O perfil do líder que nasce com a pandemia

Por Robert Half on 11 de maio de 2020

Por Fernando Mantovani

Quando a pandemia teve início no Brasil, a Robert Half fez uma pesquisa com 240 profissionais e mapeamos que 41% deles estava usufruindo do home office pela primeira vez dentro da empresa na qual atuam. Isso quer dizer que, assim como muitos colaboradores estão tendo que se adaptar às pressas, muitos líderes também estão tendo que se adequar a esse novo momento. Em situações desafiadoras como a que estamos vivendo, minha percepção é de que o líder precisa colocar em prática duas habilidades:

1. Análise de dados

O Brasil de hoje não é o mesmo que iniciou o ano. É possível que as metas estabelecidas no início de 2020 já não façam mais sentido. Dessa forma, é importante que o líder vá em busca de dados de negócio para entender qual é a situação da organização e do mercado de atuação dentro do cenário da pandemia. Quais são os números da sua área? Qual é o impacto dela dentro da organização como um todo? O que esses dados dizem sobre o seu modelo de gestão? Quais metas precisam ser reestabelecidas? Quais processos podem ser otimizados? Onde estão as oportunidades de negócio? Como está o desempenho dos membros do time? Em momentos como esse, todo dado tem capacidade de gerar ideias inovadoras. Vai se destacar o gestor que souber interpretá-los da melhor forma. 

2. Relacionamento interpessoal

Principalmente em cenários desafiadores, o líder precisa estar próximo do time para manter ou elevar o engajamento dos colaboradores. Então, cuide-se para manter-se emocionalmente saudável, demonstre sua real preocupação com os profissionais e evite dar opiniões carregadas de emoção ou de percepções pessoais. Com a necessidade de distanciamento social, a tendência é que os profissionais fiquem um pouco inseguros. Isso exigirá que você demonstre proximidade e abertura para ouví-los, seja transparente na medida do possível, assuma verdadeiramente o comando da área e identifique a sua rede de apoio para quando precisar tomar decisões mais delicadas.

Não sei se essa é o primeiro grande desafio que você enfrenta na carreira profissional. Mas, possivelmente não será o último. O que posso te assegurar e me faz bem acreditar é que sempre temos a oportunidade de sair melhores dessas situações. Então, não desanime.

* Fernando Mantovani é diretor geral da Robert Half

More From the Blog...