Currículos: o que está em alta e em baixa

Tendências não se aplicam apenas ao mundo da moda e do consumo em geral. Os currículos também vão se modernizando com o tempo e aquilo que já foi bem aceito pouco tempo atrás hoje pode estar em desuso. Confira o que está em baixa e em alta nos currículos e atualize o seu.

EM ALTA:

Palavras-chave que combinam com as descrições do cargo

Muitos empregadores utilizam sistemas de rastreamento de candidatos para analisar os currículos e gerar uma lista mais curta de profissionais que podem se encaixar em determinada vaga. Para garantir que o seu currículo passe por esse pente fino, pesquise e tente identificar um percentual maior de palavras-chave associadas à descrição do cargo e à empresa contratante. Depois, inclua as palavrinhas mágicas no seu currículo de forma criativa.

 

EM BAIXA:

Listas de tarefas diárias no campo “experiência”

Ao invés de usar esse espaço precioso do seu currículo para contar suas responsabilidades básicas em seus trabalhos anteriores, se atenha às conquistas mais impressionantes e às realizações que merecem destaque. A recomendação é, inclusive, quantificar esses feitos de forma sucinta.

 

EM ALTA:

Currículos em múltiplos formatos

Assim como duas vagas de emprego não são iguais, os currículos direcionados a elas também não deveriam ser. A ideia, então, é criar diferentes modelos, customizados para cada posição pretendida.

 

EM BAIXA:

Afirmação categórica no objetivo

No topo de seu currículo, substitua a enxuta frase normalmente usada no campo “objetivo” por um resumo das suas qualificações. Mas não exagere no tamanho do texto – de três a cinco frases são suficientes – e lembre-se de que é importante customizar esse resumo de acordo com a vaga desejada. Aqui, vá direto ao ponto e apresente-se como a pessoa ideal para o posto.

 

EM ALTA:

Presença online

O espaço do currículo é sempre pequeno para tudo o que se quer dizer sobre si mesmo. Sendo assim, informe o empregador sobre sua presença online. Inclua, por exemplo, o endereço de seu perfil no LinkedIn. Não tem uma conta na rede social ainda? Então corra fazer uma. O site permite ao empregador saber mais sobre você, suas habilidades e conquistas profissionais.

 

EM BAIXA:

Uma só página a qualquer custo

Muito já se falou que o currículo deve ter apenas uma página. Por quê? Se o candidato tem realmente um histórico profissional e acadêmico que justifique se estender por duas páginas, ok, está permitido.

 

Veja o modelo de currículo que a Robert Half criou para te ajudar.

Tags: Currículo

Compartilhar essa página