Faça um networking eficiente

Por Juliana Porto

Pelo décimo oitavo ano seguido, o megainvestidor Warren Buffett realizou um leilão em que o vencedor teria direito a almoçar com ele. A melhor oferta saiu por nada mais nada menos do que US$ 2,7 milhões - o valor vai direto para ações sociais.

Pode parecer completamente ridículo alguém pagar milhões de dólares por um único almoço, mas alguns deles podem ter boas razões para fazê-lo. Por exemplo, o gestor de investimentos Ted Weschler, que já arrematou o almoço com Buffett por duas vezes, recebeu uma oferta para trabalhar na Berkshire Hathaway, empresa de participações do megainvestidor. Ele aceitou e hoje ajuda a administrar um patrimônio de US$ 21 bilhões.

Mas o que você e sua carreira, um dos maiores investidores do planeta e uma pessoa com mais de US$ 2 milhões disponíveis para um "simples almoço" têm em comum? A resposta é simples: networking. O conteúdo da conversa entre Buffet e Weschler está guardado a sete chaves, mas ele certamente soube se posicionar bem para impressionar o bilionário. E você, está cultivando bem os seus contatos? Veja algumas dicas da Robert Half:

Comunique-se: Há vários meios de entrar em contato com sua rede - encontros pessoais, telefone, whatsapp, e-mails ou até mesmo redes sociais. Qualquer um deles é válido se utilizado na medida certa.

Seja ativo: Não funciona acionar sua rede de contatos apenas quando precisar de algo como emprego, indicação, dica ou conselho. A rede de contatos  também serve para isso, mas o networking deve ser uma troca.Compartilhe ideias, indique artigos, mostre-se interessado no avanço e ideias alheias. Mais do que isso, também esteja disposto a ajudar quando necessário.

Cative os novos contatos: Num primeiro encontro, por exemplo, é melhor ouvir mais do que falar. Já que falamos do Buffett, o livro preferido dele é "Como fazer amigos e influenciar pessoas", de Dale Carnegie. O livro ensina que as pessoas vão gostar mais de você simplesmente se elas puderem falar sobre elas mesmas.

* Juliana Porto é jornalista desde 2005 e começou sua carreira escrevendo justamente sobre... carreiras! De lá para cá, já cobriu finanças pessoais, consumo e tecnologia em redações no Rio e São Paulo, mas sempre acaba voltando ao tema com que começou sua vida profissional.

Compartilhar essa página