Formação de equipe: 5 problemas de manter uma vaga aberta

Por Robert Half 26 de março de 2019

Por Danylo Hayakawa

O mercado de trabalho está aquecendo novamente e os processos seletivos têm um papel de extrema relevância nesse momento. Trabalhar na formação de equipe vem se tornando um desafio, já que muitas empresas passam a buscar os melhores profissionais disponíveis.

No entanto, quando a seleção de emprego é muito vagarosa, a organização pode perder esses talentos para a concorrência e ainda manchar a sua imagem como contratante no mercado. Afinal, todos estão na corrida por indivíduos altamente qualificados e assim formar um time de alto desempenho. O profissional pode achar que a empresa não está dando importância ao recrutamento e partir para uma nova oportunidade.

É por isso que hoje você vai descobrir a importância de ter um processo de recrutamento e seleção ágil e eficiente, os problemas de manter esses postos em aberto por muito tempo e de que forma você pode se organizar para preencher essa vaga em um tempo adequado. Acompanhe e saiba mais!

Como fazer uma divulgação de vagas eficiente?

A formação de equipe depende da transparência da empresa. E essa relação de confiança deve começar logo no anúncio de vagas, caso não seja um processo confidencial.

A descrição deve respeitar elementos como tamanho, número de funcionários, presidência, localização geográfica, se possui sedes em outros lugares ou fora do país, para que o candidato tenha noção do porte da organização.

Depois, é importante ter um escopo claro e objetivo sobre a posição a ser ocupada com essa vaga. Isso contribui para que o candidato realmente possa se interessar, como se fosse uma propaganda para a função. Como as pessoas estão cada vez mais com os dias corridos, é importante ser sucinto e objetivo na descrição do escopo, falando qual vai ser o desafio.

Então, você pode atrair perfis cada vez mais adequados a função e as políticas da empresa, trazendo agilidade ao processo.

ENVIE SUA VAGA

Quais são os cuidados necessários ao realizar esse processo?

O processo ideal não pode demorar mais do que uma semana em cada etapa e o processo inteiro não deve ultrapassar um mês. Esse prazo é referente ao processo de abertura e fechamento de vaga, independentemente da data em que o candidato aprovado inicie suas atividades.

Aqui, sempre sugerimos para que os clientes simplifiquem os processos. Por exemplo, se são três pessoas que precisam entrevistar, tentar fazer uma entrevista com a presença de todos de uma só vez, ganhando tempo e conseguindo, assim, fechar o processo nesse prazo de um mês.

A sugestão dada é utilizar recursos tecnológicos, como o Skype, para trazer agilidade ao processo: talvez uma das pessoas que precisem participar do processo esteja viajando e, para que o processo não fique parado, participe das entrevistas via Skype.

Quais são as melhores práticas para atrair os candidatos certos?

Além de uma vaga bem divulgada e um processo com tempo de duração adequado, para atrair os melhores candidatos disponíveis no mercado de trabalho, algumas práticas podem ser adotadas:

  • escolher o tipo certo de recrutamento, com técnicas adequadas — contratação de uma empresa terceirizada ou o uso de sistemas online, por exemplo;
  • fazer avaliações adequadas, considerando diferentes aspectos do perfil e não apenas as qualificações técnicas e profissionais;
  • investir em ações de employer branding;
  • atrair os melhores profissionais com uma remuneração coerente e bons programas de benefícios;
  • estar sempre atualizado sobre as tendências de recrutamento e seleção.

Quais são os problemas causados por manter uma vaga em aberto?

Aparentemente, deixar uma vaga em aberto dentro da empresa parece algo inofensivo. Alguns gestores podem pensar, inclusive, que um processo seletivo realizado com calma garante as melhores contratações.

Isso sempre é um assunto delicado e o tempo desse processo é fundamental para que ele tenha sucesso ou não. Existe uma série de motivos para isso. Conheça os 4 principais problemas causados e a melhor forma de se organizar para preencher essa vaga!

1. Motivação prejudicada

A motivação das pessoas envolvidas no processo de seleção vai diminuindo aos poucos. Quem estava super motivado no início e passa por um processo vagaroso, com muito tempo entre uma etapa e outra, perde o foco e a vontade.

