8 perguntas que todo headhunter faz

Por Robert Half 29 de maio de 2019

Preparar-se para uma entrevista de emprego é fundamental caso você queira causar uma boa impressão ao headhunter. Só que muita gente não faz a lição de casa e acaba se atrapalhando na hora de dar boas respostas.

“São sempre as mesmas perguntas que causam desconforto aos candidatos”, afirma Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half. “E isso acontece porque o profissional não pensa nas perguntas com antecedência e não estrutura as respostas de forma objetiva.”

Se você não quer falhar na próxima entrevista de emprego, continue a leitura para compreender a importância de se preparar para a conversa com o recrutador e por que existem questionamentos que sempre são feitos. Saiba, ainda, quais são as perguntas em entrevista de emprego mais comuns e a melhor maneira de se portar ao responder. Boa leitura!

A importância de se preparar para as perguntas de entrevistas de emprego

Quando nos preparamos para fazer qualquer atividade na vida, há maior chance de sucesso. Portanto, é importante repassar os pontos fortes da sua trajetória profissional antes da conversa com o recrutador. Se você esteve um bom tempo da sua carreira em determinada empresa, pense quais foram suas experiências mais gratificantes no referido trabalho:

  • quais foram os melhores resultados atingidos;
  • quais foram as atividades mais desenvolvidas;
  • quais foram as dificuldades e conquistas;
  • o que a experiência agregou a você pessoal e profissionalmente.

Pensar previamente nesses pontos evita que uma informação importante seja esquecida no momento da entrevista, o que pode fazer diferença na hora de conseguir o emprego.

Quando se pensa nas perguntas antes, aumenta a chance de dar uma resposta melhor, mais completa e que ajude no processo de recrutamento.

Por que existem perguntas que sempre são feitas?

Se você já passou por alguns processos seletivos durante a sua trajetória profissional, provavelmente percebeu que algumas perguntas sempre são feitas pelos headhunters.

Isso ocorre porque os recrutadores precisam de bases de comparação. Não se pode aplicar perguntas diferentes para os candidatos para gerar essas bases, pois elas não poderiam ser usadas com esse objetivo.

Existem, também, perguntas que são básicas em relação ao conhecimento do profissional em si, para obter determinadas informações de todo candidato que participar de um processo. “Por que você quer mudar de emprego?” é um exemplo. Esse tipo de pergunta é feito em qualquer processo de seleção, para que seja possível entender a situação atual e as motivações do candidato.

Pode, também, haver perguntas específicas feitas a todo candidato daquele processo, como conhecimentos específicos de linguagem, sistema, software e leis, que figuram como informações relevantes para o cargo em questão.

Está contratando?

Clique no botão abaixo e envie sua vaga

As perguntas mais comuns em entrevistas de emprego

Você já entendeu por que é tão importante se preparar para as perguntas feitas nas entrevistas. Se está participando de algum processo seletivo, veja, aqui, quais são os questionamentos que causam mais saia justa nos candidatos e descubra qual é a melhor forma de responder a eles.

1. Por que você saiu da empresa em que trabalhava?

Mantovani diz que muitos candidatos acabam não apresentando de forma clara e objetiva as razões pelas quais deixaram o último emprego. “Muitos se sentem desconfortáveis em dizer que foram demitidos e acabam inventando uma história”, diz o diretor.

Só que um consultor de recrutamento mais experiente vai aprofundar as perguntas e descobrir a mentirinha — o que, certamente, vai prejudicar a pessoa no processo de seleção.

“Ser demitido não é demérito para ninguém, acontece. O melhor é dizer a verdade e explicar as razões para a sua saída, se foi por um corte de custos ou porque a empresa queria um profissional mais barato naquele momento, por exemplo”, afirma Marcela.

2. Por que você quer trocar de emprego?

Quer saber outra saia justa? Quando o headhunter pergunta ao candidato, ainda empregado, por que ele quer sair da atual empresa. Aqui, a resposta é semelhante à da questão anterior. Pense com antecedência no que você vai responder e estruture algo objetivo para falar ao recrutador.

“Não vá expor o atual empregador, falando mal de diversos aspectos da empresa, mas não há problema algum em dizer que você não se adaptou à cultura da empresa — e especificar algum ponto em relação a isso — ou, ainda, justificar sua saída pela vontade de crescer na carreira”, afirma Mantovani.

3. Podemos conversar em inglês?

É nessa hora que aquele “inglês fluente” do currículo escapa e não sobra uma palavrinha na memória para um bate-papo rápido com o headhunter. “Não adianta informar que você é fluente em um idioma quando, na verdade, você tem um nível intermediário”, diz Fernando.

Isso só cria expectativas no entrevistador, e, para o candidato, a mentirinha acaba fechando portas. Quem vai querer contratar alguém que não é transparente já na entrevista de emprego?

