E quando a demissão é um alívio?

Por Adilson Souza

É uma mistura de sentimentos.

A perda de um lugar seguro. E o que vai acontecer agora? O que será de mim? Como as pessoas vão me enxergar? Quanto tempo levará para encontrar outra posição no mercado? Como pagarei as contas? Etc... Etc...

É natural e legítimo esses questionamentos e o incômodo com essa situação.

No entanto, nem sempre nos atentamos como estava nossa satisfação com aquilo que realizamos diariamente e, em especial, com quem realizamos.

Por quanto tempo nos permitimos realizar um trabalho médio, não porque somos medianos, mas, sim, permitimos deixar de lado os nossos melhores talentos.

O quanto aquele ambiente contribuiu para que você adoecesse nos últimos 24 meses? O quanto isso custou para sua vida, família e carreira? E também o quanto custou para o seu bolso? O quanto você se respeitou?

Aquele ambiente lhe trouxe uma pseudo segurança. E agora você esta diante de uma oportunidade de repaginação e, talvez, até tenha que jogar o “livro” fora e começar outro. Mas lembre-se, jamais será do zero, pois você já possui uma linda e rica trajetória de vida e certamente tem pela frente ao menos 20, 30, 40, 50 ou até 60 anos para construir uma trajetória ainda mais bem sucedida - lembrando que a nossa expectativa de vida é de cerca de 84 anos.

Talvez esse seja um momento que traga mais alívio, e quando isso acontecer, o seu corpo estará mais relaxado e mais aberto às novas perspectivas e adaptações.

Você pode ter os melhores talentos, no entanto, será necessário colocá-los à sua própria disposição.

* Adilson Souza é Palestrante, Professor, Mentor, Headhunter e Fundador da EstAção RH

Compartilhar essa página