Contraproposta: para o bem da sua carreira, diga não

A resposta mais comum de um gestor que está prestes a perder um bom funcionário para outra empresa é a contraproposta. Basta o executivo chegar com a notícia de que foi sondado por outra companhia e pronto. Imediatamente (ou quase), recebe uma oportunidade de aumento salarial para permanecer no cargo.

Pois saiba que a contraproposta pode até fazer bem para o ego, mas nem sempre é positiva para a carreira. Estimativa da consultoria Robert Half, baseada em informações de seu banco de dados, mostra que 85% dos profissionais que iriam se desligar da empresa e aceitam uma contraproposta acabam saindo da companhia seis meses depois – demitidos ou por vontade própria.

Outros levantamentos dão mais alguns indícios de como a contraproposta não leva a lugar algum. Metade das pessoas que aceitam permanecer no emprego recomeça a busca por outro trabalho em cerca de 90 dias. Não há mistério. Se o profissional estava à procura de um novo trabalho, não é um pequeno aumento salarial que vai fazê-lo mudar de ideia. Números maiores no contracheque podem até motivar temporariamente, mas logo a insatisfação vai aparecer de novo e a busca por uma nova oportunidade, mais desafiadora, irá recomeçar.

Além de não ser solução para a desmotivação no médio e longo prazo, aceitar uma contraproposta pode gerar outros problemas. O clima entre a equipe jamais será o mesmo. Imagine a situação: em um grupo de sete profissionais de mesmo nível, apenas um recebe aumento salarial.

E o benefício vem apenas porque esse profissional foi sondado pelo mercado – não se levou em conta critérios como alcance de metas e produtividade. Insatisfação total dos demais colegas, certo? Existe ainda outro senão. Se a situação econômica da empresa apertar e cortes forem necessários, adivinhe quem estará na lista.

Claro que aquele profissional que já havia decidido sair uma vez e acabou quebrando a relação de confiança. Há também o outro lado da negociação. Se o executivo diz sim a um convite e depois volta atrás – porque aceitou uma contraproposta de sua empresa atual – queima o filme com o recrutador e com a companhia que estava contratando. E todos sabem como o mundo dá voltas e as pessoas acabam se reencontrando em algum momento.

Por todos esses fatores, se você acha que vale a pena continuar na companhia onde trabalha e está insatisfeito com alguma coisa – salário, função, ambiente -, tente conversar com seu chefe sobre isso. Tire suas dúvidas de carreira, fale claramente quais são as suas expectativas e veja se é possível alcançá-las dentro da empresa. Se depois disso você chegar à conclusão que ali não há mais espaço para o seu talento, aí sim aceite uma nova oferta de trabalho – e não dê ouvidos à contraproposta, caso ela apareça.

Se ainda quiser ler mais sobre o tema, veja algumas opiniões do mercado sobre contraproposta.

Tags: Carreira

Compartilhar essa página