Presente de grego: cuidado para não premiar competência com mais trabalho

Por Robert Half 20 de agosto de 2019

Por Fernando Mantovani

Uma das formas de motivar e premiar os melhores funcionários é confiar a eles as tarefas mais interessantes e estratégicas. É muito normal que a rotina profissional possa se tornar aborrecida e monótona, assim, é comum propor novos desafios aos funcionários mais eficazes. No entanto, muitos gestores, aqui, acabam cometendo um erro ao premiar competência com mais trabalho. Isso é justo?

São muito comuns em ambientes corporativos situações em que profissionais considerados brilhantes são premiados com projetos diferenciados, que exigem dedicação, estratégia e tempo, muito tempo. Não raro esses profissionais acabam estendendo sua jornada de trabalho e ainda levam trabalho para casa nos finais de semana. Muitos se afastam das empresas por sérios problemas de saúde física e emocional, que se iniciaram com a sobrecarga de atividades.

Como reverter esse quadro? Cabe ao gestor estar atento à distribuição de tarefas, pois é tendência natural delegar trabalhos mais complexos e estratégicos para os melhores talentos. No entanto, ninguém consegue por muito tempo manter sua performance e motivação com sobrecarga de trabalho e sem nenhum benefício ou ajuda adicional.

Além disso, para o líder, é importante desenvolver a equipe como um todo, para que o trabalho possa ser dividido sem discrepâncias. Ele tem que ter um olhar atento para saber qual é o limite de cada um e possibilitar uma divisão justa de tarefas, premiando os grandes talentos de forma adequada.

Como reconhecer bons resultados e garantir a motivação da equipe?

Elogie

Quando notar que seu colaborador fez um bom trabalho, não deixe de pontuar. Elogie quando prazos forem cumpridos, comente novas ideias e pontue, principalmente, quando um trabalho resultar em maior entrega e eficiência para a empresa.

Dessa maneira, não só o colaborador, mas toda sua equipe se sentirá motivada a manter bons resultados e terá a sensação de liberdade e criatividade dentro da corporação.

Crie programas de incentivo

Além de estabelecer metas, crie programas que incentivem o alcance delas, como uma bonificação salarial, um dia off ou premiações. Tendo uma recompensa em vista, seus funcionários ficarão motivados e procurarão atingir seus objetivos de uma maneira mais enérgica.

Acompanhe de perto

Demonstrar preocupação e dar um acompanhamento mostra para o colaborador que você está interessado em seu progresso.

Comunique-se

Dê espaço para que seu colaborador caminhe sozinho, mas esteja disponível para que ele não se sinta isolado. A presença do gestor, ainda que a certa distância, mostra que você confia no trabalho da equipe, mas que não os está abandonando.

Situações inesperadas

No caso da perda de um profissional chave para a equipe, cuidado também na alocação de suas tarefas entre os membros da equipe, para que ninguém fique sobrecarregado nem desmotivado. 

No vídeo abaixo, Alexandre Attauah, gerente sênior de recrutamento da Robert Half, fala do tema, do ponto de visto do candidato. Como agir ao assumir mais responsabilidades, sem ser remunerado por isso? Assista ao vídeo e confira as dicas.

 

Faça download do índice de Confiança Robert Half

O ICRH vai monitorar o sentimento de recrutadores, profissionais empregados e desempregados com relação ao mercado de trabalho e economia atualmente e para os próximos seis meses.

*Fernando Mantovani é diretor-geral da Robert Half

More From the Blog...