vindas.

Ele deve conter dados como: mensagem de boas-vindas, data e horário para começar o trabalho e link para uma reunião inicial entre líder e liderado, bem como outros itens que julgar importante. Após o envio do e-mail de boas-vindas, ligue para o funcionário e confirme o recebimento. Disponibilize-se para tirar dúvidas adicionais, pois elas sempre podem existir.

3. Seja pontual e receptivo no primeiro dia

Se no onboarding presencial a pontualidade é importante, no processo remoto ela é crucial. Então, no primeiro dia do talento, seja pontual para recebê-lo. Ligue sua câmera para dar boas-vindas. Atente-se à sua postura corporal e ao seu tom de voz. Aproveite para colocar um bom sorriso no rosto.

Podem ser detalhes, mas tenha certeza de que eles importam muito e determinam a qualidade da experiência inicial do talento. Na primeira reunião, faça um overview da empresa. Explique também como será a dinâmica de integração, com quem o talento vai falar nesse período e qual a importância disso.

4. Aproveite para alinhar as expectativas

O onboarding pode sofrer de um problema de assimetria de informação. Ou seja, o talento e a empresa podem ter expectativas diferentes, o que não é exatamente bom. Então, ainda no primeiro dia, em reunião online, aproveite para alinhar as expectativas. Explique como vai funcionar a jornada de trabalho online, como as entregas serão feitas e como os resultados serão mensurados.

Assim, o profissional se sentirá mais seguro. Aproveite, também, para ouvir o que o colaborador tem a dizer. Avalie o que ele espera da empresa, se ele ainda tem alguma dúvida ou demanda para iniciar seu trabalho.

5. Acompanhe o talento por algum tempo

Após o primeiro dia de integração e orientações básicas ao recém-contratado, é importante acompanhar o profissional, eliminar eventuais dúvidas e ajustar o que for preciso. Portanto, tire alguns momentos para conversar com o novo talento. Veja como ele se sente dentro da empresa e se falta alguma coisa.

Aproveite, ainda, para conversar com o time e averiguar se o novo colega de trabalho se encaixa bem. Ao obter feedbacks, aproveite para ajustar o que não dá certo ou adotar novos itens para que o onboarding remoto seja um sucesso. Assim, terá mais chances de acerto.

Quais erros evitar no onboarding remoto?

Existem alguns erros básicos e que certamente devem ser evitados no onboarding remoto. O primeiro é a ausência. Só dizer que o novo funcionário é bem-vindo e desejar sucesso não é suficiente. É preciso estar próximo, iniciar conversas e direcionar o novo profissional.

Outro problema, certamente decorrente do primeiro, é a falta de comunicação. Se não há diálogo, o processo de onboarding pode ser falho e o profissional se sentir deixado em segundo plano. Lembre-se de que se comunicar, além de saber falar, é se dispor a ouvir.

Por fim, a falta de um checklist que explica tanto o onboarding quanto as tarefas iniciais do recém-contratado é um problema. Em vista do trabalho remoto, o profissional precisa se sentir mais bem direcionado, saber com clareza o que deve fazer, quando e de que forma.

Veja, agora você está por dentro do tema, sabe o que é onboarding remoto, seus principais passos e no que não deve errar. Lembre-se de que um bom processo de integração gera diversos benefícios para a empresa e o profissional, resultando em alinhamento, engajamento e produtividade. Por fim, se possível, lembre-se de contar com um especialista no assunto.

Gostou do nosso artigo, correto? Aproveite para entrar em contato conosco, descobrir mais sobre onboarding remoto e entender como podemos ajudar. Vamos lá!

Você deve se interessar: Assista ao nosso webinar sobre Gerenciamento uma equipe remota

More From the Blog...