Executive search: como funciona e quando usar esse serviço

Por Robert Half on 3 de fevereiro de 2021

Encontrar os melhores talentos nem sempre é fácil pois demanda pesquisa, tempo e esforço de vários profissionais, sem falar no investimento financeiro necessário. Nesse momento, o recrutamento especializado faz total diferença, especialmente na hora de encontrar perfis executivos. No caso, o modelo Executive Search (busca por executivos) pode ser a solução.

Envie sua vaga

Essa modalidade procura talentos para preencherem posições estratégicas na empresa, notadamente nos níveis de gerência e diretoria, mas também abarca postos de liderança nos níveis intermediários, como coordenadores e supervisores.

O processo de Executive Search abrange todo o entendimento da necessidade da empresa, o levantamento de perfis de candidatos, passa pela etapa de entrevista e seleção, e chega até mesmo à pós-contratação, quando avalia a adaptação do profissional contratado na empresa.

Ficou interessado em saber mais sobre Executive Search? Continue lendo!

Qual o papel do Executive Search?

Para responder a essa e às próximas questões, convidamos Mario Custodio, Diretor Associado da Robert Half e também diretor do time de Executive Search da consultoria.

Ele destaca que, além de contribuir com recomendações para a contratação de um profissional-chave para a empresa, a área de Executive Search colabora consultivamente fornecendo alternativas de contratação. Também ajuda no próprio trabalho que será realizado, tendo por suporte a metodologia de mapeamento do mercado que será empregada no processo (falaremos dela adiante).

“Com base na experiência que temos na contratação de executivos, podemos orientar, direcionar e contribuir com inputs que, para algumas empresas, ainda geram dúvidas”, explica Mario. “Nem todas as organizações têm clareza de qual é o perfil que querem contratar, então uma consultoria como a Robert Half, na divisão de Executive Search, pode ajudar muito”.

Algumas das principais dificuldades que as empresas enfrentam quando precisam admitir um profissional executivo é não ter muito conhecimento do mercado e de sua abrangência para contratar. Também há a dificuldade em delimitar quais podem ser os perfis aderentes à cadeira vaga. É nesses pontos que uma consultoria focada em Executive Search consegue colaborar.

“O trabalho da consultoria é buscar e contratar profissionais, então, dada nossa redes de contatos e o tempo cem por cento dedicado a isso, obviamente podemos agregar muito mais valor ao processo”, observa Mario.

Como funciona esse processo?

A Robert Half tem um processo estabelecido na hora de buscar profissionais de nível executivo. Veja as principais etapas!

Kickoff meeting

Após a negociação e o estabelecimento da parceria, o primeiro passo é a reunião de alinhamento inicial (kickoff). Nela, ambas as equipes entrarão nos detalhes da empresa que precisa preencher a vaga.

Para isso, existem algumas perguntas relacionadas aos requisitos técnicos e comportamentais do cargo, bem como questões sobre a própria organização que precisam ser respondidas. Isso é importante para haver entendimento sobre a cultura e os valores da empresa, e o que faz com que o profissional seja bem-sucedido. Veja exemplos:

  • qual o cenário atual da empresa? Em que setores ela atua?
  • por que o profissional em questão será contratado? O que se espera dele?
  • por que existe essa cadeira ou demanda?
  • quais são as qualificações técnicas que ele deve ter?

Além disso, na reunião é discutida a estratégia de busca desse profissional e quais mercados e demais organizações serão abordados. Basicamente, podemos dizer que essa reunião envolve pensar nas rotas de buscas e nas rotas alternativas para realmente encontrar o melhor candidato possível para a vaga.

Definição de um documento com a estratégia de contratação

A partir das respostas e do entendimento mútuo entre consultoria e empresa, ocorre a validação das informações por meio de um documento. Depois disso, inicia-se o trabalho de mapear o mercado.

“Mapeamos o mercado com base na estratégia desenhada nesse encontro e, periodicamente, fazemos uma reunião com o cliente para reportar o progresso do processo seletivo”, explica Mario. “Em cada nova reunião, dividimos tudo o que foi feito no decorrer da semana e falamos sobre os profissionais que foram abordados”.

Formação de listas de candidatos

Mario comenta que a consultoria compartilha informações dos profissionais que se destacaram no período, para que isso possa evoluir até que se chegue aos candidatos finalistas.

