Recrutamento e seleção de pessoas: como montar o time dos sonhos?

Por Robert Half 14 de junho de 2019

     Copa América, que acontece no Brasil, e a Copa do Mundo de Futebol Feminino, na França, são dois importantes eventos futebolísticos do calendário esportivo de 2019. Um momento de muita expectativa para as equipes, torcidas e especialmente para os técnicos, personagens importantes, que circulam ao redor do gramado, mas que fazem a diferença e influenciam todo o time. O peso da vitória - ou da derrota - recai sobre os ombros desses profissionais, peças-chave na formação da uma equipe e tenha como objetivo bater metas e superar a concorrência.

    Já parou para pensar em como podemos usar o futebol para entender os processos de gestão das empresas? Há muitas semelhanças, por isso utilizaremos esse paralelo para ilustrar pontos importantes e facilitar sua compreensão acerca de nosso foco aqui: o recrutamento e seleção de pessoas.

    Tendo como referência a Copa América e a Copa do Mundo de Futebol Feminino, colocaremos você no papel do técnico de uma equipe prestes a entrar em uma competição dessa magnitude. O que podemos tirar das lições fundamentais na formação de um time dos sonhos? Leia até o fim e aprenda como transportar esses princípios para sua própria experiência enquanto gestor. Vamos lá?

    O que é preciso para criar uma equipe vencedora?

    Apesar do ânimo e empenho, são poucos os grupos que chegam longe ou se destacam na competição. Assim como no mundo dos negócios, é um grande desafio criar uma equipe composta pelos melhores jogadores. Além do processo seletivo em si, é necessário gastar tempo e investimento na busca pelos jogadores ideais. Trataremos desses pontos a seguir

    Empenhe-se na escalação do seu time

    O preço para a contratação de um jogador varia de acordo com o interesse do mercado. Se ele já tem um histórico de conquistas, certamente o valor de seu passe será maior, o que pode ser um empecilho para o orçamento disponível para a empresa.

    Por outro lado, existem também aqueles que começaram desde os times de base na instituição e os talentos descobertos ao longo do caminho. São pessoas que, além de custar bem menos do que a contratação de uma estrela, vestem a camisa com muito mais empenho.

    É fundamental, portanto, que haja no gestor uma preocupação constante com o processo de recrutamento. Faça-se a seguinte pergunta: quanto tempo de trabalho você gasta na aquisição de novos membros para o seu time? Para descobrir os verdadeiros talentos, é necessário acompanhar de perto o processo de seleção.

    Valorize aqueles que vestem a camisa

    Dificilmente um time tem dinheiro sobrando para contratar várias estrelas. Vale lembrar que o interesse dos trabalhadores não reside apenas nos ganhos de salário. Alguém se filia a uma empresa ou equipe porque acredita na visão propagada por aquela instituição, confia nas possibilidades de crescimento profissional e do grupo.

    Mais do que a questão do salário, o que mantém um jogador em um time é a sua crença de que aquela é uma equipe de sucesso. Ninguém gosta de jogar em times que já sabe que será derrotado. Por isso, ninguém melhor do que o gestor para vender uma visão e convencê-los do sucesso de determinado negócio.

    Quais são as peças necessárias para montar um time dos sonhos?

    Assim como no futebol, existem diferentes atores que compõem o jogo. Traremos alguns exemplos a seguir.

    O Capitão

    Trata-se daquele membro que guiará as ações dos outros jogadores, a partir de uma visão planejada de direcionamento e gestão. Essa função não coincide com a do melhor profissional, do mais habilidoso. Liderar, portanto, é uma habilidade diferente de ter um nível técnico muito alto.

    O mais importante aqui é que o capitão saiba identificar quais são as habilidades principais de cada um e de como isso pode ser direcionado durante o jogo. Deve ser uma figura que transmite confiança e que tenha uma visão tanto externa quanto interna das relações, já que ele também faz parte desse grupo.

    A estrela do time

    Esse é um ingrediente desejado por qualquer instituição. Quem não gostaria de ter uma estrela do futebol jogando no seu time? É uma figura com grande potencial, podendo ser responsável individualmente por aquele gol no último instante. Eleva o nível do grupo como um todo e também tem a capacidade de transmitir confiança para os colegas.

    Ainda assim, esse ou esses jogadores devem ser posicionados com inteligência pelo técnico. O mundo futebolístico e o dos negócios têm passado por transformações visíveis nesse sentido. Antigamente, a figura de uma estrela implicava muito mais na vitória ou derrota de uma equipe, o que trazia também um peso grande para esses profissionais.

    Aos poucos, essa cultura vem mudando. Entendemos que a presença de uma estrela também pode ser muito nociva para os outros jogadores, a depender do espaço que ele ocupa no time. Deve haver uma aposta na capacidade de cada indivíduo colaborar de forma decisiva para a equipe e não depositar essas esperanças apenas em um ou dois.

    Os demais jogadores

    Compreendemos hoje que o desempenho da equipe como um todo é muito mais importante do que a performance de determinada pessoa. Ainda que haja duas ou mais estrelas em um time, é necessário que cada um consiga contribuir de maneira relevante durante o jogo.

    Contar com o sucesso de apenas um de seus membros é uma cilada tentadora, que acaba por colocar os outros em uma zona de conforto e ainda sobrecarrega um indivíduo. Os times que tem obtido maior destaque atualmente são aqueles que conseguem trazer essa visão de equipe para o campo.

    O que aprendemos com o futebol para o recrutamento e seleção de pessoas?

    Por fim, vamos retomar os paralelos feitos até aqui no formato de lições, para que você possa levar pra casa a mentalidade de um técnico vencedor:

    • crie uma cultura positiva na empresa, pautada pela solidariedade e respeito mútuo entre os pares;
    • deixe claro as funções e tarefas de cada um dos participantes, para que todos efetivamente contribuam com o desempenho do time;
    • acompanhe de perto o processo de seleção sempre que possível, lembre-se que você é responsável pela composição de cada parte dessa engrenagem.

    No campo ou nos escritórios, o trabalho dos líderes é fundamental na criação e manutenção de uma equipe de sucesso. Tanto o gestor como o técnico de um time vitorioso devem, antes de qualquer coisa, conseguir escalar um time de profissionais de qualidade e que funcionem bem enquanto grupo.

    Como você já deve ter percebido, o momento de recrutamento e seleção de pessoas deve ser uma constante na vida de qualquer gestor. Trata-se de um processo que raramente se interrompe na contratação de um funcionário. Porém, se estende no acompanhamento necessário de seu desenvolvimento e interação com os outros.

    Portanto, não é do dia para a noite que uma verdadeira equipe é formada. É necessário um trabalho árduo e constante por parte do gestor, que deve se manter por todo o campeonato, não apenas no momento da escalação e escolha dos jogadores.

    E agora, você conseguiria chegar às finais da Copa América ou da Copa do Mundo de Futebol Feminino com o seu time? Siga-nos nas redes sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube) e tenha acesso a outros conteúdos de qualidade no campo da gestão empresarial e do mundo do trabalho!

    Está contratando?

    Clique no botão abaixo e envie sua vaga

    More From the Blog...