Dez características de um ótimo gestor

Por Robert Half 9 de maio de 2018

Por Adriana Fonseca

O Google, volta e meia, é exemplo na forma de gerenciar seus funcionários. A cultura corporativa, o ambiente organizacional e a possibilidade de desenvolvimento profissional, entre outros fatores, fazem com que a empresa seja admirada por muitos.

Justamente por isso o Google é citado aqui, neste post. Aliás, só um parênteses: já citamos a gestão do Google aqui no blog antes, mostrando três dicas de produtividade dos funcionários da empresa.

Bom, voltando ao tema deste post, recentemente o Google listou dez comportamentos de seus melhores gestores. Então, já que a lista é pública, por que não aprender algo com os executivos que trabalham em uma das companhias mais admiradas do momento?

Comportamentos que fazem um gestor do google ser ótimo (e que todos nós podemos aprender):

É um bom coach

Funcionários precisam e apreciam um gestor que tem tempo para ensiná-los e desafiá-los – e isso de forma contínua, não apenas quando o colaborador está deixando a desejar.

Empodera a equipe e não faz microgerenciamento

O microgerenciamento é um erro comum que os gestores cometem (até mesmo sem perceber). Esse tipo de comportamento desencoraja e frustra o funcionário. No Google, os melhores executivos não fazem microgerenciamento, eles oferecem o equilíbrio certo entre liberdade e aconselhamento, mostrando que confiam nos seus subordinados.

Cria um ambiente inclusivo para a equipe, mostrando preocupação com o sucesso e o bem-estar

Duas características importantes são permitir que as equipes assumam riscos e não ter preconceitos, trazendo o processo para a consciência e combatendo vieses inconscientes. Não basta ter um time diverso. Bons gestores conseguem criar um ambiente inclusivo a cada dia.

É produtivo e orientado a resultados

As pessoas não gostam de trabalhar para um chefe preguiçoso. Gostam de fazer parte de uma equipe produtiva e bem-sucedida, e isso é difícil de fazer se o líder não estabelece o ritmo.

É bom comunicador – ouve e compartilha informações

Comunicação eficiente é uma das bases para ser um bom gestor. Também é importante lembrar que ótimos executivos priorizam o ouvir.

Apoia desenvolvimento de carreira e conversa sobre desempenho

Para listar este ponto, o Google se apoiou em uma pesquisa que mostra que apenas metade dos profissionais sabe quais expectativas eles deveriam atender no trabalho. Diante disso, os gestores não somente deveriam ajudar seus funcionários a desenvolver determinadas habilidades e avançar em suas carreiras como deveriam também ser claros sobre suas expectativas em relação aos seus colaboradores, além de dar feedback honesto sobre o desempenho de cada um.

Oferece visão clara e estratégica para a equipe

Uma das gerentes premiadas do Google – sim, há um prêmio que destaca os melhores gestores da empresa – disse que relatórios de feedback a ajudaram a entender como era importante comunicar, para a equipe, a visão da empresa. Então, ao invés de simplesmente repassar ao time o que foi dito, ela também passou a compartilhar com seus funcionários o que aquilo significava. Uma visão clara e compartilhada pode ajudar os membros da equipe a trabalharem melhor juntos.

Tem habilidades técnicas-chave para ajudar a aconselhar a equipe

No contexto do Google, acredita-se que, para ser um gerente, particularmente nas áreas de engenharia, é preciso ser um profundo especialista técnico (pelo menos tão especialista quanto – ou até mais - que as pessoas que trabalham para esse gestor).

Colabora com diferentes áreas

Colaboração efetiva por toda a empresa é uma característica importante para os gestores do Google. Isso porque gerenciar uma equipe e liderá-la para o sucesso pode depender, ao menos em parte, da forma como se trabalha com outras equipes.

É forte tomador de decisão

Ao mesmo tempo que é importante o líder ouvir e compartilhar informações, funcionários também valorizam as pessoas capazes de tomarem decisões. Encoraja-se os executivos que, além de contarem suas decisões para as equipes, expliquem porque tomaram determinado caminho. Esse esforço ajuda o time a entender contexto e prioridades, melhora a habilidade de tomada de decisão da própria equipe e mantém os profissionais engajados e bem-informados.

* Adriana Fonseca é jornalista, tem 15 anos de experiência na cobertura de carreiras, empreendedorismo e startups. Já publicou nos jornais Valor Econômico e Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Criando uma equipe vencedora

Clique no botão abaixo para baixar o seu guia "Criando uma equipe vencedora"

More From the Blog...