“Começamos com uma long list, ou seja, iniciamos o mapeamento trabalhando com um volume maior de profissionais”, explica ele. “Ao longo da semana, afunilamos até chegar no que chamamos de short list, com nossos candidatos finalistas”.

Acompanhamento dos candidatos e da empresa

A organização fará entrevistas com os candidatos selecionados, conforme o seu cronograma próprio. “Cada empresa tem um número x de profissionais que se envolvem no processo seletivo”, destaca Mario. “Nós, obviamente, acompanhamos e apoiamos com as suas agendas e com as entrevistas”.

“Sempre coletando as informações do feedback do candidato e do feedback do cliente em relação a como foram as entrevistas, o processo evolui até chegar na etapa final”, explica ele. “Próxima a essa fase, coletamos as referências profissionais dos candidatos que chegam ao ponto em que já existe um interesse mútuo. Depois, damos apoio também na elaboração da proposta, quando a empresa seleciona o profissional que contratará”.

Mario afirma que o acompanhamento do profissional passa pela contratação e segue até o seu onboarding (integração com a empresa). “Via de regra, também costumamos fazer contatos com o profissional depois que ele entra na empresa para saber como as coisas estão indo”, comenta.

“Queremos manter essa parceria não só até o profissional ser contratado, mas após isso para saber como ele está desempenhando suas atividades e como as coisas estão se sucedendo entre ele e a empresa”, ressalta o Diretor Associado. “Isso também faz parte do nosso processo, da nossa metodologia”.

Por que contar com um Executive Search?

Existem vantagens em contratar uma consultoria especializada em Executive Search, como contar com uma parceria com amplos contatos profissionais, o que aumenta o alcance da contratação. Além disso, a busca é totalmente confidencial e há uma divisão organizada no trabalho dos profissionais envolvidos no recrutamento.

Porém, não para por aí! Confira outras vantagens:

Precisão na contratação

Nos casos em que é preciso recorrer ao serviço especializado de busca de executivos, o posto aberto, em geral, tem um papel extremamente relevante e crítico na organização.

“Ninguém quer errar em uma contratação dessa”, destaca Mario. “Então, contar com apoio de uma consultoria de Executive Search lhe dará o conforto de investir na contratação de um profissional que será bem-sucedido na empresa”.

Compartilhamento de know-how

O próprio conhecimento especializado que a consultoria traz para o processo seletivo é um benefício. Isso vai desde as escolhas e alternativas fornecidas, que permitem à empresa ter elementos comparativos para tomar uma decisão, até o fornecimento de uma visão mais ampla sobre o processo de recrutamento.

“Trata-se de uma visão mais transparente e responsável, dedicada e especializada em enxergar as causas dos problemas e não apenas em resolvê-los”, explica Mario.

Profissionalismo e governança

Quem contrata uma área de Executive Search para recrutar um executivo não tomará uma decisão porque alguém indicou, de modo a fazer média com outras pessoas. Nesse caso, a consultoria trará governança ao seu processo. Ela buscará alternativas de perfis que têm aderência ao seu negócio, ou seja, que estão em linha com aquilo que a sua empresa deseja.

Como aplicar essa metodologia na empresa?

Você pode estabelecer processos e treinar colaboradores para implementar a busca especializada por executivos e de liderança assim que for necessária a reposição de um profissional que saiu ou a admissão por conta de uma reorganização da empresa. No entanto, a recomendação é buscar uma consultoria especializada, e com experiência no tema.

Em relação a quando fazer isso, o indicado é o mais rápido possível. “Seja qual for o caso, o momento ideal de buscar essa parceria é assim que se sabe da vaga”, orienta Mario.

A Robert Half está acostumada a conduzir processos de nível executivo, inclusive, há um benefício extra em contar com ajuda externa. “A abordagem que a consultoria faz para o profissional acaba sendo mais efetiva porque ele, muitas vezes, se sente mais confortável em conversar com uma consultoria do que com a própria empresa”, explica Mario. “Principalmente pelo fato de que, na grande maioria das vezes, o profissional está empregado”.

Dessa forma, a consultoria consegue ter um acesso a mais profissionais, tanto os disponíveis quanto os empregados que têm receio de se expor.

Ficou interessado nesse processo de recrutamento voltado a executivos? Entre em contato com a nossa equipe para que possamos ajudar você!

Recrutamento especializado

More From the Blog...