De entrevistado a entrevistador. E agora?

Por Gabrielle Moreira

Entrevistas de emprego são fundamentais, se não a parte mais importante, de um processo seletivo. E nem todo gestor sabe como conduzi-las. Uma entrevista mal feita pode custar tempo, dinheiro e muita dor de cabeça para quem está contratando. Aí vão algumas dicas que podem te ajudar:

-Prepare-se com antecedência: saiba como será o passo a passo da entrevista. Faça um roteiro das perguntas que serão feitas, tendo suas expectativas como base. A equipe de RH pode ajudar nesse processo. Lembre-se de ter em mente as informações básicas para o candidato, como a função e o que se espera dele. Pagamentos, benefícios, férias, folgas e horários também devem ser estabelecidos antes da contratação.

-Tenha em mente o tipo de profissional que procura: experiência, formação, personalidade, habilidades, etc. O ideal é traçar o perfil comportamental e técnico do candidato antes para agilizar o processo de recrutamento. Escolher uma pessoa com dificuldades de trabalhar em equipe quando a vaga exige muita relação interpessoal, não daria certo, por exemplo. Profissionais ansiosos normalmente não se encaixam muito bem em funções exercidas sob pressão, e por aí vai.

-Não se mostre desconfortável com a situação: assim como o candidato deve demonstrar confiança, o entrevistador tem de passar segurança. Um bom candidato pode recusar uma proposta, caso não tenha uma boa impressão da empresa. Evite brincadeiras, piadas, conversas muito informais ou de conteúdo íntimo.

-Evite interrogatórios: a entrevista de emprego implica uma série de perguntas, mas para deixar o candidato menos tenso, e mais propenso a mostrar quem realmente é, tente conduzir uma conversa. Compartilhar conhecimentos e mencionar colegas de trabalho em comum podem ser uma boa alternativa.

-Informe prazos: candidatos tendem a ficar ansiosos esperando uma resposta. Dê um prazo para retorno e o avise, mesmo que ele não seja o escolhido.

Veja as Dicas de entrevista da Robert Half

Gabrielle Moreira é jornalista e escreve sobre economia, finanças, carreiras e comportamento há mais de dez anos. Depois de uma temporada no Valor Econômico de São Paulo, mudou-se para o Rio de Janeiro e agora reporta diretamente de seu home office na cidade maravilhosa. 

Compartilhar essa página