Depressão no trabalho, e agora?

Por Robert Half 23 de novembro 2017

Por Juliana Porto

São altas as possibilidades de alguém ter depressão no seu trabalho. Pode ser um colega, seu chefe ou até mesmo você. Dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 322 milhões de pessoas no mundo sofriam de depressão em 2015,  número que cresceu 18,4% em 10 anos. No Brasil, cerca de 5,8% da população têm a doença, o maior número da América Latina. Até 2020 será a enfermidade mais incapacitante globalmente. Não é apenas caso de tristeza pura e simples ou força de vontade para sair deste quadro. A depressão clínica crônica requer tratamento contínuo. 

Reconheça os sinais.

Você está cansado o tempo todo e mal consegue cooperar com colegas. É difícil se concentrar ou ter uma atitude positiva - e já foi muitas vezes ao banheiro para chorar escondido. Junto com a moral, a sua produtividade está no ralo. Tem gente que acaba gastando muito mais tempo no trabalho, enterrando-se em tarefas para evitar emoções. Pode ser a hora de buscar tratamento.

Procure um médico.

Se você tiver uma gripe forte ou sinais de diabetes vai atrás do tratamento adequado, certo? A depressão não é diferente de qualquer outra condição crônica. Especialistas alertam que é possível tê-la e manter uma vida independente e produtiva. Só que é importante identificar a doença, obter a medicação - se for o caso - e cumprir corretamente as ordens médicas.

Decida quando e se vai falar para o seu chefe.

O tipo de empresa em que você trabalha e o relacionamento com seus supervisores interferem no quanto você vai abrir sobre a sua depressão.  Considere estes fatores - e o tipo de tratamento que você precisa - para determinar as informações que você se sente confortável em compartilhar.

Cuide do corpo e da mente.

Olhar para a sua saúde física vai ajudar a dormir melhor e a se alimentar de forma adequada (mesmo quando é difícil colocar comida na boca). Uma ideia é fazer caminhadas ou até tentar uma corrida, mesmo de leve - as endorfinas se agitam e podem aliviar alguns sintomas de depressão. Se for ao ar livre e próximo a um parque ou a natureza, tanto melhor. A meditação também ajuda algumas pessoas com depressão ou estresse. Não precisa de método: uma respiração profunda e lenta nos oxigena e nos faz sentir melhor.

Conte com ajuda de seus pares e familiares.

Condições como a depressão deixam as pessoas mais fechadas, mas os colegas no trabalho podem ser uma ótima fonte de ajuda. Considere se abrir com os amigos e familiares mais próximos. Certamente eles estarão dispostos a ajudar. Quem convive com alguém em depressão, no trabalho ou em casa, e percebe que há algo errado, também pode ajudar. Respeitar os limites, no entanto, é fundamental.

* Juliana Porto é jornalista desde 2005 e começou sua carreira escrevendo justamente sobre... carreiras! De lá para cá, já cobriu finanças pessoais, consumo e tecnologia em redações no Rio e São Paulo, mas sempre acaba voltando ao tema com que começou sua vida profissional.

ENVIE SEU CURRÍCULO

More From the Blog...