4. Quais são seus pontos fracos?

Mantovani diz que muitos candidatos rapidamente respondem que não têm pontos fracos. “Isso é sinal de que a pessoa não está correndo atrás de melhorar suas competências profissionais”, diz o executivo. A verdade é que ninguém deve se achar 100%, sempre há algo em que se aperfeiçoar.

5. Qual é a sua pretensão salarial?

“Isso vem mudando, mas ainda hoje muitas pessoas se sentem desconfortáveis ao falar de salário”, afirma Mantovani. Só que é importante ir para uma entrevista de emprego com um número em mente.

O executivo dá a dica: “Se o salário não é um motivador para você, ok, mas diga a partir de quantos reais uma oportunidade pode lhe interessar. Isso ajudará o recrutador a saber quais ofertas de emprego pode lhe passar.”

6. Você tem experiência com gestão de pessoas?

Quando um profissional está se candidatando a um cargo que envolve gestão de equipe, quer impressionar e acaba respondendo “sim” a essa pergunta. Só que, de novo, se isso não for verdade, o headhunter vai perceber quando aprofundar o questionário.

“A pessoa acaba mencionando situações em que trabalhou com colegas e até exerceu alguma função de liderança em um projeto específico, mas sempre percebemos a mentira quando entramos no detalhe”, afirma Fernando.

“Por isso, para qualquer resposta, se prepare e estruture um discurso transparente, verdadeiro e coerente”, finaliza.

7. Por que você escolheu essa profissão?

Com a resposta, o headhunter pode avaliar a formação do candidato e compreender o motivo e ambientação da escolha por tal carreira.

É possível saber quando a aptidão começou, de onde veio o anseio por desempenhar a função, se é uma profissão comum na família ou se a vontade de exercer o trabalho vem de experiências na juventude. A resposta sincera conta um pouco da trajetória de vida do candidato.

8. O que você busca em um novo emprego?

Se a pessoa estiver empregada, o recrutador pode averiguar os motivos para que ela busque uma nova vaga — o candidato pode ser questionado sobre se gosta de onde trabalha e se houve um pedido de aumento de salário. Se ele quer mudar de setor, o headhunter pode questionar, ainda, se o candidato já conversou com o empregador acerca de uma possível movimentação.

A resposta também possibilita que o recrutador avalie se a empresa poderá corresponder ao que o candidato almeja, seja em relação a pretensão salarial, plano de carreira ou, ainda, condições de trabalho, como ambiente, cultura, entre outros fatores.

ENVIE SEU CURRÍCULO

Cuidados essenciais ao responder a perguntas em entrevistas de emprego

É indicado que o candidato se prepare relembrando as suas passagens profissionais e o que fez nelas. Alguns pontos que devem ser considerados, levando em consideração a vaga que se está pleiteando, são:

  • o que você oferece de interessante para quem vai te empregar?
  • quais são os resultados efetivos que você levou para os últimos empregadores?
  • por que essas experiências são relevantes na sua carreira?

O segundo ponto é a transparência absoluta. Tenha certeza de que as informações que você está transmitindo são precisas.

Se você participou de um grupo que implantou um Enterprise Resource Planning (ERP) — ou Sistema de Gestão Empresarial, em português —, não diga que você inseriu o ERP, mas sim que fez parte de uma equipe que implantou o sistema e explique qual foi seu trabalho na equipe.

Se existe uma informação que não é tão agradável, como ter sido demitido por não atingir o nível de performance exigido, é importante afirmar o que aprendeu com a situação e garantir que, no seu emprego seguinte, pode usar isso a seu favor para que não volte a ocorrer. Esclareça, sempre, qual foi a lição que você aprendeu e como está trabalhando a questão.

É preciso, também, tomar cuidado com o nível de exposição em algumas questões. Não fale mal do seu antigo empregador. Se existe alguma situação na empresa antiga que seja confidencial, não fale para o entrevistador.

Se existia caixa dois, por exemplo, e esse foi o motivo de querer ir embora, você pode dizer que a empresa tinha algumas políticas com as quais você não compactuava, então, preferiu sair da empresa, pois isso estava impactando seus valores pessoais. Isso não te faz perder o emprego.

Além disso, é preciso ser discreto em algumas questões. A linguagem não pode ser coloquial, e você deve se vestir e se postar de maneira adequada, cuidando do tom de voz, olhando nos olhos do recrutador e, principalmente, evitando entrar em questões controversas. Não se fala sobre religião, política, futebol e outros assuntos polêmicos. Seja polido a todo momento, inclusive em questões pessoais.

Como você pôde notar, preparar-se para uma entrevista de emprego pode fazer com que você não se esqueça de falar informações relevantes e que podem ser decisivas.

Essa preparação também permite que você se mostre mais seguro, preparado e preciso em seus posicionamentos. Não se esqueça — clareza e sinceridade contam muito ao responder às perguntas em entrevista de emprego!

Quer receber mais conteúdos como este?

Se você gostou deste post, assine nossa Newsletter para receber mensalmente artigos com dicas de carreira, recrutamento e mercado de trabalho.

More From the Blog...