2. Perda de potenciais candidatos

O segundo ponto é o risco de a empresa perder potenciais candidatos. É preciso lembrar que o profissional não estará participando só de um processo seletivo, então, quanto maior a demora, maior o risco de perdê-lo para outra empresa. Isso atrasará mais ainda o processo, que deverá iniciar novamente, do zero.

3. Aumento da sobrecarga

O aumento da sobrecarga de trabalho é um impacto sofrido dentro da própria empresa e diminui a produtividade. Um processo muito demorado interfere no desempenho do time da companhia, pois, como existe uma vaga faltando que não é preenchida, o trabalho fica sobrecarregado.

“As equipes hoje em dia são muito enxutas, com pessoas executando multitarefas, e a falta de uma peça desmotiva e sobrecarrega o time inteiro”, destaca o profissional.

4. Aumento do turnover

A sobrecarga e a demora para a conclusão de um processo seletivo podem aumentar os índices de turnover. A empresa corre o risco de precisar preencher mais vagas porque vai gerando uma desmotivação geral. Isso faz com que os colaboradores busquem novas oportunidades.

5. Prejudica a imagem da empresa

Muitas empresas cometem o erro de iniciar um processo seletivo sem ter realmente certeza se aquela vaga será preenchida agora. Ao término de todo o processo, resolvem contratar alguém da própria empresa, encerrar o departamento ou fazer uma nova seleção posteriormente.

Essa é uma atitude que mancha a imagem como empregadora. Os participantes sentem que foram ludibriados ao participar de uma seletiva que não deu em nada, especialmente se encontrarem a vaga em aberto novamente.

Como se organizar para preencher a vaga?

O primeiro passo para preencher uma vaga de emprego é listar, adequadamente, todas as funções pertinentes ao cargo e o perfil técnico e emocional ideal para desempenhar a atividade. Esse processo não deve ser realizado por um só profissional: é preciso que gestores de RH, de setor o líder da equipe que necessita de um novo colaborador estejam juntos nessa jornada.

Somente após um perfil bem definido, é possível fazer a divulgação correta da vaga para atrair os profissionais mais adequados diante do que a empresa deseja e iniciar o processo seletivo. Do contrário, as chances de fazer uma contratação razoável são grande, o que pode fazer com que o colaborador seja desligado ou peça demissão em pouco tempo, gerando os mesmos problemas descritos no tópico anterior.

Como uma empresa especializada pode ajudar a resolver esse problema?

O importante é trazer o cliente para a realidade e entender o valor de uma consultoria. E primeira coisa que uma empresa que trabalha com isso deve colocar em pauta é trazer os clientes para a realidade e entender, junto com esse cliente, qual é a expectativa que ele tem para que essa vaga seja preenchida.

Muitas vezes o cliente nos passa uma data e nós fazemos um cronograma de trás para frente, e com esse cronograma de entrega, considerando também o comprometimento desse cliente, encaixamos na agenda de todos os envolvidos.

CONFIRA NOSSAS DIVISÕES DE RECRUTAMENTO

Quais são as alternativas para uma contratação que possa estar demorando?

Precisamos reconhecer que nem tudo funciona conforme gostaríamos e que um processo seletivo pode demorar mais que o desejado. Felizmente, é possível adotar algumas alternativas para não sofrer os impactos negativos listados nos tópicos anteriores.

A contratação temporária pode ser uma solução para evitar que os colaboradores fiquem sobrecarregadas, entretanto, não deve ser considerada uma opção para a formação de equipe. Por isso, o interessante é continuar com os processos para efetivar os profissionais.

Normalmente, quando acontece essa situação, o profissional temporário sabe que está para algo pontual para a empresa e precisará dar lugar para a contratação definitiva. Em alguns casos, a pessoa que entrou como temporário pode mandar muito bem e a empresa decidir efetivar esse profissional. Então, acaba sendo uma alternativa bem frequente.

O tempo é um elemento fundamental quando o assunto é a formação de equipe. Portanto, não negligencie questões a respeito da duração do processo seletivo de sua empresa!

A Robert Half é líder mundial em recrutamento especializado. Sua principal proposta é ajudar os profissionais a encontrar um emprego e as empresas a selecionar os perfis certos para preencher suas vagas. Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudá-lo!

Contratando com eficiência

Confira dicas essenciais para o sucesso de um processo de recrutamento.

 
* Danylo Hayakawa é Gerente de Recrutamento da Robert Half

More From the Blog...