Crianças hoje, líderes amanhã. O que podemos aprender com os jovens?

Juventude é um termo que provoca diferentes reações – desde reclamações mal-humoradas sobre a falta de boas maneiras e de respeito até discursos inflamados sobre como eles são um símbolo do “amanhã”. O fato é que os jovens de hoje enfrentam críticas por serem egoístas, cheios de si, desafiadores e, em alguns momentos, apáticos. Por outro lado, recebem elogios por sua capacidade de inovação, “pensamento fora da caixa”, ativismo e energia.

Juventude e inovação
Os jovens trouxeram - e continuam trazendo - inovações e pontos de vista que mudaram a sociedade em que vivemos – entre eles as redes sociais, o crowdfunding, as revoluções políticas digitais, o movimento “anonymous”, grupos de jovens empreendedores, escritórios com design criativo e de coworking, busca por flexibilidade no trabalho e a redefinição de papeis de gênero.

Busque o que você merece A maior riqueza é o bem estar. Esse pode ser considerado um mantra dessa geração. Hoje os jovens buscam um trabalho que respeite o seu estilo de vida, insistem que suas empresas tenham responsabilidade social e demandam um ambiente de trabalho saudável. E, caso não encontrem, são agentes de mudança: abrem seus próprios negócios ou colocam a mão a massa na empresa em que trabalham para transformar seus desejos em realidade. Eles são a geração mais informada, educada, comunicativa e conectada, e não estão preparados para deixar o seu futuro nas mãos dos outros.

O que podemos aprender com os jovens? À medida que os jovens conquistam mais espaço, cresce o potencial de conflito com outras gerações. Mas se os profissionais mais experientes se abrirem para ouvir, com curiosidade e admiração, o resultado pode ser colaboração e compreensão. Quem sabe? Sempre há algo para aprender.

Este texto é uma adaptação livre de um artigo do blog Worklife Austrália. Leia a versão original em inglês.  

Compartilhar essa página