Como colocar idioma no currículo?

Por Robert Half on 13 de outubro de 2022
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Dependendo da posição para a qual você está se candidatando, o idioma será a primeira informação que um recrutador procurará no seu currículo. Por isso, é bem importante ficar atento às melhores formas de colocar seu conhecimento em idiomas no currículo.

Dependendo da posição para a qual você está se candidatando, o idioma será a primeira informação que um recrutador procurará no seu currículo. Por isso, é bem importante ficar atento às melhores formas de colocar seu conhecimento em idiomas no currículo.

A cada dia, falar uma outra língua — além do português — torna-se essencial para os profissionais e a maneira como você coloca essa habilidade em seu currículo pode aumentar as chances de ser convidado para um processo seletivo. Confira como classificar seu nível de fluência e qual a melhor maneira de organizar essas informações.

Como colocar idioma no currículo?

A ordem das informações do currículo tem um modelo ideal. Na preparação de um CV, a seção dos idiomas deve vir logo após a formação acadêmica. 

Assista abaixo à explicação de Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half no Brasil, sobre o tema.

 

Além disso, algumas dicas podem ajudar a colocar o idioma de forma a se destacar, confira!

Entenda a importância dessa habilidade

Conseguir personalizar o seu currículo é um exercício muito importante e isso vale também quando se pensa em colocar as informações sobre o idioma no documento. Afinal, cada vaga pode ter uma prioridade para essa habilidade e, por isso, você deve entender qual é o grau de importância desse conhecimento para a vaga a qual está se candidatando.

Crie uma seção para os idiomas

Como esse tem sido um tema cada vez mais fundamental para as empresas, é interessante criar uma seção específica para destacar os idiomas, especialmente se você tem mais de um para adicionar ao seu currículo. Confira o exemplo:

Idiomas

  • Inglês nativo: curso X (formado em dezembro de 2014);
  • Espanhol fluente: curso Y (formado em setembro de 2021);
  • Francês intermediário: curso Z (formado em agosto de 2022);"

Dê maior destaque se necessário

Outro ponto importante é conseguir personalizar essas informações se as habilidades com idiomas forem essenciais. Se a vaga exige nível fluente de espanhol, dê um destaque maior para essa informação na hierarquia do currículo que você está estruturando.

Adicione experiências fora das classes

Ter a formação como um validador de todo o seu esforço e conhecimento em um idioma específico é muito importante, mas é um diferencial importante ter a comprovação de outras habilidades. Caso você tenha realizado, por exemplo, um período de intercâmbio, em que você trabalhou no exterior, isso pode ter um valor ainda maior para o recrutador.

Como autoavaliar a fluência do seu idioma?

É sugerido que você utilize quatro classificações. Veja abaixo em qual desses níveis você se encaixa.

1. Básico

Nesse nível o candidato apresenta leve compreensão do idioma. Essa classificação é para aqueles que já estudaram alguma vez, mas não conseguem manter uma conversa ou compreender um e-mail. Se você é capaz de compreender expressões cotidianas, se apresentar e entender enunciados simples quando o interlocutor fala algo lentamente, o ideal é que utilize essa classificação.

2. Intermediário

O nível é intermediário quando o interlocutor consegue iniciar uma conversa. Nesse nível o profissional é capaz de compreender textos e já tem um vocabulário na sua área de especialidade. Assim, ele está apto para se posicionar na maioria das situações e consegue descrever suas experiências profissionais e ambições para o futuro.

Se você já estudou o idioma por um tempo e consegue iniciar uma conversa, mas ainda tem dificuldade em manter um diálogo fluido, você tem esse nível de fluência.

3. Avançado

Uma pessoa com o nível avançado fala bem e domina a leitura e a escrita, por isso, o profissional já “é capaz de se virar sozinho”. Isso significa que ele compreende textos complexos e expressa-se de maneira espontânea sem esforço.

Se você consegue se expressar de forma clara e estruturada em todas ocasiões — sociais e profissionais — você está no nível avançado.

4. Fluente

Ocorre quando o candidato tem entendimento total da língua. Na maioria dos casos, chegar a este nível é uma consequência de ter morado no exterior por um bom tempo. Se você fala com clareza, tem um vocabulário amplo e domina totalmente a língua em situações complexas, você é fluente.

Qual a importância de ser sincero quanto ao seu nível de conhecimento da língua?

Como o idioma é um dos critérios que podem diferenciar um candidato do outro durante um processo seletivo, é muito importante informar da maneira mais correta possível o seu nível. Isso, pois, caso você seja selecionado, em alguns momentos precisará lidar com um público externo ou com cursos que são em outro idioma. E, se, por acaso, você não conseguir atender às expectativas, a sua reputação profissional pode sofrer com essa ocorrência.

Sendo assim, leve em consideração que o idioma que você descreverá em seu currículo, não será usado apenas na entrevista, mas sim do dia a dia da organização, como ao enviar e-mails, acompanhar reuniões, realizar chamadas, estabelecer contatos com empresas de outros países, entre outras diversas situações.

