Chorar no trabalho: certo ou errado?

Por Robert Half 28 de junho de 2018

Por Juliana Porto

Controlar as emoções não é sempre fácil. Mas o que dizer sobre expressar o sentimento de tristeza ou frustração no trabalho? De acordo com uma pesquisa da empresa Accountemps, mais de 4 em cada 10 trabalhadores (45%) admitiram que já choraram no trabalho. A mesma proporção de diretores financeiros (CFOs, na sigla em inglês) disseram que derramar lágrimas é aceitável - desde que isso não ocorra diariamente.

Os empregados são mais duros sobre si mesmos do que os executivos: 32%  deles comparados a 26% dos CFOs disseram que chorar no trabalho nunca é aceitável. O levantamento, feito nos Estados Unidos, ouviu mais de 1 mil trabalhadores e mais de 2.200 diretores financeiros americanos.

"Somos todos humanos, e algumas vezes as emoções podem tirar o melhor de nós", disse Michael Steinitz, diretor-executivo da Accountemps, uma empresa da Robert Half, especializada em profissionais temporários de contabilidade, finanças e contabilidade.

Steinitz lembra que os desafios do ambiente de trabalho são inevitáveis. "Mas como você responde e avança pode demonstrar seu profissionalismo, resiliência e inteligência emocional”, disse.

Veja 5 situações que podem testar até mesmo a cabeça mais fria e conselhos para lidar com cada uma delas com profissionalismo e inteligência emocional:

Chefe arrogante

Seu gestor fica de olho em você e lhe dá pouco controle sobre os projetos. Isso pode causar mais estresse e diminuir sua moral e  produtividade. Em vez de ficar frustrado, procure seu coordenador e busquem juntos  maneiras de criar confiança e ganhar mais independência.

Colega de trabalho combativo

Você e seu colega vivem batendo cabeças. Tente considerar a perspectiva de seu parceiro. Ouvir outro ponto de vista pode ajudá-lo a resolver a disputa mais rapidamente.

Um erro inocente

Assim que você clicar em "enviar" em um e-mail para seu chefe, perceberá que cometeu um erro. Em vez de gritar de frustração e distrair os outros, mantenha a cabeça equilibrada enquanto aborda a situação. Peça desculpas para tentar resolver o problema.

Uma emergência pessoal

Problemas pessoais, como uma crise familiar ou questões de saúde, afetam sua vida profissional em algum momento da carreira. Considere conversar com seu chefe e solicitar flexibilidade de agendamento ou licença pessoal. Ser transparente pode beneficiar você e seu empregador.

Carga de trabalho insuportável

Fazer malabarismos com muitas tarefas pode te levar ao esgotamento. Em vez de atacar seu chefe quando ele lhe atribuir mais trabalho, conversem para priorizar alguns projetos e delegar outros  a seus colegas de equipe.

* Juliana Porto é jornalista desde 2005 e começou sua carreira escrevendo justamente sobre... carreiras! De lá para cá, já cobriu finanças pessoais, consumo e tecnologia em redações no Rio e São Paulo, mas sempre acaba voltando ao tema com que começou sua vida profissional.

CHEGOU A HORA DE SER FELIZ NO TRABALHO

Na Robert Half, entendemos que uma equipe motivada e empenhada é uma equipe feliz e produtiva. Profissionais que trabalham felizes se sentem valorizados e fazem contribuições reais.

More From the Blog...