Além do mais, não adianta superestimar a sua avaliação quanto ao idioma. O entrevistador sempre fará um pequeno teste oral e escrito em inglês para confirmar o seu conhecimento. Se você mencionar que é nível avançado, sendo que na realidade tem entendimento de nível básico, poderá passar por um mentiroso perante o recrutador. Portanto, evite essa situação e seja sincero.

Como ficam as vagas internacionais?

Também é importante conhecer as regras de cada país. Em alguns lugares, as classificações de idioma não são semelhantes às do Brasil. Então, você deve deixar o "Básico, Intermediário, Avançado e Fluente" e utilizar, por exemplo, as referências de países europeus — se a vaga for na Europa, é claro.

  • A1: usuário iniciante;
  • A2: usuário básico;
  • B1: usuário intermediário;
  • B2: usuário independente;
  • C1: usuário proficiente;
  • C2: usuário com domínio pleno.

Como criar o seu currículo em outro idioma?

Caso tenha a oportunidade, é importante contar com as vagas no exterior, afinal sempre pode aparecer uma oportunidade que colocará a sua experiência profissional no topo. Por essa razão, é muito importante ter um currículo pronto em outro idioma, especialmente em inglês, língua utilizada por muitos países.

Mesmo que no atual momento você não esteja a procura de uma vaga no exterior, é relevante preparar o seu currículo e ficar preparado, pois essa organização dirá muito sobre você para o recrutador.

Ao escrevê-lo, mantenha o formato corporativo e procure não ultrapassar duas folhas usando as fontes Times New Roman ou Arial, com tamanho acima entre 10 e 12. Depois você pode inserir as seguintes informações: 

  • personal information: dados pessoais, como full name, address,phone, e-mail, objective;
  • educational background: formação educacional;
  • professional background: experiência profissional;
  • languages: quais idiomas você domina, não deixe de colocar a sua língua materna e usar o nível de domínio do idioma, como fluent, advanced, intermediate e basic.
  • computer skills: habilidades computacionais;
  • extracurricular activities: atividades extracurriculares;
  • others: outras informações que você julgar necessárias.

Além disso, é muito importante evitar alguns enganos que candidatos a processos seletivos no exterior comentem, veja quais: 

  • não use tradutor online;
  • não traduza ao pé da letra;
  • não utilize inversões na frase — algo recorrente em português —, utilize a ordem: sujeito, verbo e complemente;
  • tenha atenção à ortografia e faça uma boa revisão.

A partir dessas dicas, deixe o seu currículo pronto nos dois idiomas e atualize-o sempre que puder, assim você estará pronto para concorrer a qualquer vaga de seu interesse, seja no Brasil ou seja no exterior.

O que evitar ao colocar o idioma no currículo?

Agora que você já sabe como colocar o idioma no currículo, é importante ficar de olho também em algumas práticas que você deve evitar. Confira!

Nunca invente informações

Essa é uma regra de ouro que deve ser utilizada para qualquer conteúdo presente no seu currículo. Apesar de não ser considerado crime, pode acarretar até mesmo em problemas judiciais. Mais do que isso, pode fechar portas e oportunidades para você em outras empresas.

Não esconda a instituição

Caso tenha feito um curso para aprender um determinado idioma, também é muito importante que você não esconda a instituição. Por mais que não seja um local dos mais conhecidos, é um fator relevante para a verificação dos dados por parte dos contratantes.

Não mencione o português

Outro erro muito comum quando se preenche a parte de idiomas no currículo é adicionar a qualificação em relação ao português. Quando estamos falando em vagas no Brasil, essa habilidade já está subentendida pelo recrutador e você não deve se preocupar com ela.

E depois do inglês?

Já tem inglês realmente bom — ou acha que tem?

E depois? No vídeo abaixo, o branch manager Vitor Magalhães Silva fala sobre o tema. Vale a pena conferir!

Saiba como os recrutadores da Robert Half podem ajudar você a construir uma equipe talentosa de colaboradores ou avançar na sua carreira. Operando em mais de 300 locais no mundo inteiro oferecendo recrutamento especializado em São Paulo. A Robert Half pode te fornecer assistência onde e quando você precisar. 

Além disso, você pode também ouvir nosso podcast sobre Business English no Robert Half Talks. Lá você verá como a aquisição de um novo idioma é tão importante, principalmente o inglês, que no processo de algumas empresas é decisivo para determinar se o profissional concorrerá a vaga ou não, algo que tem se intensificado nos últimos anos, pois o trabalho começou a ganhar novos formatos, como o home office, conectando mais profissionais e empresas de diversas culturas diferentes.

Notou como colocar um idioma no currículo é tão importante? Saber descrevê-lo é uma tarefa significativa para demonstrar segurança e conhecimento em sua candidatura. Seguindo essas dicas, com certeza, você estará no caminho certo!

Outras dicas sobre Currículo você confere em: Dicas Currículos

Gostou do nosso conteúdo? Então, deixe um comentário no post e compartilhe a sua opinião conosco e com os demais leitores!

Mais em nosso Blog